quinta-feira, outubro 22, 2009

Sábado à tarde, domingo de manhã...

em Ponte de Lima
Duas perspectivas da velha ponte medieval que atravessa o rio.

A ponte começou por ser a continuidade de uma via romana, servindo um dos trajectos mais utilizados entre Portugal e a Galiza. Séculos mais tarde, com a intensidade do "tráfego", surgiu sobre ela uma nova ponte medieval com 18 arcos, três dos quais se encontram, actualmente, enterrados na Praça de Camões.

Guerreiros romanos ainda guardam o rio!


A antiquíssima Rua dos Artesãos.



Praça de Camões, à saída da missa.





Há anos que não via uma cena destas...





E a pedra fez-se música e a música fez-se silêncio...






22 comentários:

Si disse...

Ah, bom, aqui já estamos mais à vontade, Ponte de Lima é dos meus locais favoritos de passeio no fim do Verão, às Feiras Novas, e no início do Inverno às papas de sarrabulho, arroz do mesmo e rojões....

Ai a dieta, meu Deus, a dieta....!!!!

Patti disse...

Adoro! E no Inverno, que está carregadinha de azevinho, coisa tão rara de se ver nos dias de hoje?

Anónimo disse...

Eu sabia que iria gostar deste blog!
Como viajar é do que mais gosto, “passear” aqui convosco dá-me imenso prazer... ainda por cima com guia turístico !
Obgda.
Raquel (RS)

Maria P. disse...

Lugares que apetecem para fotografar:) e passear, claro!

Beijinho*

JPD disse...

Estive em Ponte de Lima há cerca de seis anos.
Gostei imenso.
Acho o Minho lindo.
Vale a pena viajar por lá em qualquer época do ano.
Acolhe bem.

Duarte disse...

A Vila mais antiga de Portugal.
Tradições que não mudam nas terras do Minho.
E o arroz desta terra!
Bonitas fotografias e imensa saudade...

Beijinhos

Rosa dos Ventos disse...

Cara Si
Não apanhei as Feiras Novas mas os arroz e os rojões estavam óptimos.
Falta acrescentar, neste caso, o verde tinto em jarro da casa!
Ai a dieta! - dizes bem. :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Cara Patti da Graça
Não sabia essa do azevinho mas sei que é um arbusto em vias de extinção!
Fui compensada por outros aspectos igualmente dignos de admiração...

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Cara Raquel
Este "convosco" traz água no bico, ou não?! :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Cara Maria P.
Sabes lá as fotos que tirei! :-))
Mas não me atrevo a massacrar-vos com elas todas...

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Caro JPD
Seja o Minho, seja o Alentejo, seja que região for, vale sempre a pena ir para fora cá dentro! :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Caro Duarte
Exactamente!
A vila mais antiga de Portugal, pelo menos é o que nos dizem os documentos oficiais.
Tens razão!
A tradição, por ali, ainda é o que era - um comércio tradicional que me pareceu próspero, as gentes que descem à vila com os seus trajes domingueiros, uma gastronomia não "contaminada" por "modernismos" desnecessários porque os produtos que a terra dá são bem genuínos!

Abraço

Bartolomeu disse...

Parece impossível Rosinha... fotografaste os ex-libris de Ponte de Lima, mencionas a gostronomia e esqueces-te de referenciar aquela tasca típica na ruínha que sai à direita da Praça de Camões... foi por pudor?
;))))))

Anónimo disse...

Não Rosa.
Convosco = com a Rosa e com os seus amigos virtuais!
RS

H.B. disse...

E o queijo limiano ????

Alberto David disse...

Pois é Rosa, hoje não encontrei nenhum poema, falta de jeito talvez, aqui fica a minha sugestão:

Encanada – Ponte de Lima
Em Ponte de Lima, virado mesmo para o rio...
Álvaro Curia 2003-08-05

O Restaurante Encanada é um verdadeiro ex-libris de Ponte de Lima. Não apenas porque se situa na principal artéria da cidade, paralelo ao rio, mas também porque lá se come uma das especialidades da terra, as Papas de Sarrabulho.

A tradição vem de longe: há muitos anos que quem passa pela vila sabe que é no Encanada que se come bem, onde se provam as melhores Papas de Sarrabulho. Arroz malandro, sangue, coentros, alguns temperos adicionais e ingredientes que prefere quem sabe que fiquem no segredo dos deuses. E mesmo que soubessemos quais são, não teríamos o sabor da tradição e o jeito apurado para realizar aquela fantástica iguaria.

O restaurante divide-se por dois andares: cá em baixo, o espaço é de animação, com as mesas dispostas de frente para a conversa, sempre acompanhando a refeição com dois dedos de prosa e o sabor do melhor vinho da terra. Lá em cima, num espaço remodelado há pouco tempo, o cenário muda de figura: abrem-se as janelas e o rio invade as mesas, numa tradicional combinação de paisagem e boa comida.

Não há que enganar: é na alameda de Ponte de Lima onde se realizam as feiras semanais e a Feira do Livro. O espaço recebe de braços abertos, tal como a simpatia e a hospitalidade característicos das pessoas da região. Para falar a verdade, até nos levaram à cozinha, onde pudemos ver a perícia com que são feitas as Papas de Sarrabulho. Tudo temperado pela beleza de saber que estamos numa das mais belas vilas de Portugal.

PS.Rosa, não tenho comissão

legivel disse...

...achei muito curiosa(?!) a foto "à saida da missa" porque me põe algumas questões:

- Os homens sairam primeiro e aguardam as senhoras que estão um pouco mais demoradas?
- As senhoras - mais despachadas - já chegaram a casa e os homens - mais distraidos - nem deram que elas já sairam?
- Os homens não foram à missa ao contrário das senhoras?
- Ou nesse dia nem sequer houve missa?

Abraços, sorrisos e óptimo fim de semana.

Rosa dos Ventos disse...

Quando passei por essa zona, Bartô,andava à procura de casas de traça medieval...
Resultado - não olhei para o nome de tasquinhas.
Mas afinal como é que ela se chama para ter um nome despudorado? :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Caro Alberto
Jantámos e bem na Casa da Alameda na Praça de Camões ou Largo da Feira, como também é conhecida essa praça.
Para a próxima experimento o Encanada.

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Caro Legível
Sabes que hesitei na legenda?
Estive para colocar:
As mulheres foram à missa - uma das hipóteses que colocas.
Aliás, salvo a última, todas as tuas legendas se aplicavam bem à imagem.
Como sempre, bem humorado e bom observador! :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Gosto muito de queijo, HB, mas o limiano não se encontra na minha lista! :-))

Abraço

Vieira Calado disse...

Estas reportagens
são sempre muito interessantes


e comoventes.


Cumprimentos meus