segunda-feira, agosto 13, 2007

Monsanto

Com tanto calor o que sabe bem é esta água fresquinha que corre na fonte, no início da subida para o Monte Santo.

.

Depois da fonte, à direita, encontra-se uma casa solarenga onde funciona um pequeno museu.
No rés-do-chão pode ver-se uma exposição de fotografia e utensílios relacionados com a doçaria local.
No 1º andar ficámos surpreendidos com uma exposição bastante completa sobre a vida e obra de Zeca Afonso.

.
Quantos namoros teriam sido iniciados com esta rua e varanda como cenário?

.
Rua característica de Monsanto com as casas abrigadas entre penhascos.

.

Parece que vai cair mas permanece há séculos naquele equilíbrio instável!

.

14 comentários:

redonda disse...

Gostei deste passeio :)
Sabes "ver" para fotografar e escolher as palavras que contam histórias.
Com as fotografias e as palavras quase me pareceu que passeava também por ai :) Talvez um destes dias.
Um beijinho e boa semana

Bartolomeu disse...

Perguntei-te se estiveste em Mosanto à noite Rosinha, porque aquele equilíbrio desiquilibrado que confirmaste naquele penedo, é-nos mostrado à noite, mas de todo o conjunto de casario.Do preciso local onde fotografaste o penedo, tens 3 prespectivas, esta para a esquerda, em frente a planície e para a direita, no sentido em que toda a vila se estende. E a sensação que se tem à noite, é precisamente a de um desequilíbrio em equilíbrio.
Subindo a ruazinha por trás do ponto onde fotogafaste, ao atingir o cimo, passa-se à esquerda para outra rua em direcção ao centro, por baixo de um penedo. Se não se segura os ímpetos dá-nos para começar a brincar às escondidas por entre as reentrâncias das rochas e das casas.
:)))
Belíssimas fotografias Rosinha, já agora... a título de curiosidade... visitaste Idanha-a-Velha, um bocadinho mais a baixo?

Maria P. disse...

É um prazer seguir o teu diário de viagens tão bem ilustrado.

Beijinho e boa semana*

LB disse...

Calor? Onde?

Mas gostei do passeio...!

Beijinho

Rosa dos Ventos disse...

Já voltaste de férias, Ib?
Não me digas que apanhaste frio, vento e nevoeiro?!
Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Caro Bartolomeu
Não estive à noitinha em Monsanto mas passei o resto da tarde a dizer:
Agora é que se estava lá bem!
Claro que segui para Idanha-a-Velha!
Aguarda as cenas do próximo capítulo! ;-))

Ida disse...

Nada vi do centro, mas tenho razões para ter um carinho especial pelas Beiras, e adoraria visitar a Beira Baixa, numa certa Medelim de onde se avista Monsanto. Tuas fotos deixam água na boca. Bjs,

HAB disse...

Gostei daquela surpresa "espécie de Museu" do Zeca Afonso. Um dia tenho que o visitar.
A propósito do equilíbrio instável , visitem um dia a Pedra Bulideira , que existe perto de Chaves ."No caminho para Ponteira e antes de atingirmos o ponto alto, ficamos a conhecer a “Pedra Bulideira”., enorme monólito, que se consegue fazer bulir ( mexer, oscilar ) com facilidade."

Su disse...

belo passeio este que dei contigo:)))))))

jocas maradas....sempre

AnaG. disse...

Gostei do passeio que dei através das tuas palavras e fotos.

Há alguns itinerários que tenho que rever...
:)

Bom passeio.
Beijitos

Fernanda e Poemas disse...

Lindas fotos Rosa dos Ventos,
Gostei da tua homenagem ao grande Poeta ZÉ.

Boa viagem,

Beijinhos,

Fernanda

Rosa dos Ventos disse...

Queridíssima Ida
Falhei Medelim por 7 km..
Fui de Monsanto para Idanha por uma estrada secundária.
Há sempre coisas que nos escapam e que nos fazem voltar atrás um dia!
Este voltar atrás é possível...
Abraço

Maria disse...

É bom viajar contigo, aqui....
Monsanto é uma beleza.

Beijinhos

Ida disse...

Querida Senhora dos ventos,

Pelo que vejo aqui, isto anda de vento em popa, e não devagar quase parando como já se leu em outros posts que devem ter sido produto de momentos... mas estes momentos últimos é que valem, e valem muito, valem a pena teres este blog e termos nós a sorte de conhecê-lo e conhcer-te um tantinho através dele. Ainda iremos a medelim, juntas ou cada uma em seu caminho.

Beijinhos... de um Rio nada parecido.