terça-feira, outubro 24, 2006

No Entardecer da Terra

No entardecer da terra
O sopro do longo Outono
Amareleceu o chão.
Um vago vento erra,
Como um sonho mau num sono,
Na lívida solidão.

Soergue as folhas, e pousa
As folhas, e volve, e revolve,
E esvai-se inda outra vez.
Mas a folha não repousa,
O vento lívido volve
E expira na lividez.

Eu já não não sou quem era;
O que eu sonhei, morri-o;
E até do que hoje sou
Amanhã direi, quem dera
Volver a sê-lo!... Mais frio
O vento vago voltou.

Fernando Pessoa, in Cancioneiro

8 comentários:

Kate Moch disse...

Parabéns pelo bom gosto. O Fernando é um senhor!

apple disse...

"Eu já não sou quem era..."

como é verdadeira esta frase em mim...vou começando a aprender-me agora, devagarinho, embora tenha a noção de que nunca me sei verdadeiramente, sei que, sim, já não sou quem fui...também eu morri...

Beijinho p ti

Anónimo disse...

Eu diria até mais ! Fernando é uma pessoa !

Anónimo disse...

Voces sao burros... Fernando era um maluco que andava embriagado pelas ruas i voces a faxerem esta merda por ele... portugal vai longe se começamos a honrar os bebados i os drogados!!!!

Anónimo disse...

Sem duvida que ele era um drogado mas se te deres ao trabalho d analisares os seus poemas vais ver q ele era sem duvida um dos melhores escritores portugueses d todos os tempos, n é qualquer escritor q escreve para o "New York Times" e é apreciado por isso.

joao ferreira disse...

voces gostam do fernando pessoa pk nao estao no 12º como eu que tenho que levar com os poemas dele... os quais o seu significado é tudo menos o que esta escrito no poema...

Rafa M disse...

Concordo totalmente com o joao ferreira.
O nandnho so é apreciado por aqueles que nao o estudam e dizem que e mutio bonito mas nao entendem puto do que ta la escrito e do que supostamente o nandinh quis dizer.

Anónimo disse...

Descordo a 500 por cento! Eu estou no 12º ano e acho que o Fernando Pessoa é um poeta super interessante. Dá trabalho e esse é problema da maioria das pessoas da nossa idade. Ler os poemas tudo bem, percebê-los é diferente. Pensar não custa a ninguém! E se toda a gente percebesse o Pessoa talvez a ministra não fizesse propostas tão disparatadas como acabar com os chumbos!