sábado, outubro 31, 2009

Abóboras, bolinhos e....

Não sou fã do Halloween, não é festa do meu tempo de criança, nem sequer dos meus filhos, mas gosto de abóboras.
Abóboras, abóboras, sem caras nem caretas, chapéus e chapelinhos, velas e velinhas dentro!
Gosto delas alaranjadas, amarelas, esverdeadas, gosto delas em doce, em bailarotes e em sopa de feijão.
Sopa de abóbora com feijão branco, cenoura e batata aos pedacinhos, misturados com um refogado de cebola, alho e louro e ainda, suprema delícia, miolos de broa, tudo regado com azeite de 1ª e acompanhado com um bom tinto. Como sobremesa podemos ter nozes com figos secos e castanha assada ou cozida com erva doce.
Do melhor nesta época outonal!
Se não é um pouco pesado?
Claro que é, mas em tempos de crise serve de almoço e de jantar e olhem que não estou a brincar.
Amanhã é Dia de Todos os Santos ou Dia do Bolinho. Por aqui ainda se vê muita criançada a andar de casa em casa a repetir a pergunta tradicional que se perde nos tempos:
- Ó tia, dá bolinho?
E a "tia" dá bolinho, dá umas moeditas, dá nozes, dá figos e fica a sorrir enquanto eles se afastam a contar o dinheiro já recolhido ou a trincar as guloseimas que estão num saco à parte.
Amanhã, pela 1ª vez, por razões de agenda familiar a minha porta não estará aberta todo o dia à espera dos meninos da vizinhança!

19 comentários:

Patti disse...

Sou fã desses nossos pequenos costumes. Que nunca se percam.

Justine disse...

Eu cá os espero amanhã, os bandos de meninos com a sua sacola de pano, feliz com esta tradição linda:))

Pitanga Doce disse...

Bolinhos de abóbora só no Natal. E tem que ser aí.

abraços de cá

Duarte disse...

A mim passou-me o mesmo.
Claro que sim, quando a minha irmã faz uma sopa dessas fico encantado.
Da outra saem esses bolinhos que estão deliciosos. Saudades que mato quando vou ao Porto e a minha irmão começa a cozinhar essas coisas de sempre.

Já estiveram aqui em casa, levaram rebuçados e umas moedas, foram encantados da vida.

Bom fim de semana e beijinhos

Tite disse...

Pois por aqui, pela minha aldeia, é Dia de Pão por Deus e começa agora a colocar-se à porta, umas abóboras decoradas a gosto que eu acho muito simpático pois é barato e mostra a criatividade de cada um.

A criançada é tanta que costumo fazer quase uns 50 saquinhos contendo várias coisas, conforme o ano e a minha disposição; doces, nozes, figos, castanhas com algo mais colorido a alegrar os saquitos.

Claro que não faz parte do meu imaginário infantil simplesmente porque vivi sempre em Lisboa e aí esta não faz parte das tradições.

Idun disse...

pois, a Humana também preparou presentes para as crianças que vieram pedir "pão por Deus".
e mais não digo, que ainda estou toda baralhada com as emoções que experimentei na passada quinta-feira.


marradinhas afectuosas

Teresa disse...

Rosa das saias! :)

Com tantos dotes culinários e mentora de bons costumes... Creio que vamos mas é almoçar a sua casa! :D

Docinho de abóbora? Tem uma receitinha fofa e saltitante para ser feita com 27 "bolas pinchonas" a fazer barulho? Ando de roda de receitas dessas, queremos fazer na sala de aula um doce de Outono!

Halloween! Ainda que não seja uma tradição particularmente nossa, a criançada já aderiu e há que ir na moda! Há um ano os vizinhos pequenotes apareceram assustadoramente vestidos de fantasminhas! Este ano não estive, mas deixei na porta 3 saquitos com doçuras! E não estavam quando cheguei!
No entanto, estive num canto rural do nosso país, onde não havia criançada vestida urbanamente de fantasminhas! Eram crianças lindas, com a cantilena da "Tia, dá bolinho...!" :)
Não tinha doçuras! Levou €1 cada uma! :)
Beijo, Rosa das saias a dar a dar!! E agora com o vento... Ui! :D

Beijo estrelado*
Fique bem!

Bartolomeu disse...

Inda malembro quando era puto, ir com outros, de porta em porta pedir "o Pão-por-Deus".
Era uma festa, mais pela surpreza das "dádivas" do que pelo valor das mesmas, até porqueu era mais... chocolates, os figos e bolachas, etc. distribuía-os logo pelos outros putos.
;)))))

Luis Eme disse...

isso não se faz à crianças da tua zona, Rosa...

abraço

JPD disse...

O Halloween é um ganho recente no nosso calenário de festas.

Ao ser adoptado, acabou por constituir-se em mais uma oportunidade para que haja divertimento.

Gosto de abóboras, mas na panela e no prato.

Sou muito mais guloso do que Halloweener!

Anónimo disse...

E correu bem o teu "dia do bolinho" Por outras paragens?

Abraço.

Teresa disse...

O anónimo sou eu! Teresa

Rosa dos Ventos disse...

Cara Teresa das Estrelas
Quando me vejo em dificuldades vou ao livro da Maria de Lurdes Modesto "Cozinha Tradicional Portuguesa".
Encontrei aí uma receita de panquecas de abóbora que talvez não seja complicada de fazer com os 27 "ajudantes de campo", pelo menos até à parte da fritura.

500gr. de abóbora menina já descascada;
500gr. de farinha de trigo;
1 ovo (facultativo);
óleo para fritar;
açúcar e canela

Coze-se a abóbora em água e sal e depois escorre-se muito bem. Deita-se a abóbora ainda morna numa tigela e esmaga-se.
Adiciona-se a farinha a pouco e pouco, mexendo muito bem.
Se se juntar o ovo é nesta altura.
A massa não deverá ficar mole, mas se estiver demasiado dura junta-se um pouco de água da cozedura da abóbora.
Frita-se a massa às colheradas em óleo bem quente, deixando alourar dos dois lados.
Servem-se ao lanche, polvilhadas com açúcar e canela.

Bom apetite

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Cara Tite
Essa de seres tu a fazeres os saquinhos e a dá-los repletos de iguarias está o máximo.
À tua porta dizem as crianças:
- Ó tia, dá bolinho no seu saquinho!

:-))

Abraço

Tite disse...

E não é que costumo ter montes de gente à porta!!!!
Agora até os bebés veem nos carrinhos puxados pelas mamãs (menos abastadas) que não querem perder a hipótese de levar algo mais aconchegante para o final das refeições.

Não faz mal, eu gosto de criar bons hábitos.

Já habituei as minhas netas e os netos das minhas amigas a procurar doces vários entre as flores e arbustos do jardim pela altura da Páscoa. Agora perguntam sempre à família se ou vou lá nessa quadra para saber se há presentes escondidos.

Não é giro?

Abreijos

Rosa dos Ventos disse...

Oh, se é!
Se eu tivesse netos ia com eles ao teu jardim, na Páscoa! :-))

Abraço

Tite disse...

Se tu tivesses netos...

Não faz mal, podes vir quando os tiveres.

Eu espero. Sou paciente.

Beijos amiga

Oliva verde disse...

Também gosto mais da abóbora no prato! Em sopa, compota ou bolinhos fritos faz-me lembrar que o Natal está a chegar!

bettips disse...

São eloquentes, quentes como sóis, as abóboras. Também me apetecem, tal como me apetece uma parede caiada para as colocar em cima...