segunda-feira, maio 17, 2010

O Gato e a Raposa

O gato e a raposa andavam em parelha a correr o mundo. Eram amigos apesar de a raposa estar sempre a depreciar o compadre.
- Afinal de contas, amigo gato, porque não aprende mais truques para fugir dos cães que nos perseguem? Sempre ouvi dizer que é muito inteligente. Será verdade?
- Sei subir rapidamente às árvores. É o que me basta. Vivo muito bem assim. Os cães nunca me apanharão.
A raposa esboçou um sorriso matreiro:
- Só sabe isso? Eu sei noventa e nove truques diferentes. Conheço mil manhas, uma melhor que a outra. Finjo-me de morta, escondo-me nas folhas secas, nas moitas, corro em ziguezague, disfarço as minhas pegadas...
Ela continuou a enumerar todos os seus truques e não ouviu uma matilha que se aproximava. O gato, muito rápido, subiu à árvore mais próxima. A raposa, perseguida de perto, começou a pôr em prática todos os seus truques. Mas em vão. Os cães acabaram por alcançá-la. De cima da árvore, bem seguro, o gato pensou consigo mesmo: " Pobre comadre raposa. É sempre preferível saber bem só uma coisa a saber mal noventa e nove coisas diferentes."
Fábula de Esopo adaptada por Monteiro Lobato
Nota:
Ao ler esta fábula que desconhecia, apesar de ter estudado muitas dezenas delas com os meus alunos, interroguei-me seriamente sobre a coisa que eu saberia fazer muito bem...e não encontrei.
Pelos vistos sou mais do tipo raposa...
E o/a cara visitante, como se classifica?

30 comentários:

carol disse...

Também não conhecia esta. E é como dizes, nós aprendemos e ensinámos dezenas de fábulas pela moralidade que havia que aprender e ensinar naqueles tempos! Está muito gira. Eu, se calhar, estou mais do lado do gato, mas parva como sou, havia de descer da árvore para ajudar a raposa...

Tite disse...

Querida Rosa dos Ventos,

Eu sou Gémeos. Já viste o que quero dizer não é.
Sou curiosa em excesso e percebo um pouco de tudo, tipo... raposa, claro!

Olha vai dando para sobreviver -:)).

Beijos

Justine disse...

Parece-me que temos de ser todas tipo raposa, senão como sobreviveria a casa e a família????
Como o gato...só mesmo os gatos:))
Beijo

Maria disse...

Pois eu gostava de ser gato. Mas não creio que algum dia o consiga...

Um abraço.

maria mar disse...

Parece-me que se calhar... tb nao saberei fazer muita coisa de forma perfeita, mas nós mulheres temos o dom de conseguirmos fazer um pouco de tudo e, mais que uma coisa ao mesmo tempo. Tal como a outras fêmeas, funcionamos no sentido da preservação da especie.
O povo chama a esta atitude da raposa "armar-se ao pingarelho"! Também diz que "pela boca morre o peixe". Vai dar no mesmo. Excelente fábula, tb nao conhecia.
Bjoca

Anónimo disse...

Pois eu,dos dois,escolhia ser alpaca (manga-de-) e ficava à espera do despacho do governo que me indicasse a solução para que não me caísse algum processo em cima...
Abraço Kincas

Pitanga Doce disse...

Eu sou uma raposa, que só fazer uma coisa cansa. Mas também não faço mal noventa e nove. Faço mais ou menos bem, quarenta e nove e meia, tá bem? hehhe

beijos Rosa

Teresa disse...

Adoro fábulas!
Dito isto, entre as competências do gato e as da raposa, somos obrigadas a ser como a raposa. Temos de nos dividir por tanta coisa diferente. Por isso é que, às vezes, não ouvimos as matilhas!
Bjs

Alberto David disse...

Cara Rosa, enquanto não descubro se sou gato ou raposa, deixo-te aqui está pequena fábula.

O GALO E A RAPOSA


Fugindo as Galinhas com seu Galo de uma Raposa, subiram-se em um pinheiro, e como a Raposa ali não pudesse fazer-lhes mal, quis usar de cautela, e disse ao Galo: – Bem podeis descer-vos seguramente, que agora acabou-se de assentar paz universal entre todas as aves e animais; portanto vinde, festejaremos este dia. Entendeu o Galo a mentira; mas com dissimulação respondeu: – Estas novas por certo são boas e alegres, mas vejo acolá assomar três Cães; deixemo-los chegar, todos juntos festejaremos. Porém a Raposa, sem mais esperar, acolheu-se dizendo: Temo que o não saibam ainda, e me matem. Assim se foi e ficaram as Galinhas seguras.

FÁBULAS DE ESOPO
(Vertidas do grego por Manuel Mendes, da Vidigueira)


Um abraço

Isa GT disse...

As mulheres são quase obrigadas a ser raposas, têm mesmo que saber um pouco de tudo, incluindo economia, coisa que os políticos homens parecem não saber lol

IMaria disse...

gosto de fábulas. Esta não conhecia. O que sou? Nem sei. Mas como mãe só me safo sendo um pouco de raposa. Os miúdos esperam isso de mim. No fundo, nem sei nada.

sendyourlove disse...

... gato, sem duvida, sou muito exigente comigo mesma e prefiro saber apenas uma coisa mas ser perfeita no que faço....
bjs

des-encantos disse...

