quinta-feira, abril 04, 2013

Gatos não morrem jamais...



Gatos não morrem de verdade:
eles apenas se reintegram
no ronronar da eternidade!

Gatos não morrem de facto:
suas almas saem de fininho
atrás de alguma alma de rato:

Gatos não morrem:
sua fictícia morte não passa de...
uma forma mais refinada de preguiça.

Gatos não morrem:
mais preciso, se somem, é dizer que 
foram rasgar sofás no paraíso.

E dormirão lá,
depois do ônus de sete bem vividas vidas,
seus sete merecidos sonos...

Nelson Ascher, in "Parte Alguma"


A Kikas, a nossa gata mais mansa, mais doce e a única que nasceu cá em casa, sem que nada pressentíssemos de estranho nela, em poucos minutos demonstrou que queria partir em busca de um sofá nas nuvens!
Em vão corremos com ela para a veterinária que já nada pode fazer...
Ficámos inconsoláveis e as outras duas, pelo comportamento que têm assumido, também lhe sentem a falta!




38 comentários:

Nina disse...

:(
São família, estes amigos. Bem mais fiéis do que muita gente.
Sinto muito, Rosinha.
Um abraço

Anónimo disse...

Como eu compreendo o seu desgosto.Nem quero pensar a falta que vou sentir da minha Mimi , que é da mesma raça , tem comportamento doce , faz companhia, mas já é velhinha.Um abraço solidário.M.A.A.

Sam Seaborn disse...

Olá tão diferente que está o teu blogue :) nada morre em definitivo, pelo menos enquanto a memória persistir…
Abraço

Rui da Bica disse...

Uma mentira piedosa ! :))

A morte dos gatos foi a causa principal de hoje e de há muitos anos, não ter gato em casa !
Vivi muitos anos numa moradia com quintal, que tinha um poço e uma daquelas bombas volantes de tirar água, quando se dava à manivela ! Vi aí morrer mais que um dos meus gatos. Não sei porquê resolviam atravessar a correr aquele "carrocel" vertical em andamento e nada se podia fazer. Outros, atropelados na rua por algum carro, outros ainda, muito doentes ! :((
Deu para sofrer demasiado com todas essas perdas ! :(((
.

Anónimo disse...

Amiga,espero que a KIKAS esteja instalada no mesmo sofá do KURIKA,se a organização for por ordem alfabética.Creio que os dois vão dar-se bem ronronando felizes com os destinos cumpridos.ABRAÇO .Kinkas (ai os KAPAS...)

Pitanga Doce disse...

Tadinha! Resolveu ir miar no telhado mais alto e com a vista mais bonita.
Beijos, Rosa.

São disse...

Tal como as pessoas, a vida esvai-se de repente nesses extraordinárops animais que são os felinos...

Enquanto a tua gatinha rasga sofás na eternidade , eu te envio um solidário abraço de conforto, pois também sei o que é perder um querido animal de estimação

as-nunes disse...

O poema diz tudo o que qualquer um de nós pode sentir acerca dos seus gatos...

É sempre com mágoa que se vê partir um amigo, quantas vezes de mais de uma década, até 15 anos.

Recordei a noite em que eu e a Zaida, depois de enterrarmos num roseiral, a nossa gata ...
-
http://dispersamente.blogspot.pt/2010/02/adeus-lili.html

Adeus Lili...

Um mês antes...
ainda a nossa gata
gozava
no seu deambular
pelo telhado
pelo relvado
pelo jardim
...


Aqui ficará para sempre
a sua presença
o seu miar feliz
Tudo o que nasce
é para morrer
Porque terá de ser assim?


Porque sim...
-

Um abraço solidário, Rosa

Dalma disse...

RV, é sempre assim, o que nos dá felicidade mais tarde ou mais cedo traz-nos sofrimento...

p.s. sempre resisti a bichos cá em casa mesmo tendo um jardim. A única coisa permitida foram ums peixinhos vermelhos(uns após outros) tendo o último acabado no lago do meu liceu quando rumei por um ano a Itália.

Teté disse...

É sempre um desgosto quando partem...

Abraço

quem és, que fazes aqui? disse...



É terrível! Sentimos-lhes a falta de modo tão intenso que, e falo por mim, ainda às vezes chamo por uma cadela Labrador que tive... :(

Beijo

Laura

marina disse...

Que dor deve ter sido...olho para o meu cão e fico a pensar...
Um beijinho

Rui Pascoal disse...

A minha gata mais velha (já tem 11 anos)está aqui ao meu lado no sofá a olhar para o monitor apreensiva... enquanto a filha dormita tranquila.

Graça Sampaio disse...

Custa tanto, tanto quando eles nos deixam o seu vazio em casa! Eu choro sempre imenso!!! (Faço ideia como está o Fernando!)

O poema é lindo!

Beijinhos solidários

mlu disse...

Sempre imprevisíveis os gatos, até na morte! E as outras duas sentem, pois claro!
A minha cadela Pop-Off morreu, o gato Guizinho desapareceu e ainda dói cá dentro! Tenho outras duas gatas, já com uns bons anos e penso nisso!
A Kikas mereceu este poema tão lindo!

Um abraço.

maria disse...

Lamento Rosa :(((

Beijinho :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

É nestes momentos que penso ter sido boa ideia resistir a arranjar outro gato, depois da morte do último...
Sou fã de gatos!
Lamento a perda.

Flor de Jasmim disse...

Rosa não tenho palavras as lágrimas caêm, é um grande vazio e as saudades!
Ainda choro a partida de cada um dos meus que já me deixaram.

