quinta-feira, julho 29, 2010

De degrau em degrau...


De degrau em degrau, agarrados à corrente...

30 comentários:

Maria disse...

Em Sortelha, se a minha memória não me falha...

Um abraço.

trepadeira disse...

Parecem as grilhetas com que querem acorrentar os escravos.
Cordial abraço,
mário

R. disse...

E tão magnifica e intensamente iluminados, que quase ofuscamos!

L.O.L. disse...

Não deixa de ser curioso o uso de uma corrente como substituta de um corrimão.

Novo Post Aqui

Isa GT disse...

Sorte ter uma corrente porque em miúda subi, muitas, sem apoios nenhuns, quando ia à terra do meu avô, de visita às tias e primas.
Hoje ainda parece que estou a ver uma tia que na altura tinha uns 80anos que subia umas escadas como esta,sem qualquer corrente ou corrimão, mas que era mais despachada do que eu ;)
Bjos

Anónimo disse...

Admirada com o engenho de usar uma corrente bem grossa como corrimão por dificuldade de fixar outro material numa tal parede,e a pensar no desgaste dos degraus.Quem os usou ou usa?Gente vigorosa de cestas de horta ao ombro?Crianças aos pulitos num vai-vem de jogo?Alguma velhinha com crias do curral enregeladas ao colo em busca do calor da lareira?
Ou ainda casais de namorados sentados em gargalhadas marotas? Kincas,

H.B. disse...

Bonitas escadas . Qualquer aldeia transmontana tinha escadas dessas , mas a corrente ... nunca tinha visto .
Não gosto de correntes , fazam-me lembrar as grilhetas ...

Rui da Bica disse...

Que belo corrimão ! :))
Curioso que ainda há pouco tempo subi umas escadas do género, mas no lugar da corrente era um arame grosso :))
A mesma utilidade, mas muito menor belesa !
bjs
.

carol disse...

Corrimão bem original! Uma sexagenária já não sobe nem desce sem esse arrimo...
Bijo.

Tite disse...

Eu que sou apaixonada por Pedras... Salgadas!
Nunca te tinha dito?
Pois sou mesmo natural de lá e tenho uma verdadeira pancada por pedras, casas feitas de pedras, monumentos, ambientes pedregosos e rochedos com alma.
É o que se passa com este pedaço agarrado à corrente.

Beijossssss

Justine disse...

A tua foto fala-me de tempos idos, comidos, vividos. De que nos restam as pedras e as memórias.
Belíssima foto, Rosa:))

goiaba disse...

Fosse o apoio de pedra ou madeira e ficaria mal e carecia de licença camarária ... aí está uma solução bem integrada, de construção mais simples e amovível ! Bem pensado.

mlu disse...

Fotografia linda! E a corrente, que não foi ali posta com intenção de alindar, ou preocupações de estilo, mas tão só de ajudar, faz tudo ao mesmo tempo.

Abraço

Há.dias.assim disse...

é o desenrasque para um corrimão...

AC disse...

Pelo desgaste dos degraus, muito se "acorrentaram" as pessoas ao longo do tempo...
Não tenho a certeza, mas parece-me que este balcão se situa em Sortelha, logo à direita de quem atravessa o arco de entrada na aldeia.
É um bom instantâneo, Rosa dos Ventos!

beijos

Luis Eme disse...

quem diria, que a corrente está lá para nos segurar...

abraço Rosa

Vieira Calado disse...

Olá bom dia!

Vou anexar o seu blog à minha lista de links.

Beijocas

Lilá(s) disse...

Tantas histórias que esses degraus terão para contar...
bjs

Juliana Sphynx disse...

Bela fotografia!

maria mar disse...

Muito bonita a foto, gabo-te o olho para o pormenor. Realmente, parece que a corrente faz parte integrante deste espaço e a casinha está bem tratada.
Bjinho

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Á corrente confere-lhe um aspecto modernista, mas é útl. E já agora, também alegórico em relação ao período em que vivemos

Rosa dos Ventos disse...

O uso da corrente como ajuda só prova que é possível alterarmos as funções de certos objectos.
É tudo uma questão de engenho e arte... :-))

rouxinol de Bernardim disse...

Um corrimão adaptado. Muito funcional.

map disse...

Vou destoar, mas eu não sei se mesmo com a corrente nos safamos...
É que eu já parti duas vezes um pé e não foi em degraus desgastados pelo tempo (o desgaste é o meu).
Claro que nos vamos safar, com gesso ou resina, vai tudo ao sítio. Estou otimista (valha-nos o Acordo!), se calhar também a destoar...

Rosa dos Ventos disse...

Mesmo sem estar de acordo com o Acordo sou obrigada a ser optimista.
Quando se bate no fundo só temos uma hipótese - voltar à superfície! :-))

Abraço, Chefe

bettips disse...

Tanta força nos dá "esta corrente"
de gente que vê e sente
um país
tão diferente!

(olha que reparei que fiz palavras rimadas mas foi assim que me saiu - e é verdade, como os laços, de um, de outro, de comum, de resposta à sede)
Bjinho

Isa GT disse...

Vais tudo melhor por aqui? Espero que sim.
Bjos

Lilá(s) disse...

Quantas histórias terão esses degraus para contar...
bjs

PRECIOSA disse...

Vejo os degraus gastos, enquanto as correntes com estão intactas, bem colocadas, parece-me que sempre serviu com ajuda para o transitar os degraus...Mas não gosto de corrente,..me lembra prizão
Bela foto!
abraços carinhoso.
Sou sua mais recente seguidora...
Preciosa Maria

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Que as correntes não sejam companheiras inseparáveis de nós. Beijos