sexta-feira, setembro 30, 2022

sexta-feira, setembro 23, 2022

Novo Ano Letivo

Sempre que chega o início das aulas vem-me à memória um conto de Trindade Coelho presente no seu livro "Os Meus Amores" e que reflete as técnicas de ensino da época. Para a Escola No velho casarão do convento é que era a aula. Aula de primeiras letras. A porta lá estava, com fortes pinceladas vermelhas, ao cimo da grande escadaria de pedra, tão suave que era um regalo subi-la. Obra de frades, os senhores calculam...Já tinha principiado a aula quando a Helena entrou comigo pela mão. Fez-se um silêncio nas bancadas, onde os rapazes mastigavam as suas lições e a sua tabuada, num ritmo cadenciado e monótono, cantarolando. E ouviu-se então a voz da Helena dizer para o Sr. Professor, um de óculos e cara rapada, falripas brancas por baixo do lenço vermelho, atado em nó sobre a testa. - Muito bons dias. Lá de casa mandam dizer que aqui está a encomendinha. - Oh! Oh! A encomendinha era eu, que ia pela primeira vez à escola. Ali estava a encomendinha! Trindade Coelho foi um defensor esclarecido e sincero dos direitos do povo com que leal e francamente se identificava. Suicidou-se em 1909, facto que desconhecia. Também eu fui no domingo fui levar as minha duas encomendinhas a Lisboa, ao pai, para o novo início do ano letivo.

sexta-feira, setembro 16, 2022

Monarquias

Há dias, quando passava por um canal generalista, deparei-me com um comentador que se manifestava sobre o papel das monarquias em certos países. Segundo ele, desempenhavam um papel aglutinador, uma espécie de cimento nos países formados por várias nações. Deu como exemplo o Reino Unido, a Espanha e a Bélgica que já se teriam desagregado sem esse tal papel da monarquia. Lembrei-me ainda dos festejos dos duzentos anos da independência do Brasil e da opinião expressa na altura por outro comentador sobre a unidade do Brasil quando passou a República a partir da Monarquia. O território já estava bem coeso nessa altura. Claro que isto são opiniões, como sou republicana não compreendo que haja famílias ungidas por Deus para estarem acima da escolha dos habitantes do seu país para os governarem. Com um novo rei, novos contextos e novos tempos quanto tempo durará o Reino Unido?

quarta-feira, setembro 14, 2022

Jean-Luc Godard

Recorrendo ao suicídio assistido, faleceu ontem Jean-Luc Godard o cineasta franco-suísso da Nouvelle Vague. Foi um dos realizadores dos anos 60 que me marcou como entusiasta do cinema francês. Lembro-me de ter visto: O Acossado, Pedro, o Louco, Jules e Jim, Viver a Vida, Alphaville, entre outros. Agora, fora algumas séries policiais, neste momento está a passar na RTP2 "Salvar Lisa", pouco se ouve falar francês nos vários canais da nossa televisão.

domingo, setembro 11, 2022

sexta-feira, setembro 09, 2022

Folhas caídas

Neste fim/princípio de ciclo tenho a sensação de que o que me sobra em folhas caídas falta-me em palavras!

terça-feira, setembro 06, 2022

Mar

O insustentável peso do ser sobre as águas!

domingo, setembro 04, 2022

Porque hoje é domingo

António Reis foi poeta e cineasta. Nasceu a 27/8/1927 e faleceu a 10/9/1991

terça-feira, agosto 30, 2022

Barcos na noite

Sempre que tiro uma foto deste género me lembro do poema de Manuel da Fonseca: Milhões de barcos perdidos no mar! Perdidos na noite! ................................. ................................ Quem vem acender faróis na costa do mar bravo?! Quem? Estes não estão perdidos mas nada a fazer, é sempre este poema que me ocorre, embora a foto não ajude nada!

sábado, agosto 27, 2022

Mar

Para mim o mar é um livro aberto que vai mudando de página de acordo com as horas do dia, por isso nunca levo qualquer livro para a praia.