quarta-feira, outubro 25, 2006

Desabafo

Que Associação Humanitária é esta que retira 7 moradores em perigo de uma rua e não faz, de imediato, o reconhecimento total de toda a área?

Que vizinhos são estes que esquecem ou desconhecem a existência de uma idosa acamada a viver junto deles?

Que sociedade é esta que esquece os seus idosos e os deixa morrer no maior dos abandonos?

Quem sou eu para estar a apontar o dedo aos outros?

Afinal quem era esta senhora, moradora numa rua em Pombal, sem familiares, sem amigos, sem ninguém?

Talvez o seu último suspiro tenha sido de alívio por deixar este mundo-cão!

4 comentários:

apple disse...

Por mais que não se goste da Ladra ,o roubo às vezes também é um alivio, uma libertação...

Vivemos num mundo de m**** é o que tantas vezes me parece!!

Eyes wide open disse...

Infelizmente, é uma das tristes realidades que nem sonhamos que possam existir numa sociedade por vezes tão ingrata, e estupidamente absorta em pormenores tão irrelevantes...

zambujal disse...

Discutamos, ricamente, ostensivamente, qual o maior português de todos os tempos, se salazar merece ou não ser candidato sugerido!?
Mundo-cão em que o grito de raiva e impotência alivia? Mundo de merda com as letras todas?
Há muito mudei (ou acrescentei...) a palavra de ordem "a luta continua" o pequenino acento sobre o i que lembra que a luta tem de ser contínua. Porque a iniquidade o é.
Como dizia o poeta (Egito Gonçalves, Notícias do Bloqueio, idos anos 50) "...Diz-lhes que se resiste na cidade/desfigurada por feridas de granadas/e enquanto a água e os víveres escasseiam/aumenta a raiva e a esperança reproduz-se" (publicado em Árvore - nº 4 - 1953, depois reproduzido - como a esperança...- em muitas outras publicações)

Luisa Oliveira disse...

Um mundo nunca teve tantas pessoas como agora. Nem tanta solidão.