segunda-feira, maio 20, 2019

Tempo

Na casa reina o silêncio quebrado pelo tic-tac dos muitos relógios espalhados por todas as divisões e todos desacertados, vive-se aqui um estranho tempo de desconserto.
Às vezes os gatos miam e eu agradeço-lhes a companhia!

quinta-feira, maio 09, 2019

Natal em Maio

Seis amigas andaram meses a adiar o almoço de Natal por razões simples, complicadas e graves, mesmo gravíssimas.
Ontem, finalmente, foi possível juntar Lisboa, Pombal, Fátima e Leiria, em Leiria.
E o Natal aconteceu porque houve um almoço excelente, um ambiente de boa disposição apesar das queixas de seis seniores, seguidas de gargalhadas, troca de prendas...só eu não levei nada e muito para contar em pouco tempo, daí termos que falar todas para o monte.
Ontem não houve silêncio, ontem foi Natal para seis amigas!

terça-feira, maio 07, 2019

Desabafo



Descobri que hoje se assinalava este dia.
Afinal ando a assinalá-lo há muitos dias!

quarta-feira, maio 01, 2019

Maio, maduro maio



Desejo a todos um bom 1º de Maio!

terça-feira, abril 30, 2019

Papoilas



E não é por eu andar enrolada no tempo como numa manta de retalhos que as papoilas deixaram de crescer "como grito vermelho num campo qualquer."

quinta-feira, abril 25, 2019

Sempre



Hoje não o trago ao peito mas trago-o no coração!

segunda-feira, abril 22, 2019

Começar de novo

Caros Amigos

Pelo FB foi fácil alguns deduzirem que a normalização que eu desejava no dia 5 não tinha acontecido.
Infelizmente o meu companheiro de 50 anos de casamento, feitos em Dezembro, partiu no dia 6.
E como sinto um certo pudor e alguma dificuldade em avançar com mais informações fico-me por aqui porque também não é preciso mais.
Agradeço a todas e todos as palavras afectuosas e solidárias que me enviaram.
E agora vou começar a visitar-vos!

sexta-feira, abril 05, 2019

Desabafo

Por aqui não se estão a viver dias alegres nem fáceis, daí a minha ausência.
Espero que tudo possa normalizar.
Tudo de bom para vós, caros amigos!

quinta-feira, março 21, 2019

Mar

No Dia da Poesia escolhi um poema de Sophia de Mello, no ano do centenário do seu nascimento.



Mar

I

De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

(Poesia I, 1944)

quarta-feira, março 20, 2019

Travessia



Nem sempre o caminho está assim tão iluminado e a deixar-nos ver o destino da travessia!