terça-feira, outubro 16, 2012

Dia Mundial da Alimentação



Num mundo cada vez mais desigual em geral e no nosso país em particular que cabimento tem comemorar este dia?
Enquanto uns discutem a qualidade dos produtos que nos chegam à mesa, outros interrogam-se sobre o que pôr sobre a mesa.
O desemprego, o endividamento, a doença, entre outros factores não ajudam em nada as pessoas que se encontram nestas trágicas circunstâncias.
Cada vez há mais pedidos de ajuda nas instituições vocacionadas para este tipo de apoio e cada vez mais se nota a pobreza envergonhada de quem recorre a este auxílio para "o pão nosso de cada dia"!
O OE de 2013 vai ainda lançar mais gente no desemprego, na fome!
Como será o Dia Da Alimentação em 2013?

26 comentários:

Catarina disse...

É uma altura em que as pessoas terão que ser mais criativas na preparação das refeições sem descurar de uma alimentação equilibrada, saudável.
Sinto uma grande tristeza quando penso que há crianças que não têm muito que comer mesmo vivendo em países ricos como este e como os Estados Unidos. Tenho dificuldade em compreender como isto pode acontecer nos tempos de hoje. Felizmente que muitas escolas oferecem estes programas de pequenos-almoços gratuitamente. Uma criança bem alimentada aprende muito melhor.
Tempo de sermos mais solidários e ajudar aqueles que aceitam o nosso apoio.
Abraço

Rui Pascoal disse...

Prevejo que seja farto... em pobreza.
:(

Isa GT disse...

O dia da alimentação, mas seria melhor falar dos dias sem alimentação porque, seja cá ou globalmente, cada vez há mais pessoas a não terem nada para comer nem as doses mínimas indispensáveis e só vejo que, mesmo na Europa, este drama vai piorar.

Bjos

São disse...

Rosinha, para 2013 , o Governo deve dizer algo assim: que pena, agora que se iam habituando a alimentar-se com tão pouco , é que adoecem e morrem

Vergonha , muita vergonha, sobre quem não se importa com as pessoas e só vê números à sua frente!!

Um abraço

End Fernandes disse...

Na região que eu moro Campinas-SP
não se come em nenhum restaurante com menos de 10 ou R$12,00. Enquanto isso os Big Mac's estão quase abaixo desse patamar, coisa que não se imaginava há um tempo atrás. Bem vindos ao primeiro mundo...
=S

Observador disse...

Com é que o Mundo tem coragem para celebrar o dia da alimentação?
É só fachada!
Gente sem vergonha que apenas olha para os umbigos.
E se derem uma vista de olhos por África, pela América Latina, só para citar dois expoentes máximos da desgraça.

Vão gozar com quem lhes fez a cabeça!!!

Ovelha Flor Guerreira disse...

Para mim que tenho duas crianaças, só penso numa alimentação mais criativa que lhes possa fornecer os nutrientes que necessitam para se tornarem adultos saudáveis...é iso para mim o dia da alimentação!

Teté disse...

Suspeito que um grupo de desempregados será esse mesmo de nutricionistas, pois quanto menos dinheiro houver (e isso é certo!), menos esquisitas podem ser as pessoas com aquilo que põem no prato... Para quem ainda tiver o que pôr, pois os casos dramáticos de quem nem isso tem, vão aumentar certamente!

Abraço

Anónimo disse...

Tenho muita dificuldade em ler os seus textos por causa do fundo muito claro; tenho pena.
Evidentemente que caminhamos para uma guerra , sem tiros , mas economica. Para n~~ao ter carencias alimentares , basta uma boa sopa de feijao e couve galega.N´´os , saberemos adaptar-nos , suas Ex.as, habituados ao conforto das 5 estrelas , s´´o se pagar o orçamento.M.A.A.

ematejoca disse...

Como será o Dia Da Alimentação em 2013?

Em África e na América Latina vai ser igual ao dos anos anteriores.

Em Portugal não sei, só sei, que no ano passado, quando aí estive só vi comida a mais quando era convidada. Um dó de alma!

trepadeira disse...

Só consigo lembrar aquela criança que,numa escola,foi proibida de comer e deixada ali a observar os colegas.
Será esta a comemoração de 2013 e seguintes?

Vamos lutar,até vencer,um mundo melhor é possível.

Um abraço,
mário

Pitanga Doce disse...

