terça-feira, janeiro 16, 2007

Retrato ao fundo do quintal

Moram ao fundo do quintal entre uma pereira, uma nogueira e um muro pintado de branco.
O mais velho olha em frente, com postura de patriarca. A sua companheira de tantos anos, a seu lado, repousa uma das mãos sobre o ventre, no jeito de quem protegeu muitas maternidades.
Os mais novos rodeiam o casal e encaram a objectiva com sorrisos fraternos e olhares confiantes num futuro que não adivinham.
São onze e serão sempre onze, aconteça o que acontecer!
Moram ao fundo do quintal e assim ficarão para sempre eternizados dentro de uma moldura!

5 comentários:

migvic disse...

È uma adivinha ?

Ida disse...

Buááááa'! Cadê o retrato??? Tá muito enigmática e avara a Sra dos ventos e dos gatos, ultimamente. Avara das lindas imagens com que nos costuma brindar. Agora, parece, é só fazer imaginar. Beijos.

PS: O sul anda cada vez mais búrbio, de meter medo!

Esplanando disse...

Acho que sei qual é! :-)

Rosa dos Ventos disse...

A fotografia não ficou famosa (como é habitual) mas aqui vai ela para "Migvic" e para a Ida.
Será esta, Esplanando?

Lamento que o teu "sul" esteja cada vez mais "búrbio", cara Ida!
As más notícias correm depressa.
Um abraço solidário

Anónimo disse...

Gostei muito!
Chefe