terça-feira, julho 01, 2014

Sophia de Mello


Amanhã, os restos mortais de Sophia de Mello serão trasladados para o Panteão Nacional onde repousarão junto de outros ilustres portugueses que da lei da morte se foram libertando.
Contudo a sua filha Maria  diz que  "Era mais importante estar nas escolas do que no Panteão' - Artes - DN" e tem toda a razão.
Quando eu leccionava o 12º ano de Português da área de Humanidades, a sua poesia fazia parte do programa e alunos e alunas aderiam com gosto à sua expressão concisa e brilhante.
Lembro aqui  um dos seus poemas que muito me diz:

Ausência

Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua


Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

Sophia de Mello

17 comentários:

AC disse...

Maria,
O melhor é a Sophia estar, em simultâneo, no Panteão e nas escolas.

Beijo :)

Rosa dos Ventos disse...

Isso seria o ideal, AC mas pelos vistos já foi banida do programa há uns anos...:(

Abraço

Mar Arável disse...

Eterna

Bj

Luis Eme disse...

sim.

mas ela continua nas escolas.

a minha filha com nove anos conhece-a bem, não se chamasse ela também Sofia. :)

abraço Rosa

Rosa dos Ventos disse...

Mantém-se como autora de literatura infanto-juvenil e ainda bem mas não como poetisa, Luís Eme!
Também analisei com os alunos várias das suas obras nos 5º, 6º e 7ºanos!

Abraço

Rui Pascoal disse...

Esse poema (constava no convite de casamento do meu filho e nora) diz muito...

Graça Sampaio disse...

E tem a filha muita razão! Só se lembraram de a transladar para o Panteão depois do sururu que se fez em redor da morte do pobre Eusébio.

O poema é muito lindo - como todos os seus.

Beijinho

Janita disse...

Concordo inteiramente com a tua opinião e a da Maria.

Quanto ao poema, é lindo! Compreendo bem o quanto ele te fala ao coração, minha querida Rosa.

Um abraço sentido.

marina maia disse...

Só para dizer...um grande beijinho!!!!

Majo disse...

~
~ Maria tem razão-- apagar da memória a magnífica obra poética de Sophia-- é um sacrilégio à cultura portuguesa.

~ Os jovens que já a conheciam dos belíssimos contos infantis, apreciavam o seu talento e estilo.
~ Representa uma fase intransponível da moderna poesia portuguesa.

~ O poema que escolheste é tocante, e tem uma perfeição impressionante.

~ Está de acordo com o sentimento de consternação que sentimos pela partida do filho de Judite, dor extrema que tão bem entendes.

~ ~ ~ Grande abraço. ~ ~ ~

Majo disse...

~
~ Peço desculpa pelo lapso-- a vírgula do 4º parágrafo está a mais. ~

redonda disse...

Não conhecia e gostei muito deste Ausência.
Obrigada.
um beijinho

Rogerio G. V. Pereira disse...

A Sophia é minha irmã

mlu disse...

Não conhecia este lindíssimo poema de Sophia! Para mim, a Escola era melhor do que o Panteão, para a conhecerem e não esquecerem as gerações futuras!

Um abraço

AFRODITE disse...


Deixo-te um abraço sentido. E nem é preciso dizer mais nada!


Lídia Borges disse...


A Poesia de Sophia tem de estar nas escolas, na rua, nos corações livres da falsidade...

Beijo

Lilá(s) disse...

Foram muitos os cenários que preparei e pintei para a "menina do mar" " o rapaz de bronze" etc...
Bjs