domingo, julho 07, 2013

Ai Mouraria!


Em dias de muito calor, só em final de tarde se pode deambular pela cidade.
Desta vez a zona eleita foi a Mouraria.



Iniciámos a subida por vielas e escadinhas...os "grafittis" enchiam muitas paredes, uns sem qualquer qualidade...


Outros a tapar muito bem o abandono de alguns edifícios...



Casas velhas com roupa estendida ao nível do rés-do-chão como se estivéssemos numa aldeia...


Ainda presentes os sinais dos arraiais populares....


Chegados ao Largo da Achada deparámos com esta casa que também é o Centro Mário Dionísio.
A Casa da Achada é um espaço onde fervilham inúmeras actividades. 
A partir do programa de Julho recebido à entrada pudemos verificar que há cinema, discussão e lançamento de livros, declamações, exposições, jogos, feiras, comes e bebes, etc.


Coloquei esta foto da net para poderem apreciar o edifício sem poluição visual...


Uma casa muito bem recuperada no Beco da Achada...


Por esta nesga entre prédios, na colina em frente, está o Jardim de S. Pedro de Alcântara.




Quando iniciámos a descida em direcção ao Martim Moniz, depois de termos jantado muito bem na tasquinha do Eurico, olhámos para trás e ainda avistámos as muralhas do castelo!




Finalmente deixo-vos um convite para visitarem a Casa da Achada onde decorre esta exposição.
Confesso a minha ignorância em relação ao pintor em questão mas gostei do que vi.
E gostei muito desta deambulação...

29 comentários:

Catarina disse...

... da velha rua da praça... Foi do que me lembrei imediatamente quando li “Ai Mouraria”. Agora vou consultar o google para confirmar se há ligação entre uma e outra. A memória é muito seletiva!

O teu passeio mereceu este registo que muito gostei. Há sempre algo a descobrir mesmo em zonas já revisitadas.

Catarina disse...

Confirmei que é “... da velha Rua da Palma, onde eu um dia deixei presa a minha alma...”

: )

Rosa dos Ventos disse...

Ia explicitar o verso mas tu foste mais rápida, Catarina! :-))
Continuamos com temperaturas tórridas!

Abraço

quem és, que fazes aqui? disse...


Um ótimo passeio apesar deste calor!

Boa semana e um beijo

Laura

São disse...

Na Casa da Achada vai haver um encontro sobre os pescadores da Meia Praia, "mesmo ali ao pé de Lagos" e da maneira com substituíram as barracas em casas, após o 25 de Abril 1974.

Bom resto de domingo

Rui da Bica disse...

Uma deambulação muito bem documentada, proveitosa, física e mentalmente !
Uma das coisas que muito aprecio : passear por sítios desconhecidos sem um destino pré estabelecido e muitas vezes surgem coisas que nos surpreendem e fazem valer a pena a deambulação ! :))

Abraço, Rosa ! ;)))
.

Pitanga Doce disse...

Eu também gostaria deste passeio. Um dia...

luisa disse...

Com este passeio, já cá cantam dois neste domingo. Um real e outro virtual. Gostei. :)

Rosa dos Ventos disse...

Penso que foi ontem, São!
Tinha o título de "Os Índios da Meia Praia"...
Esqueci-me de referir uma actividade importantíssima - a existência de em coro!

Abraço

mlu disse...

E é assim que se conhece bem uma cidade: a pé, com calma e uma máquina fotográfica para a mostrar a outros! Obrigada!

Bom resto de Domingo e

Um abraço.

as-nunes disse...

Acompanhei com entusiasmo a reportagem...
e ouvi, em fundo, a minha mãe a cantar os fados da Amália... aí pelos anos 50/60!
Ainda é viva a minha mãe.
Que bela voz, mãe!...

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Um passeio agradável na descoberta da nossa cidade capital.
As fotos são um convite para a visita.

Rosa dos Ventos disse...

Também lhe dou um jeito, caro As - Nunes...sobretudo quando a festa já vai adiantada! :-))

Abraço

redonda disse...

