sexta-feira, dezembro 22, 2006

Ao calor da lareira...

Vivo quase há três anos neste apartamento e ainda não tinha acendido a lareira.
Cansada do barulho do ar condicionado e saudosa dos pés descalços, bem esticados para o quentinho, decidi-me.
Fui à casa grande, enchi dois cestos de lenha, meti-os no carro, trouxe pinhas guardadas há anos, comprei acendalhas, pelo sim, pelo não e, finalmente, voltei a experimentar aquela doce sensação do calor a bater-me na cara, enquanto estendia o braço para um dos livros que ando a ler.
Claro que fui ajudada em toda esta trabalheira de cestos no carro, no elevador e depois em casa e ainda foi preciso mudar a posição de um dos sofás.
Mas valeu a pena!
Será que fui apanhada pelo espírito natalício?

5 comentários:

Luis Eme disse...

Provavelmente... ou então apenas a saudade de ver a lenha a arder e a aquecer a casa...
Feliz Natal e um Ano Novo excelente.

Ida disse...

E adormecer no tapete da sala, com o calorzinho e a luz mortiça e só acordar noite velha, madrugada, qdo as últimas brasas se apagaram. Essa é uma lembrança querida, que nada tem a ver com natal, mas q o teu post me trouxe de volta. Obrigada e, já agora, que tenhas um natal recheado do bom e do melhor das pessoas e das coisas. E sem esforço. beijo do sul.

Anónimo disse...

Alguns velhotes espanhóis ainda aludem a uma frase que acho deliciosa e verdadeira, e que diz qualquer coisa como, o lume é meia refeição tomada.
Festas felizes!
Beijinho

Quintanilha disse...

A lareira, é de facto uma companhia. Acabei agora mesmo de chegar com provisões (lenha de sobro) para o fim-de-semana.
Um Feliz Natal aí!

Anónimo disse...

Foste apanhada pelo frio!O ar condicionado não substitui a lareira! Beijinhos. Maria M.