Talvez seja a hora de voltar para o campo. Aqui, aí, em todo o lugar que "onde se plantando tudo dá", já dizia Pero Vaz de Caminha.

Abraços pitangueiros.

Flor de Jasmim disse...

Rosa não tenho vergonha de dizer aqui que tenho 3 netos e a mãe (minha filha)a passarem necessidades, estou alimenta-los ela está sem emprego, também eu estou no desemprego, o pai deles não quer saber deles, sei e sinto bem essa aflição, principalmente a dor de querer dar de comer e não o ter.

Beijinho e uma flor

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Passará a ser o Dia Nacional da Subnutrição!
Abracinho

Graça Sampaio disse...

Vamos a pique como o Titanic. De mal a por todos os dias. Temo sinceramente pelos nossos filhos e netos.

Anónimo disse...

Tambem eu.M.A.A.

mlu disse...

Este dia vai ser cada vez mais triste em todo o mundo, enquanto os poderes instituidos não se preocuparem verdadeiramente com os seus povos. Resta o espírito criativo do ser humano para "inventar", a partir do pouco, refeições equilibradas. Penso, especialmente, nas crianças que não têm que comer e na angústia dos familiares.

Um abraço.

Duarte disse...

Ante tudo os meus parabéns... não podes imaginar a atracção que sempre tive pelas rosas dos ventos; as cores, os desenhos... tudo.

Este coração também é lindo. E aquilo que representa, saúde. O mau está no inverso, e que muito bem apontas, como chegar a eles!? Por aqui as coisas começam a complicar-se muito. Não teremos outra alternativa que não seja a de seguir aos Irlandeses.

Um grande abraço

Nina disse...

Será triste, Rosinha...muito triste.
Ontem senti que havia Natal cá em casa, de tantas coisas que comprei para a terapia do meu filho (ou deverei dizer que os meus pais compraram?). Não me parece, contudo, que este Natal se prolongue.
Apesar disso, não temos fome. Consigo pagar as contas, mas enche-se-me o coração de dor por saber que bem perto de mim há quem não tenha um bocadinho de pão.:(

Aquele abraço

Rosa dos Ventos disse...

Acabei de ler no DN e no Público que já há crianças a serem impedidas de comer nas cantinas por falta de pagamento por parte dos pais que se confrontam com imensas dificuldades!
Mas como é possível isto acontecer numa escola?
Eu sei que se tem de fazer uma gestão correcta dos recursos "mas as crianças, Senhor..."?

Abraço a todos e todas que por aqui passaram e deixaram a sua opinião

Rogério Pereira disse...

Olhei esse coração de alimentos
E li todos os comentários
Uns são de lamentos
E falam de escassez
Outros (poucos) falam de abundância
Sem pudor nem elegância

Ninguém fala em os produzir
E é significativo não o ouvir

Rosa dos Ventos disse...

De facto Rogério, é significativo mas nem todos têm onde, se bem percebi o que quiseste dizer!
Por acaso posso cultivar e emprestar terrenos e muito jeito me têm feito esses produtos...
Pena que este ano a azeitona não esteja nada boa! :-((
Dói-me ver campos abandonados!

Abraço

Sonhadora disse...

Não sei o que nos espera, mas não é, de certeza, nada de bom. Tenho duas filhas. Uma é professora com o marido desempregado e dois filhos a cargo. A outra (engª) apesar de ter um razoável emprego, está num processo de divórcio e com duas filhas a cargo. O pai melhor era que não existisse! Ambas a pagar empréstimos de habitação, o que seria delas se não fossem os pais. O pior é que nós não estamos cá para sempre!...

Luna disse...

eu pessoalmente sou avessa aos dias de ..., mas é uma vergonha o que se esta a passar
bjs

as-nunes disse...

Pode ser que ainda haja o senso necessário para se perceber que andámos a consumir em excesso e a deixar que nos roubassem indecentemente.

De modo que só teremos um caminho:
renegociar a Dívida externa para que fomos empurrados, de forma a que nos seja dado tempo para recuperarmos, por um lado, pelo menos parte do que nos roubaram (e também o que nos usuraram em juros), por outro para reestruturarmos o nosso aparelho produtivo, tão infamemente votado ao abandono a começar pelo snr. Silva.

Teremos outro caminho?

Justine disse...

Chega a ser ridícula tanta hipocrisia...mas também é criminosa!