terça-feira, outubro 25, 2011

Leituras...

"Vivemos como sonhamos - sozinhos."

Estou a ler um livro que tem esta frase destacada na contra-capa e, embora não seja muito dada a frases lapidares, fiquei a pensar no seu significado...
Alguém quer ajudar-me, dando a sua opinião sobre a mesma?
Desta vez não é nenhum enigma e eu depois direi de que livro se trata.

27 comentários:

Patti disse...

Não sei...vivemos sozinhos porque queremos; pq cada vez mais nos afastamos de tudo e todos e vivemos como indivíduos, isolados do mundo, das pessoas, dos vizinhos, dos amigos, da família.

Viramo-nos para dentro de nós próprios, para o nosso mundinho interior, para as nossas preocupações pessoais, como se fossemos seres únicos na Terra.

O pior é no fim, na hora da morte, quando queremos os outros à nossa volta e não os há (vivo essa experiência uma vez por semana, pq sou voluntária em Cuidados Paliativos, e quem ali está deitado naquelas camas à espera da morte, tem muito carinho, mas recebido por nós; os estranhos que nos dispusemos para estar ali).

Tenho pena. Muita.

p.s não sei do que se trata o teu livro, mas a frase serve para muita coisa, e talvez para este meu comentário também.

redonda disse...

Já tinha ouvido a frase que nasciamos e morriamos sozinhos, porque mesmo estando acompanhados, é uma experiência pela qual só nós passamos e aqueles que estão ao nosso lado (pelo menos, a nossa mãe quando nascemos) não podem partilhar essa experiência.
Talvez essa frase seja algo parecido, num sentido positivo, de estarmos sozinhos, mas não solitários, sozinhos, no sentido de sermos únicos e ser também único o que vivemos, por ser a nossa percepção da nossa vida. E o mesmo quanto aos sonhos, pode ter-se o mesmo sonho, mas sonhá-lo de forma diferente. Assim, por exemplo um casal que sonha ir fazer uma viagem, mas cada um, mesmo utilizando as mesmas palavras, imagina essa viagem de forma diferente.

redonda disse...

Fiquei curiosa sobre qual será o livro, por isso depois volto para tentar saber qual é :)
um beijinho
Gábi

Bartolomeu disse...

Esta frase encerra um conceito metafisico. No entanto, cada um de nós compõe-se de uma dualidade que busca incessantemente a união. Somos o positivo e o negativo, o bem e o mal, o querer e o rejeitar, o amar e o odiar, a verdade e a mentira, a afirmação e a negação de nós mesmos, desejando alcançar o ponto de equilíbrio entre elas.
Penso eu de que...
;))

albertodavid@sapo.pt disse...

"Vivemos como sonhamos, sozinhos."Tema: - ViverVer mais citações de - Conrad , Joseph

--------------

Viver como sonhamos, é pura ilusão,
Viver sózinhos é sempre uma má solução.

Não há nada como viver mais cada dia que passa, rodeados de bons amigos.

Abraço

trepadeira disse...

Sós na procura do caminho,quase sempre solitário,na criação,no pensamento,aqui não isolados.
Isolados quando aí nos leva o ogoísmo,quando somos nós a criar os muros.

Um abraço,
mário

Justine disse...

O homem pode sempre criar pontes, procurar contactos, anular um pouco essa solidão inerente à sua condição de ser individual. E só assim se humaniza...

Rui da Bica disse...

Primeiro que tudo, não concordo com a frase.
Ou se trata de uma situação doentia de quem a profere, ou de alguém desenquadrado da sociedade, ou ainda referida a gentes que realmente vivem numa situação de anormalidade e submissão a um status diferente daquele a que estamos habituados, ambiente de marginalização e abandono a um tipo de solidão.
De modo algum a vejo adaptada a seja quem for que viva uma vida normal.
.

Flor de Jasmim disse...

Rosa
Agora fiquei curiosa, mas não estou muito de acordo com essa frase.
O que eu sei é que prefiro viver só, do que acompanhada e sentir-me só. Que não é o meu caso, mas deve de existirem muitos.
Vou aguardar a resposta se alguém a souber explicar.
Beijinho e uma flor

maria disse...

Acho que aqui a palavra sozinhos não tem nada a ver com solidão, não tem nada a ver com não termos ninguém ao nosso lado, família, amigos, conhecidos e todos os que nos rodeiam...

Somos pessoas individuais, tudo o que fazemos, sentimos ou vivemos são experiências únicas, independente do nº de pessoas que estão connosco e de quem já fez, sentiu ou viveu o mesmo que nós...

Quando a minha mãe faleceu, ouvi, como é normal nestes casos, muitas palavras de apoio e carinho...houve alguém que me disse "Tens que ser forte, também eu já passei pelo mesmo"...passado uns dias lembrei desta frase e cheguei à conclusão que a dor de perder alguém é uma dor única...quem já passou pelo mesmo entende o que estamos a sentir, mas como também já o sentiu...quem nunca sentiu o mesmo, pode sentir pena, mas não compreende verdadeiramente...

Não sei se me entendes, mas é a melhor forma que eu tenho de explicar...

Abreijinho :)

carol disse...