Beijinho e uma flor

Duarte disse...

Dói e entristece o silencio que deixou a ausência: continuo a recordar aquela Princesa que, como agora a Kikas, partiram para essa viagem sem retorno.
Lamento-o, pois sei o que isso é.
Abraço solidario.

Lilá(s) disse...

Custa tanto!! é como se fosse alguém de família. Estremeço sempre que leio algo no género...
Beijinhos grandes

Evanir disse...

Crer em Deus e nos Seus planos nos
traz a serenidade que só a fé pode trazer e
nos conduz à fonte do prazer de viver,
da qual beberemos e da qual seremos saciados.
Benditos somos nós, donos de uma força que ignoramos e
herdeiros de um Pai que nos recebe de braços abertos
cada vez que decidimos voltar pra casa.
Carinhosamente te desejo um abençoado final
de semana.
Que Deus abençoe você paz amor e luz.
Beijos no coração carinhos na Alma,Evanir..

Catarina disse...


Lamento.
Imagino a falta que todos vao sentir, incluindo os outros gatinhos.

luisa disse...

São os gatos e qualquer outro animal de estimação. Quando se vão, digo sempre que nunca mais quero nenhum...

maria mar disse...

Então a tua Kikas foi viver para o algodãozinho das nuvens. Tenho cá em casa um gatinho 'emprestado'o Newton, é o "neto" mais velho, um gato persa que anda sempre atrás de mim pela casa. Uma doçura. :) Lamento imenso a tua perda, amiga.
Beijinho

heretico disse...

continuará a habitar a casa - estou certo...

beijo

O meu pensamento viaja disse...

Que pena!
Que desgosto
Imagina-a no céu, rasgando sofás!
Um grande beijinho

Teresa disse...

Um belo poema, em jeito de epitáfio!
Mas os gatos são mesmo assim, inesperados até na morte!
Beijinho.

Justine disse...

Um beijinho, Rosa! Como eu temo esse momento aqui em casa...

Justine disse...

E tens toda a razão: gatos não morrem jamais - a Juju continua a passear, de vez em quando, por entre as nossas pernas e a saltar-nos para o colo...

Tite disse...

OH!!!!!!!!!

Não faz mal...

"Os gatos não morrem".

Abreijos

Anónimo disse...

Um poema doce para um sentimento inexplicável, essa, a perda de um animal de companhia. A Kitty encontrará a Kikas, nas tais almofadas de céu e sofá de estrelas.
Assim mo diz ela aqui numa foto em frente do écran, seus olhos amarelos e esquivos, seus pelos de castanho ao dourado e café com leite. Gatas que falarão de vidas femininas com a delicadeza com que se lambem e a elegância com que se moviam entre os nossos móveis e pensamentos.
Nunca mais quis ter um gato ou sequer um pássaro: estou muito velha para "procurar" desgostos.
Lamento, Rosa, beijinhos da bettips

Patti disse...

Um grande, grande beijinho.
Depois dos filhos, o melhor que temos na vida são os nossos animais de estimação.

Vera disse...

A Bijou, minha gata persa deixou a casa vazia, fria e triste. Choro sempre. Ficou apenas 3 anos conosco.
Ao chegar em casa, vinha sempre ao meu encontro, miando sem parar. Eu a pegava no colo, (ainda sinto seu cheiro) parecia q queria conversar.
Ñ sei como vou superar a falta da minha amiguinha e companheira q ficava me vigiando. Parecia estar cuidando
para q nada me acontecesse.
Espero q ela tenha encontrado uma vaga no sofá.
Sinto muito pelo sofrimento de todos nós.

Rui MFA disse...

A perda de um gato com o qual tinha uma grande empatia deixou-me bastante abalado...ficou uma tristeza imensa. Não quero acreditar que ele simplesmente fechou os olhos e tudo acabou

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

Lindo e triste tudo o que li até agora.
Perdi o meu melhor amigo no dia 15/04/2013. Cinco dias antes de completar 7 anos de vida ao meu lado. Na verdade não o perdi. Ele foi tirado de mim. Alguém sem coração atirou nele uma bala de ar comprimido.
As últimas horas de vida ele passou no meu colo... O veterinário não pode fazer mais nada. Vi o meu gato definhando e eu não pude fazer nada também. E mesmo com tanto sofrimento ele estava ronronando... Melhor e fiel que muitas pessoas que se dizem "amigos", parentes, família, filhos...
Ele sim era meu amigo, filho, família... Mais que isso, um verdadeiro anjo que Deus manda a Terra para mostrar ao homem o que é Lealdade e Fidelidade.
O meu "Eterno Nill" era o único que fazia uma depressiva crônica como eu levantar da cama, quando eu escutava o seu forte e doce miado avisando que ele estava voltando de mais um de seus passeios que ele adorava fazer...
Quero também ir para o céu dos gatos...

Denise Nobile disse...

Li todos os posts! Lindos cada um com sua história, no dia 19de de Maio de 2017 meu gatinho morreu envenenado ���� ele era nosso menininho , lindo amado por tds nós aqui de cada , era como o filho caçula .... Ele viveu rodeado de amor e cuidados mas tenho q ser forte tenho outro gato que amo tbm ...e cuidarei dele tbm.Apesar da dor no meu coração de sds ...tenho a consciência tranquila , pq cuidei dei muito amor !!! O amor foi de mãe ele sempre vai estar no meu coração ... tbm quero ir para o céu dos gatos como disse a Maria