sexta-feira, fevereiro 01, 2013

Lincoln



Ontem fui assistir à estreia de filme "Lincoln", um drama biográfico dirigido por Steven Spielberg com Sally Field como Mary Todd Lincoln e Daniel Day-Lewis como Abraham Lincoln.
Abrange os últimos quatro meses de vida de Lincoln e de toda a sua luta para abolir a escravatura, fazendo passar, na Câmara dos Deputados, a 13ª Emenda à Constituição Dos Estados Unidos da América.
Com a Guerra Civil quase a terminar e receando que o fim da guerra desmotivasse a luta pela abolição da escravatura , a braços com problemas de vária ordem incluindo os familiares que decorrem das perturbações psicológicas da mulher e da insistência do filho mais velho em ir para a frente de batalha, o Presidente desdobra-se em contactos para conquistar os vinte votos necessários para que a 13ª Emenda seja votada positivamente.
Os meios, nem sempre os mais claros e correctos, justificam os fins e depois de uma caça ao voto "porta a porta", numa luta contra o tempo, finalmente, a 31 de janeiro de 1865, a 13ª Emenda que consagra a abolição da escravatura é aprovada na Câmara de Deputados.
Além dos meandros políticos, partidários e tácticos especificamente em relação à Guerra, o filme procura mostrar o porquê da loucura da Sra. Lincoln, da infelicidade do casal e da postura dos pais perante os filhos - na vida deles aconteceu a morte de um filho da qual a mãe não conseguiu recuperar.
Penso que é razão mais do que suficiente para uma mulher ficar perturbada para sempre.
Todos sabem que, pouco depois, na noite de 14 de abril, Lincoln é alvo de um atentado, morrendo na manhã seguinte.
O filme termina com um flasback do Presidente a fazer o seu segundo discurso de tomada de posse, cujo final não está de acordo com aquilo que ele deseja - que os Estados Unidos vivam em paz com todas as nações.
É um filme longo, pesado com visitas a hospitais de campanha e campos de batalha, com cenários predominantemente de interior e escuro mas com excelentes interpretações e com uma temática que nunca deve ser esquecida.
Fez precisamente ontem, 31 de janeiro, 148 anos que se deu a abolição da escravatura nos Estados Unidos!

27 comentários:

Observador disse...

Bom filme.
Convém não esquecer a interpretação de Tommy Lee Jones, candidato a melhor actor secundário.

Rui Pascoal disse...

Não digo que não vá ver mas, isto agora já anda tão pesado, preciso de recuperar a alegria...

Bom Fim-de-Semana!

Tite disse...

Obrigada RV!
Depois desta explicação histórica tão bem feita pela Stora acho que não vou ver o filme uma vez que o mesmo é longo e o marido não aguenta tanta hora sem fumar e certamente irá resmungar como é seu hábito.

Tivesse eu companhia que não ele e iria ver muito mais filmes ao sítio onde mais gosto... CINEMA.


Abraços saudosos

Mariposa Colorida disse...

Um filme a ver, portanto!

ematejoca disse...

Gostei mesmo muito deste teu artigo sobre o filme "Lincoln", que me acalmou um pouquito, pois acabo de chegar a casa toda molhada, cansada e furiosa.

Hoje também eu queria ver este filme. Só que esperei, em vão, por 3 autocarros, que não vieram.
Nem sei a razão, pois neste momento, não temos neve.
Ainda me meti no quarto autocarro, mas não cheguei a tempo.
Eu sou como o Woody Allen, mesmo quando o filme só tenha começado há dois minutos, já não entro.

Convém também não esquecer a interpretação da Sally Field, candidata a melhor actriz secundária.

Bom fim-de-semana!

quem és, que fazes aqui? disse...


Não vou perder!

Bom fim de semana.

Beijinho

Laura

São disse...

Sally Field é boa actriz.

Daniel Day-Lewis é um fora-de-série.

Espero ir ver logo qur possível.

Uma coisa me intriga: ou me engano muito ou ele tinha uma escrava negra como amante, que nunca libertou...

"Bejinhos"

Rui da Bica disse...

Como homem e Presidente, uma extraordinária governação no período mais difícil da história da América, conseguindo manter a “União”, após a Guerra Civil ! Mudou a história, conseguindo o que parecia impossível : a abolição da escravatura !
No filme, ainda não vi, mas pelo que já li, penso ir arrecadar uma boa parte dos Oscares !
Uma boa sinopse, Rosa ! :)

Abraço !
.

Rogério Pereira disse...

Todas as referência vão dar ao ponto onde eu já estava: ir ver.

Esse é um período elevado e honroso (dos poucos)dos EE.UU e Spielberg é de não perder... irei ver

Teté disse...

Também fui ver o filme ontem! E, para ser franca, acho que só se safa a interpretação dos atores, especialmente de Lewis, Field e Jones, mas não são os únicos. E a caracterização de Lincoln, vá. De resto concordei a 100% com um amiga que me avisou atempadamente, mas não liguei: é um grande pastelão! Muito diálogo e discurso, muitas tramas políticas de bastidores, debates parlamentares, tantas personagens que acabam por confundir os espetadores, enfim, uma chatice pegada! E longa, ainda por cima...

