domingo, outubro 08, 2006

Poema Perdido

Porque eu trazia rios de frescura
E claros horizontes de pureza
Mas tudo se perdeu ante a secura
De combater em vão.

E as arestas finas e vivas do meu reino
São o claro brilhar da solidão.


Sophia de Mello Breyner Andresen, in Coral

2 comentários:

Elvira disse...

A Sophia é sempre um encanto... :-)

Luisa Oliveira disse...

gosto dos poemas que escolhes =)