sábado, setembro 22, 2012

O verão terminou...



Será que ainda há amores de verão a ficarem enterrados na areia?
Quando era menina e moça era assim mesmo!

24 comentários:

Catarina disse...

Acredito que sim... talvez com vertentes um pouco diferentes... mas amor é amor.

Gosto da melodia.

São disse...

Uns ficaram, a maioria; outros conseguiram triunfar.

Bons sonhos

Ah, desta canção gosto muito, rrrss

Mery disse...

Feliz zz ***Outono com muito Amor*** pois o amor está em qualquer época e temos de celebrar muito; que lindo vídeo é de outro tempos, não é? Tá lindo demaisss ...
beijinhos para todos vocês "amo Portugal e viva a Primavera no Brasil he he

Rui Pascoal disse...

Então não deve haver?
:)
Há que tempos que não ouvia esta bonita canção...

as-nunes disse...

Les chats sauvages!...

Sem mais, aqui deixo uma saudação dos anos 60!

Flor de Jasmim disse...

Ui que bom Rosa, que saudade,à muito que não ouvia esta música!
O amor não escolhe altura do ano,ou existe, ou não, por e simplesmente não se inventa.
obrigada amiga por este momento.

Beijinho e uma flor

Rogério Pereira disse...

Ah, a nostalgia dos sexagenários...
e os "flirts" vividos e imaginados. Cheguei a namorar meia dúzia (elas é que nunca chegaram a saber...) Pode crer!

:))

luisa disse...

Será o outono uma estação nostálgica?
Estou a ver que vários blogues que sigo postaram hoje músicas de outros tempos... :)
Gosto muito desta :)

Graça Sampaio disse...

Ui o que eu gostava desta canção!!! Tantas vezes a dancei e cantei e tudo. Que saudades.

Bisous

redonda disse...

Gostei da música :)
um beijinho

Nina disse...

O meu chegou e ficou!:))
Vou ouvir a tua música enquanto faço umas visitinhas.:)

Abraço

Anónimo disse...

No meu tempo as coisas passavam-se assim.Paixões ardentes não entravam no jogo,geralmente,digo eu,mas as inclinações aconteciam frequentemente e nem era época de banhos se elas não juntassem uns tantos parzinhos por quinzena ou por mês.As inclinações tomavam banho às mesmas horas,punham o Nívea ao mesmo tempo,cada um por si,uma vez que as mães da inclinadas não largavam as crias de vista,emprestavam-se livros(nunca acabados)trocavam-se endereços,elas,as inclinadas,comentavam e elegiam o "traço"entre si,mas continuavam, prudentemente, não mais inclinadas que a Torre de Pisa,não fosse o mafarrico tecê-las...Depois de arrumada a tralha,cada qual para seu destino onde elas,as inclinadas,esperavam a chegada de uma missiva ou sequer ao menos um postal que geralmente se " extraviava" pelo caminho,Então,no ano seguinte,ao remexerem os atavios de praia encontravam uma folha de bloco com um endereço.Oh! Era do mais alto? o de olhos azuis?O das alças cruzadas? Lá ficou na areia...Hoje é tudo muito mais prático e será mais fácil recordar as unhas dos pés que até nem tinham micoses...Desculpa Rosinha,ocupar tanto espaço,mas a 5ª idade é um pouco assim.Kinkas

Rui da Bica disse...

Eu creio que nada é como antigamente, Rosa.
Amores de Verão aconteciam, ficavam enterrados na areia, simplesmente porque as "distâncias" e as (im)possibilidades de "comunicação" eram enormes, o que não acontece hoje em dia ! Andávamos a carpir as mágoas por longo tempo, até esquecer !
Hoje ficarão "enterrados na areia" se,... por opção. Afinal, "encontros" e "flirtes" de verão são facílimos, mas só lhes dá sequência quem entender e estiver realmente interessado ! :))
A internet e os telemóveis farão o resto!

Abraço !
.

ematejoca disse...

Quando era menina e moça não enterrei nem amores de Verão, nem amores de Inverno!!!

A minha grande paixão foi sempre a Alemanha, a física e a literatura.

As minhas filhas dizem que perdi o melhor da vida. Talvez, não sei!

Teté disse...

Talvez os amores de verão não sejam tão puros e ingénuos como outrora, que os tempos são outros, mas estou certa que ainda existem... :)

Há muito que não ouvia esta música, que me faz lembrar esses outros tempos! :D

Abraço

Silenciosamente ouvindo... disse...

Parece que os amores "de agora"
não têm estações...nem chegam a
durar uma estação, apenas casos
muito excepcionais.
Aos que conseguiram BOA SORTE.
Bj.
Irene Alves

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu quero acreditar que sim, Rosa, mas já me perguntei muitas vezes sobre isso...
Creio que a diferença é que hoje em dia rapidamente se esquecem...

Isa GT disse...

Antigamente era assim porque não havia net nem telemóveis e as cartas eram controladas... que remédio... ;)

Bjos

trepadeira disse...

Amores de Verão que podem ser no Inverno.
O romantismo é que nos salva.

Um abraço,
mário

Pitanga Doce disse...

Eu nem vou comentar.

beijos Rosa

Luis Eme disse...

de certeza que haverá.

as férias e o calor do Verão são propícios a estas paixões curtas...

abraço Rosa

Justine disse...

As memórias que tu foste desenterrar com os Chats Sauvages!
Mas estou em crer que hoje também é assim...só com alguns "condimentos" que no nosso tempo raramente havia:))))

Duarte disse...

Assim é , assim foi.
Os amores do verão não são duradoiros, pelo menos, como bem dizes, era esse o sermão de outrora...
Abraços

Pérola disse...

Há coisas intemporais, que não mudam.

Beijinho