Mas pronto, gostos são gostos, deste não gostei! Sairá post um dia destes... :)

Abraço e bom fim de semana!

Rosa dos Ventos disse...

E foste ao El Corte Inglês à sessão das 18 h, Teté?
Sabes que ao princípio me senti um pouco cansada e perdida com tanta personagem e imbróglios políticos mas depois a coisa começou a ficar mais definida...

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Quando cheguei a casa o meu parceiro perguntou-me se não havia referência à amante negra que ele tinha e aos vários filhos, uma vez que era um filme biográfico...
Ele sabe mais de História do que eu mas fiquei com dúvidas!
Agora vem a São referir isso também, é capaz de ser verdade!

Abraço

O Puma disse...

A escravatura não tem a ver

com a cor da pele

Rosa dos Ventos disse...

É verdade, Puma!
Mas neste contexto tinha!

Abraço

Rui da Bica disse...

Não é motivo de interesse, mas por curiosidade, procurei na net qualquer informação.

“A orientação sexual de Abraham Lincoln é um tema de debate entre alguns estudiosos.
Apesar do casamento duradouro com Mary Todd (de 1842 até 1865) e dos 4 filhos que tiveram, o psicólogo Clarence Arthur Tripp (1919–2003) observou em seu livro The Intimate World of Abraham Lincoln (O Mundo Íntimo de Abraham Lincoln) que a postura problemática e distante de Lincoln com as mulheres difere muito das relações mais calorosas com os amigos homens que passaram em sua vida e que - com dois deles- a amizade teve conotação homossexual.”

“Larry Kramer, um militante do movimento homossexual nos Estados Unidos, divulgou que seu décimo sexto presidente tinha tendências homossexuais. Na época da divulgação, anos 1990, moradores da cidade de Spingfield, local onde Lincoln nasceu, tentaram abafar a história.

Larry afirmava se basear no diário íntimo de Joshua Speed, ligado ao então ex-presidente, que os dois homens compartilhavam a mesma cama e se beijavam. Entretanto, para o historiador Robert Johannsen, especialista na vida de Lincoln, da Universidade de Illinois, o fato do ex-presidente compartilhar sua cama com Joshua Speed seu casamento com Mary Todd não fazem dele um homossexual.”

Outra especulação sobre a orientação sexual de Lincoln está em sua amizade com Davi Derickson, guarda-costas e companheiro intimo do ex-presidente. Sempre que a primeira dama ficava ausente, Derickson dormia no quarto com Lincoln.”

Não encontrei referências a mjulher negra.(?)
.

marina disse...

Gostava bastante de ver...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Embora não tenha grandes expectativas em relação ao filme, não quero perder.
Bom fds

Flor de Jasmim disse...

Acho que deve ser um filme bastante interessante!
Bom fim de semana Rosa

beijinho e uma flor

Graça Sampaio disse...

Não sei se tenho vontade de ir ver...

Bom fim de semana.

mlu disse...

Gosto muito de História e irei ver na 1ª oportunidade apesar de maior dificuldade agora, que fecharam tantas salas de cinema em Leiria, onde vou com mais frequência ao cinema. Obrigada pelo post que me deu uma visão geral do filme tão boa!

Um abraço

ematejoca disse...

O terceiro presidente dos Estados Unidos, Thomas Jefferson, é que tinha uma amante negra.

Catarina disse...

Gostei muito do filme e até espero que ganhe o Óscar.

Amour aparece como candidato o que não compreendo. Como melhor filme estrangeiro, sim, deverá ser o melhor, pelo que tenho lido.

Rosa dos Ventos disse...

Eu também nunca tinha ouvido falar de uma amante negra deste grande Presidente dos EUA mas com duas referências, uma aqui em casa outra da São decidi referi-lo...não como certa.
Afinal não é verdade e até, segundo pesquisas feitas pelo Rui da Bica, há especulações sobre a sua orientação sexual, coisa que também nunca tinha ouvido...
O que se sabe por aqui! :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Cara Ematejoca

Obrigada pela informação mas também penso que é difícil encontrar um presidente dos States sem amantes, brancas ou pretas! :-))
Vamos a ver se Obama se safa!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Como disse as interpretações são excelentes e não distingo nenhuma.
Acredito que possa ganhar algum Óscar nesta área mas estar nomeado para 12 Óscares também me parece excessivo!
Sempre que vejo um filme tão badalado fico sempre um pouco desiludida...gostei dele, aconselho-o pela temática e até para actualizarmos conhecimentos mas não fiquei deslumbrada!

Abraço

redonda disse...

Ainda estou indecisa quanto a ir ou não ver este filme. Estou a preferir filmes mais alegres ou leves...
um beijinho e um bom fim-de-semana
Gábi

Rosa dos Ventos disse...

Também eu, Gábi e vê lá que os dois últimos que vi são mesmo a dar para o pesado! :-))
"Os Miseráveis" foi escolha minha porque até fui sozinha mas este foi escolha de uma das minhas cunhadas...
De qualquer das maneiras queria ter uma opinião em relação aos Óscares... parece que vai ter alguns...

Abraço