domingo, janeiro 17, 2010

Homenagem a Miguel Torga

O blogue de um amigo virtual lembrou-me que Miguel Torga morreu a 17 de Janeiro de 1995.

Aqui fica a minha homenagem a um poeta e contista que muito aprecio.

Hora de Abandono
Não dizer nada, chorar.
Chorar como uma criança
Que já não tem confiança
No próprio Deus da doutrina.
Não dizer nada, chorar
Até o pranto coalhar
Na lucidez da retina.
Miguel Torga

16 comentários:

Tite disse...

Rosinha,

Miguel Torga merece esta invocação.
O poema é lindo mas vejo que o ambiente continua triste.
Aqui também... o Sol vem por minutos fugazes e eu... preciso dele para voltar a brilhar.

Abraços e um bom domingo

Maria disse...

Bonita e merecida homenagem.

Um abraço, Rosa

tulipa disse...

MERECIDA HOMENAGEM.
LINDO O POEMA.

No intuito de levar ao conhecimento de todos a minha paixão pela fotografia, bem como a intenção de continuar a expor em qualquer parte do País, venho divulgar e ao mesmo tempo, fazer o convite para a minha próxima exposição de fotografia intitulada: “Impressões de Viagem à Índia” cuja inauguração será no dia 19 de Janeiro, pelas 18h.
No meu blog está o convite, em nome do Sr. Presidente da Câmara Municipal da Moita.

Uma senhora que viveu muitos anos na Índia arranjou-nos uns saris para decoração e algumas peças. Especiarias, decoração com arroz e pétalas de rosa, incenso, velas da Índia, alguma comida e a música também. Eu mesma, nascida em Moçambique, habituada à gastronomia indiana bem como chinesa devido às comunidades desses povos que lá viviam, tenho uma senhora amiga que faz chamuças e da qual sou cliente há 20 anos, vou levar chamuças para ofertar a quem estiver presente no dia da inauguração. Fiz um trabalho em power-point, onde trabalhei 170 fotos da minha viagem, em formato jpg num CD que vão passar num LCD. Ou seja, muita inovação nesta próxima mostra dos meus trabalhos em fotografia.

Só digo, isto promete!!!
Beijinhos.
BOA SEMANA.

Duarte disse...

Pessoas assim são as que homenageiam... a arte de dizer as coisas e saber contá-las.

Fico contente... já somos dois.

Um abraço

Anónimo disse...

É uma homenagem tão bela que nos embacia os olhos e aperta o coração.
Kinkas

Pitanga Doce disse...

"Conheci" Miguel Torga ainda na primária.

Quantas vezes já segui seu "conselho"!

beijos Rosa (ainda chuva e muuuito frio?)

Rosa dos Ventos disse...

O frio já não é tanto mas a chuva e o cinzento por dentro e por fora mantém-se, Pitanguinha...enquanto tu sassaricas ao sol! :-))

Abraço

Justine disse...

O poeta medere todas as homenagens. A maior, creio, é continuar a lê-lo e a publicá-lo
Beijo

bettips disse...

Torga
lá nas pedras e torgas bravas.
Nem lembrei mas há os amigos da língua, esses ajudam a memória.
Bj

Patti disse...

Amo a escrita dura deste homem.

JPD disse...

Mguel Torga é incontornável na nossa cultura.

A «Criação do Mundo» é qualquer coisa de fantástico.

Saudações

(«Os Bichos» «Os Contos da Montanha» «O Diário», tantos tantos outros textos)

Sam Seaborn disse...

Muito bonito, sempre saudosa a recordação.

Pitanga Doce disse...

Rosa, hoje a Dora chegou à casa da Helena e encontrou o Marcos. O homem quase caiu duro no chão. hehhe

Rosa dos Ventos disse...

Pitanguinha
Já calculava que isso acontecesse.
Por aqui andam nas festas natalícias ou já estão mesmo na passagem do ano! :-))
Ontem não deu para ver...

Abraço

Tite disse...

Pitanga,

Ontem, tal como a Rosinha, não deu para ver. Foi dia de aniversário de Mãe e marido e o serão foi passado em família.
Parecia mesmo dia de festa em casa da Teresa. Só que aqui os carrinhos eram de bébés.

Vou gostar de ver o encontro dos dois já que esses me parecem com muito mais química do que o Marcos e a Helena.

Beijos

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Linda,emocionante homenagem.Parabéns não só ao homenageado, que Deus o tenha, mastambém a você pela ideia.Beijos