sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Estrelas Cadentes



Sabem a sal as estrelas cadentes
Que sulcam o meu céu
Mas, por instantes, deixam um traço de luz
Na escuridão da memória!

23 comentários:

Pitanga Doce disse...

Não te esqueças de fazer um pedido, quando as vires. Ainda que te saibam a sal, minha amiga.

beijos pitangueiros.

Justine disse...

Pungente, o teu grito poético. Belíssimo, como só o que vem dos afectos!
Um beijo especial para ti

flor de jasmim disse...

A Lua diz que todas as noites as estrelas se vestem de luz brincam de mão dada e procuram um sitio do céu onde possam ver a terra e um sorriso teu.
Beijinho

Sonhadora disse...

Gosto de olhar o céu e contemplar as estrelas numa noite de verão.
É belo o teu poema salgadinho. Gostei de te ler.
Passa lá pelo meu canto e verás que o enigma está facilitado.
Beijo

goiaba disse...

Há dias que não vinha aqui e ... fiquei a saber da tradição da Senhora das Candeias que não conhecia. Se soubesse tinha aproveitado a fazer filhozes ... por aqui tem de haver "razões" para fazer doces!
Abraço

carol disse...

E eu que nunca vi uma estrela cadente... Sou uma triste!

mlu disse...

É lindo o poema, digno das estrelas cadentes que o inspiraram!

Bom fim de semana!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há muito tempo que não vejo estrelas cadentes. Quem sabe se este fds, lá pelo Guincho do meu Rochedo não terei essa sorte?
Bom fds

Rui da Bica disse...

Isso é poesia linda, Rosa !
.

Catarina disse...

Manifestaste um desejo, certo?
Pergunta retórica. Bom fim de semana.

Isa GT disse...

Fiquei com água na boca, só de imaginar as cornucópias da Pastelaria Alcôa mas quanto às estrelas cadentes... quando penso que são meteoros que passam pela atmosfera terrestre, vai-se o encantamento e fica o respeitinho... porque se não se desintegrarem e fizerem o brilharete da chamada estrela cadente... só espero que caiam bem longe, em sítios não habitados como, felizmente, já aconteceu.

Bjos

Duarte disse...

Breve, mas belo. Grande este dizer...
Abraços

Maria P. disse...

Sabes dizer...

:)Beijinho*

Nina disse...

Lindo!
Sorri.
Deixam mesmo um traço de luz e relembram-nos os tempos de criança.
Ainda hoje adoro olhar as estrelas e vou ao rubro quando observo uma destas meninas.:)
bji

Tite disse...

Curioso... tirando o lado profundo da poesia (que compreendo), nunca me ocorreu tomar o sabor às estrelas quando caiem.

Bom FdS

Rui Pascoal disse...

Instantes luminosos intermitentes e mágicos também os tenho da minha infância não de olhar as estrelas, demasiado altas não se deixavam agarrar, mas dos pirilampos que apanhava e colocava dentro de um copo. No dia seguinte, infalivelmente, uma moeda de cinco tostões aparecia…
Quanto à poesia só posso dizer que a acho brilhante.

Lilá(s) disse...

É lindo o teu pequeno poema, foi de certeza inspiação de estrela cadente!
Bjs

AC disse...

Muito belo, Rosa, e de uma grande envolvência...

Beijo :)

Há.dias.assim disse...

Que bom que as consegues saborear.

Observador disse...

Em tons terrenos, andam por aí muitas estrelas (de)cadentes...

:)

R. disse...

Ilumina-se a memória e a recordação do sabor das estrelas.

:)

tsiwari disse...

Adoro o sibilado constante do escrito... e gosto da ideia do iluminar das memórias.


:)*

Espaço do João disse...

Ao ver a estrela cadente, lembrei-me do nosso saudoso Francisco José