quinta-feira, fevereiro 13, 2020

Dia Mundial da Rádio



Hoje assinala-se o Dia Mundial da Rádio!
Ouço rádio todos os dias, sobretudo no carro e no quarto e, muitas vezes, nem sei bem porquê, estou em sintonia com estações de rádio locais ou regionais.
São estações que vivem da publicidade de toda a espécie de comércio e nos programas que preenchem o seu horário predominam os discos pedidos, antecedidos por frases publicitárias que devem ser repetidas por quem telefona a solicitar a audição de um disco.
Entre locutores e ouvintes há uma enorme familiaridade decorrente da assiduidade dos telefonemas e do conhecimento mútuo.
Os ouvintes tanto são trabalhadores cujas tarefas não os impedem de ouvir rádio, como são donas de casa atarefadas nas suas lides ou aposentados em tempo de descanso.
Normalmente pedem música portuguesa que dedicam à família que está próxima ou no estrangeiro, a amigos e mesmo aos próprios locutores de serviço.
No fundo é um serviço de proximidade que quebra a monotonia, a solidão mas também incentiva o gosto por dois dedos de conversa.
Alguém se lembra do célebre Matos Maia?

17 comentários:

  1. Os meus pais ou os meus avós tinham um rádio parecido. Rádio oiço apenas no carro. Em casa será no Google Home ou nos diferentes canais televisivos só de música, cada um deles com estilos específicos: clássica, blues, jazz...

    Devido às novas tecnologias, a popularidade da rádio tem vindo a diminuir. Acho bem que se apoiem as estações locais. Não sei quem é esse senhor. Vou pesquisar. :)

    ResponderEliminar
  2. Já não me lembra de ouvir rádio‼
    Já agora vou abrir o meu rádio, em homenagem ao dia‼
    Mas lá ver, se encontro um programa político ou literário. Detesto música‼

    ResponderEliminar
  3. Não sei quem é ou não me lembro dele - vou googlá-lo a seguir.
    Não sabia do dia de hoje, gosto de ouvir rádio quando conduzo, sobretudo música e já apanhei rádios regionais, embora não me lembre se também apanhei discos pedidos :)
    um beijinho e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar

  4. Olá, Bom dia

    Ouvi ontem que era o dia da Rádio.
    Oiço rádio todos os dias. É uma
    companhia especialmente para pessoas
    que estão a trabalhar e ao mesmo tempo
    ouvem notícias, e ouvem dos programas
    de entretenimento, também participando.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Oiço rádio
    De segunda a sexta
    e também ao sábado
    Antena 1
    Música é ao Domingo
    tocando baixinho
    para não perturbar a cavaqueira
    pois é dia de juntar
    ao jantar
    a família inteira

    ResponderEliminar
  6. Admiro muito a nossa rádio, exatamente por essa proximidade. É uma companhia para muita gente mais solitária. A TV não as anima, o som de vozes na rádio, sim.

    Vivo no UK e agora no trabalho têm sempre uma rádio a tocar. Nada tem a ver com a nossa. Existe sim, um "acompanhamento" de público e locutores, mas é com intuito comercial. Os locutores transmitem concursos e falam das mesmas quatro ou cinco notícias o dia inteiro. Aqui só consigo sintonizar umas seis rádios - não há mais. A de nome Heart é a mais popular. Está sempre a oferecer múltiplos concursos, seis, sete, dez, para o qual tens de enviar um SMS com o custo de uma libra e meia mais o custo da operadora por um sms deles. Os sorteados falam com os locutores com alguma intimidade, por lhes conhecerem o nome e sentirem-se feliz por terem sido contactados - mas não há discos pedidos. Não há número GRATIS ou NORMAL para pedir essa música. A rádio passa as mesmas 12 canções em loop o dia inteiro. De quatro em quatro músicas, volta às promoções do mês. Geralmente bem boas.

    No mes de janeiro TODOS OS DIAS davam até 20.000 euros a uns tantos ouvintes que adivinhassem música em velocidade muito rápida ou muito lenta em apenas alguns segundos. Era 7.000, 10.000 e também 20.000. O valor mais baixo que escutei foi 500 libras. Agora estão a sortear 5.000 mas só uma vez, para uma pessoa. A tentação é grande mas, numa cidade cheia de etnias, reparei que todos aqueles que são contactados são britânicos puros. Fico a pensar na legitimidade do tal sorteio.

    Enfim...
    Eu tive uma experiência numa conhecida rádio e posso dizer que, embora algumas pessoas lá se aborrecessem eu ADORAVA escutar a pessoa que se deu ao TRABALHO de ligar só para dizer que gosta bastante de nos ouvir, que nós somos a sua companhia. Encontro nisso a tal ligação de que falas e fico comovida. Acho que é meu dever escutar aquela pessoa, fazê-la sentir-se bem por partilhar a sua alegria. E não "despachar" com palavras de agradecimento, porém, também de transtorno. Ela nos honra por ser "nossa" ouvinte. E mais ainda por o fazer com agrado.

    Há pouca gente que se importa. E poucas pessoas que se dão ao trabalho de ter esse gesto.

    Fico feliz que seja ouvinte de rádio.

    ResponderEliminar
  7. Ouço rádio quase só no carro. Rosa.

    Como não ando de carro todos os dias...

    ResponderEliminar
  8. SEMPRE, foi e é um fiel companheiro no dia a dia.
    Tudo começou, lá em Pedras Rubras, quando a minha avó resolveu comprar um radio. Então lá para o Norte éramos assíduos ouvintes da "A voz dos ridículos" "Teatro Tide" e os desportivos, se o ,eu avô optava por isso, ou o meu pai. Música, muita música, com predominio dos fados.
    Hoje tenho família vinculada ao muando do radio e falamos do hoje e do então desse interessante meio de comunicação.
    Gostei desta ideia tua!
    Um grande abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  9. O rádio faz parte do meu dia a dia. Fica um vazio quando não o ouço....
    Bom fim de semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  10. Para quem ainda aqui voltar informo que José Matos Maia foi um conhecido locutor da rádio portuguesa que teve, entre vários programas, "Quando o telefone toca", na Antena1!

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Tinha-me esquecido de "googlar" esse senhor. Desse programa já me lembro. Obrigada, L.

    ResponderEliminar
  12. Refere, e muito bem, a importância da rádio, que não perdeu o seu valor e se encontra bem disseminada por todas as regiões, cumprindo o papel a que se destina e que tão bem explicou.
    Enorme abraço.
    Juvenal Nunes

    ResponderEliminar