quarta-feira, setembro 27, 2006

Ronda de três caminhos

1. Tem os olhos fechados, a boca aberta num trejeito de dor, um braço erguido acima da cabeça, é jovem, bonita, veste um casaco rosa e jeans.
"Canta" o triste fado dos desempregados de Nelas e Portalegre!
Considero os empresários destas multinacionais uns criminosos e o Governo ( este e todos os outros )frouxo face à fuga de quem, a maior parte das vezes, recebeu, de mão beijada, terrenos e empréstimos a baixo juro, além de se terem comprometido a X anos de laboração.

2. A PJ criou "um corpo especial" para "atacar" a corrupção nas autarquias, no desporto e na administração central.
Só agora porquê?
Como sou crédula estou ansiosa para ver os resultados.
E já agora não se esqueçam dos corruptores.
"Tão ladrão é o que vai à vinha como o que fica de fora".

3. Uma criança morreu e outra está em perigo de vida. Andavam a brincar junto da linha ferroviária de acesso aberto.
Não se pode pedir responsabilidades a crianças de 4 e 5 anos.
Toda a culpa deve recaír sobre a Refer devido à sua imperdoável actuação.
Agora é que vão a correr fechar o acesso.
Quando uma criança morre ficamos todos de luto pelo futuro que não chegou a haver.
Mas quando essa morte podia ser evitada também a revolta se apodera de nós.

5 comentários:

marakoka disse...

a revolta ...a luta ...sempre...
jocas maradas

zambujal disse...

A ronda podia ter outros caminhos, tantos caminhos... Mas todos os caminhos nos levam à responsabilização de políticas (e não de políticos... que estes, muitos e muitos destes, só as servem) que privilegiam em absoluto interesses privados, egoístas, contra o interesse colectivo, isto é, da colectividade que somos todos nós.
E está nas nossas mãos! Tem é de passar pelas nossas consciências. Para isso, é indispensável a informação, a comunicação: rosas dos ventos, pedras contra canhões (falo, agora, de informação!),etc. na denúncia da desinformação manipuladora ao serviço de.

Desabafei, pronto!

Acacio Paiva disse...

O Rumo dos Trajectos Humanos nem sempre é compreensível, aos olhos de comuns mortais, que encaram a seriedade e o valor dos valores como essenciais.
Naturalmente, que todos os outros, fazem o dia a dia, sem olhar a meios, sem olhar aos princípios, sem olhar às regras de vida, fundamentais para uma sociedade justa.
Onde nos encontramos (Rosa dos Ventos e Acácio Paiva)? Talvez entre os sonhadores que teimam em cumprir. Talvez entre aqueles que não desistem. Talvez entre aqueles que são felizes, à sua maneira...

O Gato Preto disse...

Que raio de estratosfera é esta onde estão a navegar?
E os pais????
Os pais não estavam a cuidar de crianças????
Com 4 e 5 anos?????
Beijinhos.

Rosa dos Ventos disse...

Provavelmente estavam a trabalhar!
Claro que crianças daquela idade não podem nem devem andar na rua sozinhas, mas o que é um facto é que andavam.
Mas não passariam para a linha se o acesso estivesse fechado!

Gosto do nick name, até tenho um gato preto que faz a vida negra às
duas gatinhas que vivem com ele...

Não sei quem és, mas beijinhos também para ti!