domingo, dezembro 05, 2010

Chove!

Chove...




Mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu.




Chove...




Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.




José Gomes Ferreira

20 comentários:

Justine disse...

O Zé Gomes era mesmo um enormíssimo poeta! Quase apetece que a chuva continue a fazer tocar o seu violino...
Beijo

Isa GT disse...

Se ele não se importa que chova...
está tudo bem ;)

Hoje, por aqui, até pode chover, mas amanhã... já dispensava :)

Bjos

Lídia Borges disse...

José Gomes Ferreira um dos "meus" poetas pela imensa ternura que põe em tudo que diz.

Obrigada!


Um beijo

Catarina disse...

Uma outra forma de ouvir a chuva…

Rui da Bica disse...

Curioso como a chuva provoca sentimentos tão diferentes, face a cada situação, de local ou de estado, em que nos encontramos !

Uma coisa horrível quando sujeitos directos a ela,...
Um regalo para os sentidos quando a vemos e ouvimos através dos vidros, no nosso aconchego,...

E mais poeticamente como diz o autor:
“uma melodia no silêncio” e um “som de violino, pra quem ama” !

Um Bom Domingo, a ver e a ouvir a chuva, Rosa !
.

Luis Eme disse...

lindo, Rosa.

(também gosto muito do enorme Zé Gomes)

abraço

Paloma disse...

Só quem ama,entende o significado
destas palavras:¨Mas é do destino
de quem ama, ouvir um violino até
na lama¨. Muito intenso.
Abraços

Maria disse...

O Zé Gomes é um Poeta maior. Em beleza, em ternura, em verticalidade, em tudo!

Um abraço.

Pitanga Doce disse...

Aqui esperamos uma chuvinha a ver se refresca um pouco. Valha-me Deus!

Boa noite, Rosa.

redonda disse...

Muito bonito. Gostei e não conhecia.

um beijinho e uma boa semana

carol disse...

Tão lindo, não é? E, no entanto, o seu autor pasa tão esquecido!

Rosa dos Ventos disse...

Eu gosto muito da sua poesia!
Andei à procura de outra que também falava de chuva mas esta é de uma beleza e simplicidade desarmantes...

Abraço

Sonhadora disse...

Gostei muito da poesia, e, confesso, não conhecia.

Abraço.

rouxinol de Bernardim disse...

Há violinos que tornam a chuva mais benigna e menos amarga...
Enfim, um violino no telhado faz sempre bem...mesmo com chuva...

Rosa dos Ventos disse...

Desde que o telhado não meta água, Rouxinol! :-))

Abraço

JPD disse...

Fazes muito bem em recordar Zé Gomes Ferreira.
Há que tempos ele anda um pouco da memória colectiva.

Bjs

AC disse...

Rosa,
Uma boa ideia, esta de trazeres o Zé Gomes à compita.
Para além da poesia dele, que adoro, o seu "Aventuras de João Sem Medo" foi um dos livros que marcou a minha adolescência.

Beijo :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Nem este belo poema me apaga a saudade recente de uns belos dias de sol a anunciar o Verão, no hemisfério sul...

Tite disse...

Os poetas têm sempre palavras lindas para tudo o que nos rodeia.

Eu só gosto de chuva porque ela é absolutamente necessária para a nossa sobrevivência senão... passava bem sem ela.

Gosto mais da chuva seca que tenho lá no meu blog.

Beijossss

R. disse...

Muito, muito belo.