sexta-feira, maio 14, 2021

Primavera


 À procura de uma legenda!

quinta-feira, maio 13, 2021

13 de Maio


 Independentemente das convicções religiosas de cada um, esta é uma data incontornável no calendário de milhares de portugueses e estrangeiros. 

No ano passado estava confinada em Lisboa e nada vi mas este ano dá para me aperceber do vazio que se apoderou duma terra sempre cheia de multidões nesta data.

Não há carros estacionados à minha porta, a espécie de "hostel" que funciona na vivenda da frente não recebeu nenhum hóspede, na "2 ª circular" que passa mesmo ao fundo da minha rua não há qualquer movimento.

Nesta santa terra que vive do turismo religioso em cerca de 90% , sobretudo de grupos de estrangeiros que ainda não têm permissão de voar, este ano com a limitação de 7500 peregrinos impostos pelo santuário no seu enorme recinto ainda não dá para os comerciantes e hoteleiros respirarem.

Eu estou afastada da depressão em que a terra está mergulhada mas não deixa de ser um drama para centenas de residentes e de habitantes das freguesias em redor que aqui têm o seu sustento o que também me tem preocupado por ter amigos e conhecidos nestas circunstâncias.

Penso que a maioria dos meus visitantes já sabia que eu vivo em Fátima, concretamente há 51 anos.

 

segunda-feira, maio 10, 2021

Eu, proprietária








 


 

Por razões que já conhecem tive que assumir o papel de cuidadora de alguns terrenos que me estão a dar que fazer.

Encontrar alguém que limpe, corte, pode e queime não é tarefa fácil nem barata.

Quando encontramos alguém, pagamos o que nos pedem e ainda ficamos agradecidos.

São propriedades que foram bem cuidadas e que produziram azeite, fruta, batatas, milho mas que estavam ao abandono nos últimos anos.

Pode ser que para o ano o meu olival produza o azeite maravilhoso que dava no tempo dos meus avós e do meu pai.

Não me admira que a pequena e média propriedade esteja abandonada com o envelhecimento dos seus donos e o custo da mão de obra.

E é uma pena!

terça-feira, maio 04, 2021

Céus de Lisboa


 O ritual cumpriu-se e fui até Lisboa para estar com o meu filho. À noite chegaram os netos e o serão já foi a quatro.

Se da minha casa não vejo o nascer nem o pôr do sol, em Lisboa tenho o privilégio do poente.

E como eu gosto destes tons que me aquecem a alma bem como da companhia dos rapazes!

sábado, maio 01, 2021

Clube de Leitura


 Na 5ª feira foi dia de reabertura do Clube de Leitura.

Era este o livro que tínhamos para análise e discussão.

Raduan Nassar, brasileiro, estreou-se no seu país, em 1975, com esta obra. Em 2016 recebeu o Prémio Camões.

É uma narrativa de ressonâncias bíblicas onde a frase "Estamos sempre de regresso a casa" nos reenvia para a parábola do filho pródigo mas também pode ter outras interpretações.

Todas as intervenientes salientaram a excelência do discurso marcadamente poético e com o predomínio do monólogo interior.

Mas mais do que a discussão à volta desta Lavoura Arcaica onde a terra, a casa, a família sentada à mesa também desempenham um papel de personagens, o que soube mesmo bem foi o reencontro depois de três meses de ausência. 

quarta-feira, abril 28, 2021

Blogosfera

 Bom dia!

Alguém está com dificuldades em comentar a nossa amiga Teresa, do Ematejoca?

Eu não estou a conseguir, não sei o que se passa!

segunda-feira, abril 26, 2021

E Depois Do Adeus





Esta será uma canção que me trará sempre lágrimas aos olhos e um sorriso aos lábios!
A senha que iniciou o Dia da Liberdade!

quinta-feira, abril 22, 2021

Abril


 Grito vermelho numa manhã de Abril!

terça-feira, abril 20, 2021

Passarada


 À medida que as pessoas se foram afastando os animais foram-se aproximando.

Dantes a passarada limitava-se a vir comer e beber no quintalório e depois esvoaçava para longe mas sempre pelas traseiras.

Agora, mesmo comigo por perto, as rolas passeiam-se no muro e balançam-se nos fios do lado da frente, juntamente com melros e pardais.

sábado, abril 17, 2021

Olhares


 Roselhas ou estevas, conhecem?