terça-feira, dezembro 12, 2006

30 Anos de Poder Local Democrático

No Pavilhão Atlântico, ali à beira do Tejo, realizaram-se as cerimónias alusivas a uma data importantíssima para a nossa Democracia, 30 anos de Poder Local Democrático.
Discursaram em primeiro lugar os representantes daqueles que, pela sua proximidade às populações, melhor conhecem os seus problemas, as suas necessidades e no fim o Senhor Presidente da República.
Independentemente das assimetrias, de um Portugal a várias velocidades, de conceitos bem diversos daquilo que contribui para o desenvolvimento harmonioso dos munícipios e freguesias é ao Poder Local que cabe uma grande fatia do mérito de termos hoje um País bem diferente, para melhor, daquele que foi o ponto de partida a 12 de Dezembro de 1976.
Contudo, durante todos os discursos, os telemóveis não pararam de tocar, as pessoas não deixaram de tratar dos seus negócios e reuniões à distância e, logo que o Prof. Cavaco Silva terminou a sua intervenção, foi uma debandada geral.
Seguiram-se outros panéis, uns mais interessantes que outros e às tantas tive que ir embora.
Do lado de fora, amontoavam-se todos ou quase todos os que que haviam saído, em amena cavaqueira.
Somos assim!
De facto, temos ainda muito caminho a percorrer em termos de cidadania, de educação e de saber estar!

5 comentários:

Luis Eme disse...

A tua última frase explica a razão do nosso país estar como está, depois de trinta anos de Poder Local Democrático...

Su disse...

enfim.....uns coitadinhos.......

jocas maradas

Luisa Oliveira disse...

e prova também que temos igualmente um longo caminho a percorrer no que diz respeito à escolha dos nossos representantes locais...

Rosa dos Ventos disse...

Bem observado, como não podia deixar de ser!
Bisous

Anónimo disse...

A malta quer é visibilidade!
Se não estivesse lá o Presidente da República, metade não apareceriam!