quarta-feira, junho 25, 2014

Soldados da Paz

Junho avança e com isso os soldados da paz não têm descanso!
Não estou a falar dos valorosos bombeiros mas dos avós que enchem as praças, jardins e parques numa missão também bem meritória.

18 comentários:

Observador disse...

Todos os que vêm por bem, fazem falta.

Abraço

Dalma disse...

RV, e olhe que não têm tarefa fácil!

Timtim Tim disse...

Desta vez posso regozijar-me...os avós cá de casa estão aqui mesmo e não a 400 kms.

São disse...

Tens razão....

Tarefa bem meritória a dos avós - e agora por isso, há algum Dia específico? Já que há par coisas sem nada de especial, seria bom que se lembrassem de nós :)

Beijinhos

Janita disse...

Quando li o título pensei que te referisses mesmo aos bombeiros e estranhei, pois por aqui o tempo não está nada estival. É mais outonal!
Esse trabalhinho voluntário dos avós é bem mais gratificante do que o dos soldados da paz.
No ano passado, oito perderam a vida, infelizmente.
Pena que, quem de direito, não lhes reconheça o valor.
Para mim, calor, calor, só gosto do calor humano. Aconchega sem queimar.

Um grande abraço, Rosinha.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tarefa bem difícil a dos avós. Infelizmente, nem sempre é reconhecida como merece.

Flor de Jasmim disse...

Uma tarefa nada fácil, mas gratificante, é tão bom ser avó, acredita Rosa que foi das melhores coisas que aconteceu na minha vida, além das minhas filhotas, eles são a minha vida, da qual perdi um pouco de mim com o falecimento do meu netinho com 6 mesinhos.

Beijinho e uma flor

Majo disse...

~
~ ~ ~ Cuidando dos mais puros, doces e ternos amores. ~ ~ ~

Rui Pascoal disse...

Sei bem o que isso é, já fui neto...
:(

marina maia disse...

Tive a pouca sorte de não conhecer os avós, mas o meu filho tem quatro avós e conheceu e muito bem um bisavô e uma bisavó!!!
Deve ser tão bom ter o mimo dos avós...
Beijinho avó Rosa

luisa disse...

Voluntariado do melhor que há. :)

redonda disse...

Sem dúvida!

Teté disse...

Concordo em absoluto com a Luisa: voluntariado do melhor que há, carinhoso e atencioso como poucos... :)

Abraço, "soldada"!

mlu disse...

«Avós, precisam-se». Acho que se precisam cada vez mais, fazem uma enorme diferença na vida dos netos. Eu não sou avó mas sei o que os meus filhos ganharam por tê-los por perto!

Um abraço

bettips disse...

EVIDENTE! Sempre reparo nisso (quando o meu filho era pequeno apeteceu-me por um anúncio "precisam-se avós"!) e irrita-me que a tv mostre "reformados a jogar as cartas", dando uma ideia errada do trabalho que as mães segundas têm. De amor, cuidado e ajuda, tudo junto.
(se estiveres em Lx - estou por acaso este fim de semana - não deixes de ir à FIA, na Fil, há coisas e brinquedos tão bonitos!)
Bjinho

bettips disse...

Furos da "Regina" na Vida Portuguesa, é realmente um lugar para "as recordações" da infância e dos nossos avós...

Rui Espírito Santo disse...

Curioso é que estes "novos" Soldados da Paz, não são tão antigos quanto se possa imaginar ! :)))
Como sabem, até aos anos 30 ou 40, era muito limitado o nº de mulheres que trabalhavam fora de casa e por isso a função dos avós não tinha nada a ver com a actual !
Com a aproximação do 25 de Abril e principalmente após ele, as coisas alteraram-se drasticamente !

Curiosidade : Em 1993 os portugueses lançaram o seu 1º satélite e o seu autor foi o notável "físico" Prof. Dr. Carvalho Rodrigues !
Lembro-me como se fosse hoje uma entrevista que lhe foi feita nessa ocasião :
Pergunta : Como homem da ciência e do futuro qual foi para si a maior invenção do Séc. XX ?
Resposta imediata : Sem qualquer dúvida, a "Invenção dos Avós" !!!
Sem eles, este mundo actual não poderia funcionar ! Eles são imprescindíveis no futuro das novas gerações !!! ... rsrsrs

...e esta ? ... ahah ... Afinal, "somos os maiores" !!! :)))

Rosa dos Ventos disse...

Na minha infância, a casa dos meus avós maternos era a casa de férias de Verão onde passava o tempo que restava antes ou depois da praia, já a casa dos avós paternos era a casa de todos os dias, o prolongamento da casa dos meus pais...quase em frente!
Os meus filhos também tiveram a felicidade de terem o apoio pontual dos avós dum lado e do outro...
Só tenho pena de ter sido avó tão tarde!


Abraço