...olá...
li outra vez, conhecia.
gosto de passar aqui 'ao sabor do vento'..
Mata dos Medos: é toda a mancha verde , area protegida , que envolve a praia (desde a do Rei)que se estende até junto da Lagoa de albufeira...
Paraiso sagrado, frequentado por uns poucos 'atentos'

Há.dias.assim disse...

Como somos Papalaguis, somos mais tipo raposas...
Bjocas

AC disse...

A aprendizagem da vida tem que se lhe diga. Embora não ponha em causa a conclusão da fábula, acrescentaria a vaidade da raposa como condimento para o seu falhanço.
Por onde andas tu, humildade?

mlu disse...

Somos uma espécie de mulheres dos sete ofícios, por isso... quem muitos "burros" toca, algum deixa para trás. Logo, sou mais raposa!
Gosto muito de fábulas que divertem e ensinam, que põem os nossos defeitos nos bichos (eles não se ralam nada) e parece que nos fazem sentir menos culpados!
Não conhecia esta, é muito gira!

Abraço.

"Sonhos Sonhados" e "Os Filmes da Minha Vida!" disse...

Amiga

...queria ser gato!

...gostei imenso deste "cantinho".

xis grandes da létinha

http://letinhaletinha.blogspot.com/
http://birdfleur.blogspot.com/

Claudia Sousa Dias disse...

só pode ser gato...quem pode.

Portugal,Grécia, espanha e afins são as raposas perseguidas pelos chacais das finanças, enquanto que os grandes felinos como a alemanha, a frança e a inlaterra se refugiam na ároredo seu proteccionismo.


CSD

Claudia Sousa Dias disse...

errata: árvore.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Uma linda mensagem de um lindo blog de uma linda pessoa. parabéns. Beijos

Rui da Bica disse...

E não é que posto nesta situação, de reflectir sobre o assunto, chego à conclusão que de gato tenho pouco e de que sei fazer razoavelmente uma boa quantidade de coisas ?...
Resta-me uma consolação: creio estar do lado da maioria :)))
.

Vozes de Minha Alma disse...

Querida Rosa, esse conto é uma verdadeira aula de humildade, que muitos de nós, precisávamos aprender.
É de suma importância, uma boa dose da sabedoria que o felino teve, e aplicá-la em nossas vidas, e em nossos relacionamentos.
Muitos tolamente vivem na presunção, sempre a depreciar seus semelhantes, em virtude de um nível cultural, social, religiosos e afins.
Mal procuram refletir que a verdadeira sabedoria consiste em ouvir mais o outro lado, se colocar muitas vezes em seu lugar, para entendê-lo e depois julgá-lo.
Meu abraço afetuoso, pois o que li aqui, serve-me também de direção e aprendizado.
Beijos em teu coração, um abraço.

Maria P. disse...

Também não conhecia!:)

Beijinho*

JPD disse...

És excelente a escolher e a editar fábulas.
Bjs

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Monteiro Lobato era meu ídolo literário na infância. Adoro sua fábulas. parabéns. beijos

Rosa dos Ventos disse...

Caros amigos
As fábulas são um pouco traiçoeiras na sua moralidade!
Se a maioria diz que é mais raposa não é pela mesma razão que a raposa apresenta.
Nesta fábula a raposa simboliza a vaidade, a presunção, o convencimento e a falta de sensibilidade para quem é diferente, atributos esses que caem por terra na conclusão.
Afinal ela não era perfeita nas noventa e nove competências que afirmava ter.
Daí voltar ao princípio para dizer que se a maioria se afirma raposa é, precisamente, pela imperfeição.
Apareceram duas "gatinhas" e ainda bem que são perfeccionistas.Uma delas nem gosta de fábulas... :-))
Mas os gatos sabem fazer muito mais coisas na perfeição do que subir às árvores...sabem escolher os melhores lugares para dormir, sabem ser independentes, são uma óptima companhia, são silenciosos,são limpíssimos, etc, etc, etc...

Abraço para as "gatas" e para as "raposas"

goiaba disse...

Também não conhecia a fábula. Sempre me debati entre o gosto em querer saber muita coisa e o desânimo de não saber bem uma só!Mas já não mudo: gosto mais de gatos mas sou mais rapoza...

Valquíria Calado disse...

Olá querida amiga, vim desejar-te um fim semana de muita alegria e descanso, convido-a a conhecer meu novo espaço: HANUKKÁ, deixo abraços e beijo no seu coração.


AMOR FEITO LUZ

MEU AMOR... HÁ MEU AMOR!
TRANSCENDE O OBSCURO
E REALIZA-SE EM LUZ!!!
LUZ... LUZ TEM MEU AMAR.
SALTITOS DE LUZ DA VALVESTA

Duarte disse...

Gostei da fábula que tampouco conhecia. Estou na mesma linha, sou aprendiz de quase tudo e não me considero mestre especialista em nada... ainda que na FA fosse especialista do ramo... lá me vou safando...

Abraços de vida

Lóri disse...

Acho que uma coisa que faz muito bem feita é olhar o mundo e comentá-lo, a outra é panhar momentos preciosos em fotografia. Se não bastam, volte às outras 99.

Quanto a mim, adoro gatos e prefiro fazer umas 2 ou três bem feitas, aquela em que me saio melhor é ensinar e, por isso, ando por aqui como se me tivessem tirado um braço, em adaptação, à falta de me sentir produzindo de verdade, entre alunos de qualquer idade, como fiz nos últimos 23 anos.

Um abraço!