sexta-feira, maio 28, 2010

Um outro olhar sobre outro

Em primeiro lugar peço desculpa do meu olhar amador e cheio de imperfeições na captação das belas imagens de uma exposição de fotografia patente no Cine-Teatro de S. Pedro, em Alcanena, cujo tema é o polje de Minde, a Mata para nós, indígenas...
Esta lagoa é uma das maravilhas que o Parque Natural da Serra d´Aire e Candeeiros oferece aos residentes e aos visitantes nos invernos mais chuvosos.
É aqui que Rui Gonçalves, um minderico de adopção, passa parte dos seus tempos livres, fotografando, a partir das margens mas também "a bordo" do seu "kayak", aspectos que passam despercebidos a quem apenas olha a Mata sem a ver...
Uma parte das fotos estava em expositores e outra passava num ecrã de televisão.
Aqui vos deixo uma pequena amostra.
O artista navegando...


Os cavalos "passeando"....


Mira d´Aire, do outro lado da lagoa, mirando-se nas águas...



A sombra da serra...




Um autêntico quadro impressionista...





17 comentários:

Maria disse...

Belas fotografias que me aguçaram o apetite de conhecer essa lagoa... que não conheço, apesar de ser aí da zona (mais ou menos)...

Obrigada e um abraço.

Isa GT disse...

E conseguiste captar muito bem.
Adorei.
Beijinho

Rui da Bica disse...

Foi esta a lagoa que eu confundi no post anterior :))
As fotos são índíssimas :))... e muito bem refotografadas, Rosa.
Bjs.
.

Patti disse...

Maravilhosas, parecem espelhos...apaixonei-me logo pela dos cavalos.
Lindas!

Teresa disse...

Ah, desta lagoa lembro-me muito bem. Dei aulas em Alcanena no ano de 1984/85, quase na pré-história, portanto. Acho que nunca mais lá voltei.
Bjs

Justine disse...

Sempre me fascinou este lago! Em miúda, quando por lá passava,sobrava-me imaginação a enumerar o que poderia encontrar no fundo, se mergulhase...
A tua reportagem está excelente, Rosa:))
Beijo

goiaba disse...

É uma ideia para este fim de semana variar dos mesmos trajectos. Vou fazer a sugestão. Obrigada.

carol disse...

Muito obrigada pela reportagem. Foi dito e feito e bem feito, claro! Trouxe-me muitas memórias dos anos 50 e tal quando lá ia no Inverno visitar os meus avós. Funcionava como um grande mistério para mim, miúda de 8,9, 10 anos, aquela lagoa que não tinha as cores que tem nas fotografias. Era cinzenta e fumegava. Fazia medo, mas era um sortilégio.
Muito, muito obrigada, Rosinha!
Um beijo.

Rosa dos Ventos disse...

Cara Patti
Tinha que ser a dos cavalos...
E a Golegã ali tão perto, na lezíria! :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Atenção à navegação!
A lagoa só tem água durante 2/3 meses de Inverno, excepcionalmente as águas mantêm-se até Abril mas para isso é preciso que seja uma grande cheia...
Lá pelo meio há sempre uns lagoeiros de água barrenta...

Abraço

AC disse...

Pois é, apesar de a lagoa só ter água durante os meses de Inverno, os incentivos para ir conhecer o Parque Natural da Serra d'Aire e Candeeiros não param de aumentar.
Obrigado, Rosa dos Ventos, pela divulgação do espaço.

mlu disse...

Para mim, a água é o Elemento por excelência! São fabulosas estas fotografias e a "reprodução" é óptima. Até parece que fui ver a exposição!
Obrigada!

Abraço.

H.B. disse...

Tão bem que dá vontade de lá ir

rouxinol de Bernardim disse...

Espectacular, simplesmente!!!

Catarina disse...

Muitas pessoas, quando pensam em viajar, pensam no estrangeiro, esquecendo-se que Portugal tem tantos lugares lindos para se ver! Essas imagens (de entre muitas que a Rosa tem postado) são mais um exemplo da beleza do país.

maria mar disse...

Muito boas Rosinha. Gosto principalmente da foto dos cavalos. Bjinho

tsiwari disse...

Gosto ... têm alma, estes olhares!!!


:)***