Gostei muito do passeio :)
um beijinho

Observador disse...

Belo passeio. Para mais tarde recordar.

Boa semana.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Rosinhamiga

O calor deu para que me (nos) reportasses (sempre a mania dos jornais...) a Mouraria onde eu um dia deixei presa a minha alma; por ter passado mesmo a meu lado certa bloguista, de cor morena, boca pequena e não golpista; ai Mouraria da mulher do meu encanto; que me batia, mas que eu cantava e canto (...) Ai Mouraria, dos malandros e dos ais, dos Portas e dos Passos, qu'eu já na'guento mais...

Muito obrigado. Agora o melga: manda-me os teus dados e não se fala mais nisso. 'tagardecido.

Qjs

Henrique

luna luna disse...

sabem bem estes passeios, não só a nível cultural como para relaxar do dia a dia mais ou menos atribulado
beijo

Graça Sampaio disse...

Bela passeata lá pela "minha" Lisboa! E belas fotos também! Muito bem!

Boa continuação.

Teté disse...

A impressão que tenho é que as festas de Lisboa de junho se prolongaram para julho, que não faltam exposições e eventos artisticos ou musicais por toda a cidade neste mês... :)

Mas foi um belíssimo passeio, muito bem documentado também! :)))

Abraço

maria mar disse...

Estás a ficar uma perita no (re)conhecimento dos cantinhos da capital, mas com este calor...gabo-te a força!...
Bjinho e boa continuação

Luis Eme disse...

às vezes perco-me por aí, Rosa. :)

abraço

marina disse...

Nós gostamos tanto de Lisboa, adorei esse passeio...não conheço a casa em questão mas vou querer conhecer, tenho tanto para aprender....
Obrigada Rosa!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Depois da "revolução" encetada pelo Grupo de Amigos da Mouraria, apoiada por António Costa, esse passou a ser um dos meus bairros preferidos em Lisboa.
recordo uma visita guiada que lá fiz ano passado. De uma forma singular, a visita foi feita por um guia a cantar.
Excelente passeio de final de tarde, embora aconselhável em dias de menos calor.
Gostei da sua reportagem

Rosa dos Ventos disse...

Talvez fosse por isso que António Costa acompanhou a apresentação do candidato do PS à Assembleia de Freguesia de Santa Maria Maior (se não estou em erro) no Largo da Achada num destes últimos dias, caro Carlos Barbosa de Oliveira! :-))

Abraço

Duarte disse...

Rosa, que bonito! Que reportagem tão bem conseguida...
Essa é a Lisboa que amo, que me enche de ternura: parece que os anos não passam por ela!
Que ambiente!
Obrigado, fui um pouco mais feliz.
Abrazos

Evanir disse...

Todos os dias Deus nos dá um momento em que
é possível mudar tudo que nos deixa infeliz
e tristes.
Para isso precismos ter esperança e acima de
tudo muita fé .
Com esperança e fé tudo pode mudar dentro de nos
as coisas boas começa acontecer mudando toda nossa existência.
Esse é um instante mágico quando passamos a ter fé porque Deus
vem habitar dentro do nosso coração.
Estou deixando essas palavras por ter muito
carinho por você.
Desejo uma semana abençoada.
Beijos no coração,Evanir.

Rui Pascoal disse...

O ano passado andei por aí... mas deparei com essa casa fechada. Será que tenho mais sorte da próxima?
:)

Flor de Jasmim disse...

Gostei muito deste passei virtual a lugares que não conheço, tal como conheço muito pouco de Lisboa, as vezes que mais para lá caminhei durante muito tempo foi para Carnaxide para o Instituto do Coração com o meu Rodrigo, nem dava para apreciar nada.

beijinho e uma flor

Turista disse...

Querida Rosinha, que belo passeio guiado me ofertaste, por um dos bairros lisboetas que me deixa tanta saudade. Obrigada pela partilha. :)
Beijinhos grandes.