quarta-feira, outubro 15, 2008

Poema

O céu azul de luz quieta.
As ondas brandas a quebrar,
Na praia lúcida e completa -
Pontos de dedos brincar.

No piano anónimo da praia
Tocam nenhuma melodia
De cujo ritmo por fim saia
Todo o sentido deste dia.

Que bom, se isso satisfizesse!
Que certo, se eu pudesse crer
Que esse mar e essas ondas e esse
Céu têm vida e têm ser.


Fernando Pessoa

30 comentários:

  1. Por aqui fui ficando olhando este mar... quase me esqueci do poema...
    Uma beleza para o olhar. Obrigada.

    Um abraço, Rosa

    ResponderEliminar
  2. Hoje não sei qual escolhia, se o mar, se as palavras...


    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. "Que bom, se isso satisfizesse!
    Que certo, se eu pudesse crer
    Que esse mar e essas ondas e esse
    Céu têm vida e têm ser."

    Sim, se se acreditasse que, de facto, esse mar, essas ondas, esse céu, têm ser, quase de certo isso nos satisfizesse mais do que vivermos sem acreditar. (Será por isso que é importante acreditar(?))
    Abraço, Rosa.

    ResponderEliminar
  4. Já tenho saudades e estou quase a passar um dia inteiro ao pé dele, que gosto muito também nos dias mais frescos mas com sol de Outono.

    ResponderEliminar
  5. e têm...

    claro que o Pessoa, apesar da sua genialidade, nunca deve ter molhado os pés no mar...

    abraço Rosa

    ResponderEliminar
  6. Que fotografia tão bonita!
    Limpa, de céu azul, na areia o desenho duma espuma branca quase imaculada; no fundo um tudo absorvido por um promontório que impõe.

    Como quase tudo o que fez este grande poeta da nossa terra.

    Hoje mais reconhecido que então? Sempre passa o mesmo!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. eu acredito que têm muitas, rosa
    talvez vidas azuis

    um beijo e obrigada pelas tuas palavras
    luísa

    ResponderEliminar
  8. Que bom! Que certo!

    ......

    Que posso dizer mais?

    FP deixa-me sem fôlego.

    Que posso acrescentar?

    Certamente, NADA!

    ResponderEliminar
  9. Tenho um prémio para lhe oferecer.

    Muito bons dias.

    ResponderEliminar
  10. Aviso à navegação

    Estou sem acesso à net, este aviso está a ser feito a partir da biblioteca pública onde tive que vir consultar a agenda das famosas reuniões das segundas-feiras!

    Abraço

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
  11. O aviso pretendia alertá-los para um silêncio mais prolongado da minha parte!
    É que podia alguém ficar preocupado... :-))

    Abraço

    ResponderEliminar
  12. ... mas olha que é bem verdade, que já experimentei ir até à praia ao fim do dia -num destes dias de Outono sem as gentes sequiosas de banhos e sol, e ouvi perfeitamente a melodia de que falas. Ainda agora a estou a trautear, não ouves?

    abraço.

    ResponderEliminar
  13. Então venho de outro blog que eram ondas, venho aqui e são mais ondas, e o legível de ondas curtas...ai este incorrigível legível!
    Um piano na praia é muito cool. Uma Fashion Week e música de Haendel, optimíssimo, querida!
    U beijinho.

    ResponderEliminar
  14. :)

    E o bem que esta praia me saberia... mais do que o piano!

    *

    ResponderEliminar
  15. É bom saber:)

    Bom fim-de-semana*

    ResponderEliminar
  16. E o quê satisfaz, Rosa dos Ventos? Não sei.

    ResponderEliminar
  17. Belo poema de Pessoa homónimo, um dos meus poetas predilectos.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  18. Fui ao Porto
    o tempo voou
    a chuva não ajudou
    mas eu senti o Outono
    pelas ruas da cidade.

    Arrastava folhas secas
    e eu soube
    que tinha chegado de mansinho
    para não assustar ninguém.

    Pombas nas árvores
    escondidas
    cores vivas nos ramos;
    Trazia memórias
    de céus carregados
    de nuvens.
    Foi bom...eu adorei!

    Bom domingo.

    ResponderEliminar
  19. Se quisermos crer, têm por certo.


    ;)***

    ResponderEliminar
  20. Esse mar tem vida e tem ser!! E beleza, muita...
    Beijo e saudades!

    ResponderEliminar
  21. Boa foto a condizer com o poema
    Saudações amigas

    ResponderEliminar
  22. os poetas são seres inquietos, em permanente interrogação...

    (dei uma vista de olhos à foto, no post anterior. belo cesto de pinhas! posso lá dormir uma soneca?)

    marradinhas e ronrons

    ResponderEliminar
  23. vim saber se está tudo bem por cá!

    deixo um beijo, rosa

    ResponderEliminar
  24. Tudo tem a vida e o ser que a imaginação consegue fazer nascer.À beira-mar, à beira-rio, à beira- prado, à beira- sonho...

    ResponderEliminar
  25. Os meus agradecimentos a todos aqueles que continuaram a visitar-me apesar da quase indisponibilidade para retribuir!

    Abraço

    ResponderEliminar