Sempre assim pensei, sempre assim vivi: comigo própria. Apesar da família próxima, apesar dos amigos próximos, apesar dos colegas próximos. É um estilo, uma forma de estar - os meus. Se calhar é por ter sido filha única; e como sobre os filhos únicos sempre, ao longo dos tempos, caíram todos os defeitos, se calhar este é mais um. Mas não me dei assim muito mal.

A minha avó espanhola que tu conheceste dizia muitas vezes: «puta só, ladrão só» e eu ouvi este "ditado" muitas, muitas vezes.

Desculpa a possível crueza da minha resposta, mas sabes que eu sou assim: pouca dada a lamechices...

Beijinho

Turista disse...

Querida Rosa, não concordo.
Por vezes também sonhamos a dois, ou três e quatro, quando se tem uma família!
Eu não vivo sozinha, não, enquanto amar alguém.

mlu disse...

Eu acho que sonhamos sempre sozinhos, podemos depois partilhar os sonhos e vivê-los, ou não, acompanhados mas o nascimento de um sonho é solitário. Nesta perspectiva, a frase faz sentido mas é difíiicil!

Um abraço

São disse...

A minha opinião é de que há sempre uma parte de nós que jamais deixa de ser exclusivamente nossa.

Talvez seja isso que quem escreveu a frase queira significar.

E não é verdade que as hpras verdadeiramente cruciais as vivemos sós?

Por muito apoio que tenhamos - e isso é extremamente importante- ninguém pode viver a nossa vida por nós.

Boa noite

Catarina disse...

As mesmas experiências de vida são sentidas de forma diferente por cada um de nós. Os nossos sonhos, só nós os vivemos de uma forma única. Mas isso não quer dizer que todas as pessoas sintam que vivem sozinhas. Haverá outras que no meio de uma multidão se sentem sós. É uma forma muito generalizada (outras pessoas dirão profunda) de J. Conrad expressar solidão ou isolamento.

Luis Eme disse...

penso que é uma metáfora, Rosa.

as grandes decisões das nossas vidas, normalmente são tomadas a "solo"...

abraço

cycle disse...

Se pedires a alguém para se sentar ao teu lado a observar os teus sonhos, jamais essa pessoa os verá como tu. Mesmo que os passasses em filme, o que a outra pessoa sentiria ao ver as imagens seria diferente daquilo que tu sentes.

Nina disse...

Dissertaria horas sobre ela e agora não convém.
Fica o meu beijinho

Lilá(s) disse...

Eu não sou muito de viver sózinha...
Bjs

Vieira Calado disse...

Será por a vida seu um sonho, ela própria?

bjss

São disse...

E qual é o livro? É que as minhas unhas deixaram (quase ) de existir, rrsss

Tudo de bom

Tite disse...

É uma citação mas encerra muita verdade nos dias que vão correndo.

Eu nunca fui amante do isolamento, muito antes pelo contrário, mas depois de perceber que as relações humanas cada vez se deterioram com mais facilidade, nada como vivermos como sonhamos... sozinhos.
Ao menos não incomodamos ninguém até que Deus nos chame e tenhamos a companhia dos ANJOS :-)

Chuac!

Rosa dos Ventos disse...

Em primeiro lugar quero cumprir o que prometi e divulgar o nome do livro.
Aliás o nome do seu autor já tinha sido mencionado pelo Alberto David e pela Catarina.
Chama-se "O Coração das Trevas" e o seu autor é Joseph Conrad, nascido Jósef Teodor Konrad Korzeniowski na Ucrânia em 1857, naturalizando-se inglês em 1886.
É considerado, pelos críticos, uma obra prima do princípio do séc. XX, sendo uma das referências literárias de Agustina Bessa Luís.
Consta que Coppola se inspirou na parte mais inquietante desta obra na realização de Apocalypse Now, nomeadamente na construção da personagem protoganizada por Marlon Brando.
Foi o livro que discutimos hoje no clube de leitura onde vou uma vez por mês.
Disse pouco mas o Dr. Google dará informações mais pormenorizadas a todos os que sentirem alguma curiosidade por "O Coração das Trevas".

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Quanto à frase quero agradecer a todos a participação sempre simpática e esclarecedora.
Como é natural, há opiniões divergentes o que não quer dizer que estejam erradas, são apenas pontos de vista diferentes...
Eu aproximo-me mais de todos aqueles que partiram do princípio que sendo o ser humano único e irrepetível todo o caminho que percorre na vida desde o nascimento
à morte é apenas seu, até se diz que todo o ser humano é uma ilha!
Contudo está nas nossas mãos, mas apenas nas nossas, construirmos pontes de afecto, de amor, de solidariedade, de aceitação em relação àqueles que nos rodeiam desde os mais próximos até outros com quem queremos dividir a nossa disponibilidade.
Muitos o disseram bem melhor do que eu!

Abraço

JPD disse...

Respondo com o recurso aos consagrados:

«Sempre que o Homem sonha, o mundo pula e avança!»

Bjs

Duarte disse...

Esta é a minha meditação...

Na solidão tudo é mais intimo e puro.

Não existe a opção à discussão.

Sente-se muito, ama-se mais, é duro!

Sendo efémero, existe, é a solidão!


Abraços

São disse...

"O Coração das TRevas" foi uma dos livros mais impressionantes que li até hoje; acho.o uma obra prima.

"Apocalypse Now" inspirou-se realmente nesta obra, mas ficou a anos luz , embora seja um óptimo filme e eu admire muito o realizador.

Bons sonhso.