segunda-feira, março 29, 2010

Leva-me os olhos, gaivota...


Leva-me os olhos, gaivota,
e deixa-os cair lá longe naquela ilha sem rota...
Lá...
onde os cravos e os jasmins
nunca se repetem nos jardins...
Lá...
onde nunca a mesma aranha tece a mesma teia
na mesma escuridão das mesmas casas...
Lá...
onde toda a noite canta uma sereia
e a lua tem asas...
Lá...
José Gomes Ferreira
Nota: também gosto muito da poesia de José Gomes Ferreira.

14 comentários:

Maria disse...

E eu também!
E esta fotografia é fantástica!

Um abraço

Justine disse...

És tu e eu, amiga! E a escolha é magnífica
Beijo

Escutador de Almas disse...

Pois...a gaivota só nos leva aonde nós quisermos ir!

Foto linda!

Alberto David disse...

Cara Rosa como gostas de José Gomes Ferreira, aqui deixo mais um.

CHOVE!

Chove...

Mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove...

Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.

Um abraço

Maria P. disse...

Eu também gosto!

(uma gaivota voava, voava)

:)Beijinho*

pin gente disse...

tantos se fazem gaivota!

um abraço
luísa


bela foto!

Pitanga Doce disse...

Onde houver gaivotas...eu estou!

beijos e Sol!

maria mar disse...

Tu e a tua sensibilidade. Muito linda esta tua escolha.
Bjinho Rosinha

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Você tem razão.O poema é deveras lindo. Parabéns ao autor e a você por nos brindar com o poema.Beijos

Catarina disse...

Não estou familiarizada com o trabalho literário deste escritor/poeta.
Gostei da poesia – suave, que revela um certo saudosismo... pelo menos foi assim que a interpretei.
Obrigada, Rosa, por compartilhar e, simultâneamente, dar a conhecer (a pessoas como eu que que não o conhecia ) um outro poeta português.

lua prateada disse...

Olá...............passei apenas para te convidar para minha festa!passa lá e te diverte...Obrigada pela presença...Beijo de prata

SOL

Rosa dos Ventos disse...

Cara Catarina
Como não tens blogue disponível, deixo-te aqui um agradecimento pelas visitas que tens feito com simpáticos comentários.
José Gomes Ferreira é daqueles poetas que também vale a pena conhecer!

Abraço

Duarte disse...

GAIVOTA

Pequena mancha branca
sobre a massa das águas,
voo caprichoso de gaivota,
tremem nela os meus olhos.

Esses sons…
quase um grito!

Esses voos arriscados,
com caídas em picado.


Esse planear quase sem fim,
sobre a praia,
sobre o mar…
Essa aproximação, tímida,
ante o desconhecido...


Gaivota, gaviota, gaivota, gaviota...


Abraços

Anónimo disse...

Também gosto muito da poesia e da prosa do José Gomes Ferreira e é tão desconhecido do público em geral.
Tive o prazer e a honra de o conhecer numa formação para professores de Português nos bons tempos do Ministro Veiga Simão (já foi no século passado, meu deus!)
graça