terça-feira, setembro 21, 2010

Da Educação em geral...

No regresso de Serpa passei pela Vidigueira onde visitei o Museu Municipal que é de não perder.
O edifício é uma antiga Escola Primária (como se dizia antigamente) e a sua criação tem uma história muito curiosa que não vou contar.
A 1ª sala recria uma sala de aulas, com todos os objectos da época, mapas, caixa métrica, livros, etc.
Numa das paredes estava um texto que fotografei mas que não sairia nítido aqui, por isso resolvi transcrevê-lo.

"(...) sabendo ler e escrever, nascem-lhes ambições: querem ir para marçanos, caixeiros, senhores; querem ir para o Brasil. Aprenderam a ler! Que lêem? Relações de crimes; noções erradas de política; livros maus; folhetos de propaganda subversiva. Largam a enxada, desinteressam-se da terra e só têm uma ambição: serem empregados públicos. Que vantagens foram buscar à escola? Nenhuma. Nada ganharam. Perderam tudo. Felizes os que esquecem as letras e voltam à enxada. A parte mais linda, mais forte, e mais saudável da alma portuguesa reside nesses 75% de analfabetos."

Virgínia Castro e Almeida "O Século" 5 de Fevereiro de 1927

Dos cadernos que têm vindo com o DN intitulados "As Estórias Nunca Contadas Pela História", faço a transcrição de um extracto do JN de 11/07/1926 intitulado:

A Educação das Mulheres

Na sua admirável conferência sobre a educação da mulher o sr. dr. Serras e Silva fez simultaneamente obra de doutrinário, de sociólogo e, sobretudo, de educador.O eminente professor da Universidade de Coimbra falou largamente sobre a vida interior da mulher.(...) A mulher, que tem o sentimento do modernismo, não faz o menor esforço para aperfeiçoar em si as grandes qualidades que exaltam sempre o que nela há de mais nobre e mais puro. Inferioriza-se lamentavelmente, sempre que pretende aproximar-se do homem, lançando-se numa reivindicação de direitos, que não é própria nem da sua sensibilidade, nem do seu sexo.


Salazar já tinha feito uma breve incursão a Lisboa em 1926, voltou para Coimbra e só regressaria de vez em 1928 mas o ambiente que se iria degradar ainda mais na área da Educação já tinha destas iluminadas elites a opinar sobre a educação do povo em geral e daquela "espécie de sub-género" chamada mulher!
Quando é que o nosso país se livra deste ferrete?
É que ainda há por aí muita "gente" a pensar desta maneira, sobretudo no que diz respeito às mulheres.

12 comentários:

mlu disse...

Uns "mimos", estes textos! Índices de um nível cultural que vai melhorando, mas ainda devagar, para a época das grandes velocidades em que vivemos!

Abraço.

L.O.L. disse...

Não é à toa que temos um atraso cultural de cerca de 40 anos em relação a muitos países europeus.

trepadeira disse...

Não é só em relação à mulher,é em relação a tudo.
Diria até ter chegado ao poder o que de pior e mais retrógrado tem esta sociedade.
Um abraço,
mário

goiaba disse...

É verdade que continuamos a "transportar" preconceitos mas quando se pensa no número imenso de mulheres sem acesso a cuidados médicos ( porque são homens que os prestam), à escolarização, ... é uma sorte (?) ter nascido deste lado do mundo.
Abraço - já disse ao Amon que tem de escrever para o blog mas ele dorme !

carol disse...

Ah "ganda" Rosinha! É assim mesmo!
Eu costumo dizer, com a ironia que me é habitual, que "nasci com um defeito físico: sou mulher..." e por isso muitas vezes somos preteridas porque se apresenta um homem.
Até quando?

Duarte disse...

Fizeste bem em passar por Vidigueira de não ser assim tinha-me visto privado desta magnífica reportagem: para mim de nota máxima.

Lamentavelmente era assim que as coisas iam. Quando acabei a escola primaria e fui estudar para o Porto, desde pedras Rubras, fui o único. As raparigas da minha época, por aquelas latitudes, eram costureiras, dedicavam-se aos trabalhos caseiros ou do campo. Uma pena, quantos cérebros prestigiosos foram ficando pelo caminho. Mas ainda à muito caminho para recorrer, mas felizmente avança.

Um grande abraço de boa amizade

Vieira Calado disse...

Parece que estamos um pouco como isso.

Parece que há interesse em que a maior parte dos alunos saiam da escola

quase sem saber ler...

Saudações poéticas.

Bjs

Anónimo disse...

Pois é, o Doutor de Santa Comba tinha atrás de si e em cima de si,excelentes retóricos que lhe vinham mesmo a calhar por todas as razões.Por isso é que neste Jardim à beira mar plantado, só houve escolaridade obrigatória PARA O SEXO MASCULINO em 1954 (eu que o diga que comecei carreira nesse ano e me vi a braços com 51 alunos e 4 classes.O ensino tornou-se obrigatório para o SEXO FEMININO só até à 3ª classe ,note-se, em 1956( com aulas de caseados bainhas à mão e outras prendas),com algum alvoroço de muitas mães que ficavam sem as cachopas para ajudarem a criar os mais novos,nas lides caseiras ou até mesmo para porem a servir no sentido de aumentar os parcos rendimentos ou terem menos uma boca a alimentar.Tenho uma afilhada de casamento que conheci quando,joelhada num mocho da cozinha para chegar à pia, lavava a loiça para os patrões,por sinal boas pessoas.Em contrapartida converso com uma senhora ucraniana que sempre conheceu 12 anos de escolaridade obrigatória no seu pais.Abraço Kinkas

Rosa dos Ventos disse...

Pois é, Kinkas!
Até na escolaridade obrigatória as mulheres foram discriminadas...
Mas agora lideram nas universidades...sem no entanto liderarem no mercado de trabalho...
As chefias são para os homens e em alguns sectores a fazerem o mesmo ainda ganham menos do que os colegas de profissão.
Além de haver mais mulheres que homens nas universidades também se destacam noutro aspecto, este bem trágico - há muito mais mulheres assassinadas pelos maridos, companheiros, namorados e afins do que o contrário!
Isto tira-me do sério! :-((

Rosa dos Ventos disse...

Até quando?
Boa pergunta, Carol...

Isa GT disse...

Há muita "gente" a pensar da mesma maneira porque seria muito conveniente ;)
As "lutas de galos" pelo poder estão a destruir a lucidez e a racionalidade para resolver os, verdadeiros, problemas.

Bjos

Tite disse...

Querida amiga,

Qualquer dia vou dizer a todo o mundo que o teu blog é de utilidade pública. Ma-ra-vi-lho-so!

Agora posso acrescentar um "feeling"?

O mundo só vai mudar quando for GOVERNADO por MULHERES. Elas têm sentido prático, percebem de economia e têm vistas largas além do seu tão afamado 6º sentido.

Tomem nota.

Beijosssssss

PS - É uma opinião que obviamente considero polémica mas... é a minha.