terça-feira, outubro 06, 2009

Artista sofre

Pois o meu fim-de-semana foi passado na Galiza, mais concretamente em Ourense e seus arrabaldes com o Chorus Auris onde sou contralto, como já o disse em várias ocasiões.
A convite do Auria Canta de Ourense deslocámo-nos até lá para participarmos no seu 8º Festival Internacional de Música e Canto Coral que decorreu de 5 de Setembro a 4 de Outubro.
Devido ao atraso com que chegámos à cidade, houve apenas tempo de largarmos a bagagem no hotel, de seguirmos para o Auditório Municipal onde nos fardámos e depois em passo de corrida fomos para a Igreja de Santa Eufémia onde acompanhámos a celebração da missa com outros coros galegos e um de Mieres, nas Astúrias.
Nova corrida pelas ruas da cidade, já de noite, para o concerto no referido Auditório, concerto esse que terminou tardíssimo mas onde, sem sombra de dúvidas e mais uma vez, fomos o melhor coro português, modéstia à parte.
Finalmente lá conseguimos chegar ao local onde jantámos todos em conjunto. Costuma ser durante e após o jantar que se estabelecem contactos informais entre os coralistas que sem qualquer ensaio prévio se brindam entre si com peças do seu repertório não ouvidas anteriormente.
Cantámos "A Senhora de Aires", música tradicional alentejana, "Cajuína", música brasileira e terminámos com o nosso sempre conseguido "Acordai". Espero, ardentemente, que tenha sido ouvido em Ourém...
Chegámos ao hotel já perto das duas da manhã.
Como podem ver não me foi possível tirar fotofrafias em Ourense, cidade com um belíssimo centro histórico e que já conhecia.
No dia 4, às 9,30, já estávamos a caminho de Muiño, localidade inserida na Serra do Xerês e onde iríamos acompanhar uma missa, de novo.
Parámos em Celanova, uma pequena vila onde existe um Mosteiro Beneditino que tem uma igreja que é um assombro de beleza e de riqueza.
Aqui estão depositadas as relíquias de S. Rosendo, santo natural de Braga.
Na impossibilidade de tirar fotos lá dentro aqui vos deixo dois aspectos do exterior.
Candeeiros ao lado do Mosteiro...


Parte do claustro...

De regresso ao autocarro mais uma etapa até Muiño com esta bela paisagem a acompanhar-nos.


O campanário da minúscula capela onde cantámos, quer dizer onde cantámos no exterior, por manifesta falta de espaço.



A nossa maestrina de kispo branco e a Maria del Carmen do Auria Canta espreitam por uma janelinha para saberem quando é que devíamos entrar em "cena".
Até acabou por ser divertido!




Depois de tanto cansaço, de tanto tempo de pé, pudemos saborear um apetitoso almoço à beira deste lago.
E agora não me digam que artista não sofre!...





22 comentários:

Si disse...

Por alguma vez os ventos haviam de soprar ao contrário - de Portugal para Espanha - e mostrar aos 'nuestros hermanos' de que fibra somos feitos, nem que seja através de uma 'contralta' com o Norte bem afinado... ;)
Beijinhos

sendyourlove disse...

sofre... mas quem corre por gosto não cansa...

Abraço

Oliva verde disse...

Lá sofrer, deve sofrer mas por causas assim, vale a pena, com certeza! Parabéns!

Justine disse...

Sofre mas também se diverte! Não o negues,ó artista:))

tsiwari disse...

Desses sofrimentos quero eu muitttttooooooossss.....


:)***

bettips disse...

Gosto destas deambulações que cantam e vêem.
Bjinho e parabéns!

Patti disse...

Adoro a Galiza e adoro coros; cantei num durante 10 anos e guardo muitas e muitas saudades.

Tite disse...

Que giro!!!
A minha actuação mais famosa em coros, teria aí uns 10 anos e foi para cantar num encontro de "cruzadas" para o Cardeal Cerejeira.

Depois... já reformada, numa acção concertada com "as jovens avós" da minha aldeia, com vista à angariação de fundos para uma excursão à Expo e ao Oceanário com almoço no Chimarrão que ainda hje é recordada por todos.

Agora gostaria de tirar uma dúvida Rosa. A cidade é Ourense ou Orense?

É que Orense conheço e é uma cidade importante daquela província Espanhola.

Alberto David disse...

Artista sofre e muito, mas quando se ama o que fazemos e isto é o que importa, a Arte passa a ser o seu forte!

Rosa dos Ventos disse...

Cara Tite

Escreve-se Ourense em castelhano e Orense em galego!
Foi esta a explicação que me deram uma vez que eu conhecia esta cidade como Orense.

Abraço

Tite disse...

Obrigada pelo esclarecimento.
Eu só conhecia o nome ao vivo e a cores, na própria Galiza, através das tabuletas de indicação de estradas e da entrada na própria cidade.

greentea disse...

Orense ... conheci há muitos anos alguém q passava a vida em Orense ...
coisas de outros tempos ...

Barbara disse...

Sofre.
Mas em compensação, quem canta seus males espanta.

Anónimo disse...

Oh! de contente te dói um dente!era assim que minha Mãe me dizia quando percebia que eu me lamentava de algo que tinha apreciado,mas não queria confessar.
Abraço Kinkas

Luis Eme disse...

sofre sempre, mesmo que seja só "lá por dentro"...

mas depois tudo é "superado" e a alegria vence a tristeza e coloca debaixo do tapete o que correu mal...

abraço Rosa

fj disse...

quase..quase nos encontrávamos...ia ser giro ía!!! eheheh!!

um abraço

Rosa dos Ventos disse...

Isso era preciso que eu te tirasse pela pinta, caro FJ! :-))


Abraço

goiaba disse...

Artista sofre mas, se correu bem a apresentação, valeu a pena. Parabéns.
Abraço

Sam Seaborn disse...

Fotografias fantásticas, Fica a ideia de um grande fim-de-semana, obrigado pelas imagens, dá sem dúvida vontade de visitar.

gotico disse...

Boas

Também tenho muitas saudades vossas
e aqui no coração e nos pensamentos tens o teu logar.

Um beijo grande, estou cheia de saudades dos brincos e do casaco branco. Aquele casaco branco

Rosa dos Ventos disse...

O casaco branco ficar-te-ia largo, tu que és uma jovem elegante!
Aparece!

Abraço

Arabica disse...

Pois, pelos vistos artista sofre, diverte-se, fica a 1000 com a adrenalina própria dos eventos e acaba sentado junto a um pacifico lago :)) Nada mau :)
Isso é que foi trabalhar!

:)

O mosteiro é belissimo!
E essa paisagem azul e verde ...ai!!... :)