sexta-feira, maio 07, 2010

Do Poemário...

Quem por aqui passa há bastante tempo sabe que uma das prendas de Natal que costumo receber de uma amiga dos bancos do liceu é o "Poemário", publicado pela Assírio & Alvim.
O deste ano chama-se "PoeMÁRIO CESARINY".
Enquanto rebuscava bem no fundo da minha cabeça o que haveria de postar para não pensarem que parti de férias, abri o dito Poemário no dia 7 de Maio e encontrei este aforismo:
O homem, antes de tudo, é poeta, por mais gordo e adaptado à rotundidade planetária; e depois é pedagogo, aferidor de pesos e medidas, engenheiro, deputado e outras deformidades sociais.
Teixeira de Pascoaes (1877-1952), Aforismos
(selecção e organização de Mário Cesariny)
E por aqui me fico.

17 comentários:

carol disse...

É extraordinário como há pessoas que em tão poucas palavras conseguem dizer tanto! Eu também gostava.

Isa GT disse...

Tanto tempo depois e continua tão actual :)

teresa disse...

Fico contente com a busca no Poemário.
Abraço.

pin gente disse...

também costumo oferecer o poemário pelo natal... é sempre tão bonito!

beijo
luísa

Duarte disse...

Bom, mesmo muito bom: valeu a pena a espera. Não se pode ser mias conciso...

Abrazos

Raquel Alves disse...

Grande Teixeira de Pascoaes!...grande beijinho

Luis Eme disse...

e ficas muito bem...

abraço Rosa

tsiwari disse...

Fossem [todos] os homens [tudo] isso e sempre o melhor disso [tudo] e [tudo] seria bem melhor!

:)***

Justine disse...

E ficas muito bem, que a frase dá que pensar para o fim de semana todo!
Um beijo de bom fds, apesar da chuva tristonha...

mlu disse...

Lindo, de verdade! Não conhecia esta faceta de Teixeira de Pascoaes, vou coscuvilhar porque gosto de aforismos. E este dá que pensar...

Bom fim de semana. Bjs

Lídia Borges disse...

Tenho esse poemário e gosto muito de o folhear.
Este texto de Teixeira de Pascoais é uma visão contundente e actual do homem e suas "deformidades".

Há.dias.assim disse...

Também costumo receber o poemário.
Teixeira de~Pascoas tem uma bela obra.

JPD disse...

Concordo!

Bjs

OUTONO disse...

...são ciclos...são palavras...são mentes da nossa mente...

Muito oportuno.

Alberto David disse...

Cara Rosa, ainda que atrazado.

Minha aldeia na Páscoa...
Infância, mês de Abril!
Manhã primaveril!
A velha igreja.
Entre as árvores alveja,
Alegre e rumorosa
De povo, luzes, flores...
E, na penumbra dos altares cor-de-rosa .
Rasgados pelo sol os negros véus.
Parece até sorrir a Virgem-Mãe das Dores.
Ressurreição de Deus! (...)
Em pleno azul, erguida
Entre a verde folhagem das uveiras.
Rebrilha a cruz de prata florescida...
Na igreja antiga a rir seu branco riso de cal.
Ébrias de cor, tremulam as bandeiras...
Vede! Jesus lá vai, ao sol de Portugal!
Ei-lo que entra contente nos casais;
E, com amor, visita as rústicas choupanas.
É ele, esse que trouxe aos míseros mortais
As grandes alegrias sobre-humanas.
Lá vai, lá vai, por íngremes caminhos!
Linda manhã, canções de passarinhos!
A campainha toca: Aleluia! Aleluia! (...)
Velhos trabalhadores, por quem sofreu Jesus.
E mães, acalentando os filhos no regaço.
Esperam o COMPASSO...
E, ajoelhando com séria devoção.
Beijam os pés da Cruz.

Teixeira de Pascoaes

Um abraço

Maria P. disse...

Nem é preciso dizer mais...
:)

Beijinho*

Tite disse...

Agora é que eu compreendo porque se diz que...

Portugal é um país de poetas

beijosssss