terça-feira, fevereiro 05, 2013

Ou Isto ou Aquilo...



A propósito da opção que fiz de passar grande parte do meu tempo em Lisboa deixando esta casa quase ao abandono, lembrei-me deste poema infantil de Cecília Meireles!
Não tanto por mim que não sou mulher de indecisões mas por aquilo que vou ouvindo ao meu "fiel jardineiro" que gostaria de ver o sorriso do neto todos os dias e, ao mesmo tempo, poder tomar conta do seu quintalito, ir ao café do costume, dar uma volta pelos campos para ver como estão as suas árvores e sei lá mais o quê...
E eu vou-lhe dizendo "Mete-te no carro e vai até lá!"
Fazer o quê?
Ou isto ou aquilo!

27 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Quando as saudades apertam não há como evitar. Deixar que corram e procurem remédios par superar esses dias mais dolorosos.
Um texto pequeno mas muito expressivo.

Observador disse...

A escolha, a opção, o isto ou aquilo, fazem parte do nosso dia-a-dia.

Dalma disse...

Pois RV,às vezes é tão difícil repartir-mo-nos! Como eu compreendo o seu "fiel jardineiro"! A terra seja num quintalito ou um pouco mais, chega a esta altura do ano e é como o canto da sereia - difícil resistir-lhe - e falo por mim...

São disse...

Que pena não podermos ter isto , aquilo e ainda mais, tudo em simultâneo!

Abraços .

Nina disse...

Qualquer dia, arranjam por aí uma moradia...verás!:))

Aquele abraço, Rosinha!

Rosa dos Ventos disse...

Uma moradia em Lisboa, Nina?
Mas tu vives em que planeta?
Julgas que sou economicamente privilegiada?!:-))
Tomara eu livrar-me desta...

Abraço

O Puma disse...

Ainda há bons jardineiros

Duarte disse...

Ser jardineiro uma arte: gosto de jardinar...
Quanta verdade nestes versos, não conhecia.
Um grande abraço

Rui da Bica disse...

Definitivamente, o "OU" estraga tudo ! :))... Porque é que uma opção tem que invalidar a outra ?
Para mim, o ideal é :
"Sol na eira "E" chuva no naval" ! eheheh

Abraço ! :))
.

Rosa dos Ventos disse...

Chuva no naval, Rui da Bica?!
Se fosse no naval não valia de nada aos nabos ou por aí comem-se "navos"? :-))
Estou a brincar!

Abraço

Teté disse...

É verdade, todos os dias temos de tomar pequenas decisões e lá diz o povo que "não se pode ter tudo"!

Apesar de provavelmente ser cansativo andar de cá para lá e vice-versa, também não deixa de ser uma forma de quebrar a rotina... :)

Abraço

quem és, que fazes aqui? disse...

As Disjuntivas... sempre elas a coordenarem alternativas!

Beijo

Laura

Fê Blue bird disse...

Também me identifico com o seu post e com o poema.
Ou isto ou aquilo ! :D

beijinho

Flor de Jasmim disse...

Eu e o meu folha seca andamos assim alguns anos, na Marinha Grande e vir um dia ao meio da semana e ao fim de semana para Monte Real, onde temos os nossos gatos, o nosso jardim e outras coisinhas para eu jardinar coisa que adoro, acabamos por vir para Monte Real, tudo bem eu trabalhava na Marinha e via as minhas filhotas e netinhos todos ou quase todos os dias, mas agora no desemprego não me permite fazer 30 km 15 para cada lado para estar com eles, mas infelizmente por motivos inesperados tudo indica que somos forçados a voltar para a Marinha,´vou poder estar mais perto e ver todos os dias aquilo que são a minha vida (netos e filhas) mas não queria que fosse por esta razão, mas nem sempre colhemos o que semeamos, basta vir uma chuva mais forte para destruir a sementeira.
desculpa Rosa foi um desabafo.

beijinho e uma flor

Lilá(s) disse...

Só há uma solução: arranjar uma casa com quintalinho por aqui...queres ajuda?
Bjs

mlu disse...

Quase todos os dias temos de fazer escolhas mas umas são mais fáceis que outras!



Um abraço.

Graça Sampaio disse...

E que belo é o poema!...

Beijinhos algo indecisos...

redonda disse...

Gostei muito do poema, que não conhecia, e o isto ou aquilo constitui mesmo um dilema bem complicado (embora, possa chover e fazer sol)
um beijinho
Gábi

maria mar disse...

Vê lá se fazes com que o teu fiel jardineiro se decida....mas são as complicações das coisas simples, deixa lá.
Abraço

Catarina disse...

Se fosse eu, daria um salto à casa grande (não é assim que lhe chamas?) quando sentisse saudades. No outro dia ou no outro voltaria a Lisboa. A gasolina está cara é certo mas e a distância – hora e meia? – talvez se faça bem!

Rosa dos Ventos disse...

É o que estou fazendo, Catarina!
Há correio para ver, médico de família para consultar e passar as receitas dos muitos medicamentos que tomo, janelas para abrir e fazer entrar o sol, ensaios do coro onde gosto de cantar mas quando estou em Lisboa não passo o tempo a pensar ou a lamentar não estar na casa grande!
Mas o meu "fiel jardineiro" queria mesmo estar nos dois sítios ao mesmo tempo...:-))

Abraço

Rui da Bica disse...

Ó Rosa ! :))) Foi muito vem bisto ! rsrs ... mas não te esqueças que sou do Porto, carago !... rsrsrs
Aqui há navos, no quintal, há vois nos pastos e bacas a dar leite !
O binho não falta nas mesas e é tudo uma veleza !
eheheh
rsrs... Obrigado e desculpa o erro ! :)))
.

greentea disse...

vou tentando ir aos dois lados, por motivos familiares e por razoes de trabalho, por isso ora estou na ladeia lá longe, ora estou por aqui em Sintra...
assim vamos conciliando as coisas boas de um e outro lado...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ou como gosta muito de dizer o coelho, "não podemos ter sol na eira e chuva no nabal..."

Anónimo disse...

Ora, Rosinha!
Com a vontade que tens em livrares-te dessa, acabarás por comprar uma na capital.:))
Vá lá! Deixa-me sonhar por ti!
Aquele abraço

Nina:)

Rui Pascoal disse...

Não conhecia o poema agora a situação...
:)

cicileydi disse...

quão bonito
como bonito
Eu vim visitá-lo, por favor visite o meu site você meu
Eu quero ter um olhar para eles que eu sou feito com este itens lugar

http://www.cicileydi.com/2012/06/dondurma-kutusunun-sevimli-geri.html