segunda-feira, outubro 14, 2013

14ª Festa do Cinema Francês

Começou no dia 10, como é visível no cartaz, a 14ª Festa do Cinema Francês que decorre no S. Jorge, em Lisboa mas que vai estar presente em várias cidades do país. 




Ontem fui ver "On Connait la Chanson" um filme de 1997, dirigido por esse grande mestre que é Alain Renais.
É um filme irónico, divertido, pitoresco onde a música está constantemente presente.
São quase quarenta as canções francesas que tive o prazer de recordar, embora não na íntegra.
É assim um musical onde as personagens fazem detonar em play back quer ao nível do consciente, quer do inconsciente vários tipos de canções que acabam por também dar um tom bem ligeiro ao filme.


Agnès Jaoui, presente na sala e uma das principais personagens do filme, é a madrinha desta Festa.
Para quem gosta de francês, aqui num registo muito rápido, urbano e burguês e para quem gosta de música francesa aconselho-o vivamente.



E porque já estava fora de casa e havia um intervalo de meia hora entre eles acabei por ver "Hiroshima, Mon Amour" também dirigido por Alain Renais, com um roteiro de Marguerite Duras.
A acção passa-se em 1959, como o título indica, na cidade martirizada pela bomba atómica em 1945, com algumas imagens que penso serem de arquivo.
Uma francesa e um japonês mantêm um relacionamento amoroso e fulgurante durante o qual acabamos por conhecer o grande drama da jovem francesa.
Durante a guerra, com apenas 18 anos, apaixonou-se por um soldado alemão e acabou por sofrer as consequências dessa "traição" à pátria - cabelo rapado e encerrada pelos pais (que também foram hostilizados pela população) durante dois anos numa cave fria e húmida.
Aos vinte anos partiu para Paris e não voltou a Nevers.
É um filme a preto e branco, de uma enorme densidade dramática, duro, pesado, onde predomina o monólogo/diálogo/silêncio quase só com as duas personagens em cena como se fosse uma peça de teatro. A linguagem é límpida, correcta, pura, arrastada...
Hiroshima-Nevers serão os nomes que ficarão retidos na memória de cada um. 
Para mim o tema do mesmo é "o medo do esquecimento"!
Este é um clássico já visto pela maioria das pessoas mas que me andava a passar ao lado há anos! 

11 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também tenho andado muito entusiasmado com a Festa e até criei uma rubrica dedicada ao cinema francês la no CR, durante este mês.
Todas as noites, de segunda a sexta - passe a publicidade :-)))

Teté disse...

Também nunca vi "Hiroshima, Meu Amor", mas neste momento e preferencialmente veria o primeiro. Por ser mais leve, relembrar alguns êxitos da música francesa e tudo isso. De qualquer forma, hei de arranjar oportunidade de o ver noutra altura o "clássico"... ;)

Abraço

Flor de Jasmim disse...

Humm parece serem tentadores,no entanto pendo que dificilmente os verei, pois não vou ao cinema.

beijinho e uma flor

lis disse...

Gosto muito do cinema francês.
Obrigada pelas dicas.
O clássico 'Hiroshima ' já vi.
Sempre muito bom rever.
um abraço

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Não costumo ir ao cinema. Alguns filmes que vejo na TV e que nem sempre me satisfazem.

maria disse...

Nem sabia...mas ainda vou a tempo :)

Abracinho :)

O meu pensamento viaja disse...

Pena que decorra apenas em Lisboa! Adoro cinema europeu.

Rosa dos Ventos disse...

Não é apenas em Lisboa, o cartaz apresenta as cidades onde decorrem sessões!

Abraço

Pedro Coimbra disse...

Passa completamente ao lado de Macau :(

Rosa dos Ventos disse...

Hoje lá vou eu outra vez!

Joao M. Raposo disse...

Hiroshima, um filme belissimo visto há muitos anos no extinto cinema Eden, quando ainda trabalhava em Lisboa.