quarta-feira, novembro 01, 2006

Dia do Bolinho

Neste dia 1 de Novembro, cumpriu-se mais uma vez a tradição e as crianças sairam de casa bem cedo, para pedirem o "Pão por Deus".
Mas a cidade dificulta-lhes a tarefa.
São prédios com muitos apartamentos, alguns vazios e elas já aprenderam que por aí não levam nada.
Optam pelas zonas de moradias onde as pessoas procuram estar presentes para as receber.
Contudo cada vez se vê menos criançada pelas ruas.
À minha porta não bateu ninguém!

4 comentários:

Su disse...

tb na minha ninguem bateu....
jocas maradas de dias

zambujal disse...

Aqui, pelo Zambujal, tive a alegria de ver e receber "ranchos" de miudos. E não só porque muitos já-não-tão-miudos-assim fazem do cimo das suas alturas, das barbas a despontar ou pequenos seios a fazerem adivihar os seus volumes, o percurso que há anos repetem, com juvenil alegria. E o jovem ucraniano de 11 anos, cá pela terra há cinco anos, a pedir "ó tia, dá bolinho?", e que fica a conversar sobre o seu percurso escolar, sobre usos e costumes, encantado e encantando?
É por estas e por outras que sou tão

Zambujal

Rosa dos Ventos disse...

E eu sou cada vez menos tudo!
Um abraço por teres a tua porta sempre aberta

Luis Eme disse...

Também não tocaram â minha campainha... porque será?