segunda-feira, março 21, 2011

Segundo o Almanaque Borda D´Água...

...hoje é Dia da Floresta, da Árvore, da Unidade Inter-Racial e Dia Mundial da Poesia.
Parece-me bem escolhida a data para se festejarem estas temáticas, depois do Equinócio da Primavera.
Decidi assinalar apenas a Poesia, com alguma dificuldade na escolha do poeta, tantos são os que aprecio.


Tempo de Poesia

Todo o tempo é de poesia.


Desde a névoa da manhã
à névoa do outro dia.


Desde a quentura do ventre
à frigidez da agonia.


Todo o tempo é de poesia.


Entre bombas que deflagram.
Corolas que se desdobram.
Corpos que em sangue soçobram.
Vidas que amar se consagram.


Sob a cúpula sombria
das mãos que pedem vingança.
Sob o arco da aliança
da celeste alegoria.


Todo o tempo é de poesia.


Desde a arrumação do caos
à confusão da harmonia.

António Gedeão

26 comentários:

flor de jasmim disse...

"Todo o tempo é poesia". Que beleza Rosa.
Beijinho boa semana

Nina disse...

Lindo!:)
bji gde

Observador disse...

Gosto da escrita de Rómulo de Carvalho (Antóneo Gedeão).

Boa escolha.

oops!!! disse...

Bem decidido!

No entanto, um grito de revolta por esses não assinalados...

;)

Tite disse...

Gedeão toca-me e está actual mesmo em tempo de catástrofes naturais

Desde a arrumação do caos
à confusão da harmonia.


Aplica-se a tudo mas veio-me à ideia o caos do Japão. (não consigo desligar-me daquelas almas serenas que tudo fazem para se harmonizar com o ambiente e com os outros)

carol disse...

E fizeste bem! Gedeão é uma óptima escolha! Bom dia da Poesia e da Árvore e da Floresta e sei lá do que mais....

Luis Eme disse...

sim, todo o tempo é de poesia, e então no começo da Primavera, ainda mais...

abraço Rosa

Maria disse...

E foi uma excelente escolha, já que todo o tempo é de poesia.

Um abraço, Rosa.

Anónimo disse...

Fui colega do Rómulo de Carvalho (António Gedeão) no ano que fiz estágio no Pedro Nunes. Então eu era uma jovem estagiária e ele já professor de Física quase a jubilar-se. Era muito simpático para com as novatas e assinava-nos os livros sempre que lhe pediamos...Tem coisas lindas, das que mais me tocam é a "Luisa sobe a calçada" pois nela está todo o drama da mãe de família trabalhadora! Formalmente é um poema… mas será que essa vida é poesia? A mesma interrogação me faço em relação ao poema que hoje publicou.
D. (ex-Madalena)

Alberto David disse...

Depois de uma longa ausência forçada aqui fica um poema do meu livro Pinturas e Poemas (www.borradas.blogspot.com) Um abraço.


Como eu gostaria

Como eu gostaria, de ser poeta na tua voz,
Acariciar os teus seios como ninguém.
Só para te dar um beijo e fazer parte dos teus sonhos.
Como eu gostaria, dizer-te palavras bonitas
Que ainda não tenham sido ditas ou escritas
E de não ser em ti apenas existência.
Adoraria acariciar-te pela noite dentro
E pintar-te... é em mim um forte desejo
Gostaria também que soubesses que te quero para mim
Deslizando minhas mãos pelo ondulado do teu cabelo,
Entrar no teu olhar profundo..., beijar os teus olhos.
Sendo tudo para ti, como tu para mim
Esperando que me amasses até ao pôr-do-sol
Tendo teu mundo entranhado no meu ser.

Justine disse...

Escolheste muito bem, Rosa!Eu andei a jardinar, e no intervalo li Pessoa...

Rui Pascoal disse...

Obrigado pela partilha.

Anónimo disse...

Correcção: por lapso disse que o poema de António Gedeão que mais gostava era "Maria sobe a calçada" na realidade esse é o primeiro verso do poema "Calçada de Carriche", desculpem ...
D. (ex-Madalena)

Mel de Carvalho disse...

Rosa,
nós que partilhamos as Lezírias
o rio
e o orgulho campino
de vindimar o trigo
e ceifar
produzindo o vinho
no [in]verso
do verso
fado, força de um povo,
façamos da poesia
amanhã como hoje
hino
instinto e liberdade.

Um beijo saudoso
Mel

trepadeira disse...

Bela escolha.
Poema tão actual,tão de hoje.
Um abraço,
mário

Lilá(s) disse...

Gedeão é também um dos meus preferidos mas temos muitos e bons poetas sem duvida.
Bjs

Catarina disse...

Só passei por aqui para te deixar um abraço. Não dei por ser o dia da poesia , nem da floresta, nem da árvore... : )

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Com certeza, esse é um belo dia. Beijos

mlu disse...

Belíssimos versos para este Dia da Poesia!

Obrigada pela partilha e boa semana!

lua prateada disse...

E como todo o tempo é poesia...vamos todos viver a primavera florida mais uma vez presente em nossas vidas...
Bjinho prateado

SOL

Rosa dos Ventos disse...

Uma palavra especial para a D. que não tem blog.

Tenho uma grande amiga que também fez estágio no Pedro Nunes e fê-lo precisamente com o Dr. Rómulo de Carvalho, por ser de Físico-Química.
Quanto ao conceito de poesia daria uma óptima tertúlia...
Aceito sem constrangimentos que um texto é poético se ele me provoca qualquer tipo de emoção e não só um texto escrito, pode ser uma foto, uma pintura, uma frase ouvida no café...
É óbvio que a dor, a morte, a guerra vivenciadas, presenciadas, nada têm de poesia mas podem ser passadas para a escrita de forma poética.
Afinal "Todo o tempo é de poesia"... :-))
É assim que penso!
E vá aparecendo, gosto que me visitem, além de gostar de visitar! :-))

Anónimo disse...

Rosa dos Ventos, sim tenho um blog http://naterradosplatanos.blogs.sapo.pt/ mas que é apenas de "fait divers" e que comecei, por incentivo dos meus filhos, quando há um ano vim para o Canadá acompanhar o meu marido que está a fazer consultoria numa empresa. Dentro de dois dias escreverei o post 200! Não tem nada de intelectual apenas retrata as minhas experiências e observações do que por aqui se passa...
Terei mt gosto em vê-la por lá, mesmo que esporadicamente, se bem que o blog é capaz de acabar quando de regresso à Pátria!
D. (ex-Madalena)


p.s. Quanto ao conceito de poesia aceito o que me diz pois como ex-professora de Geografia não me encontro em posição de o discutir.

Rosa dos Ventos disse...

Não sabia...
Como aparece na Colheita como "anónima" identificada...
Então irei espreitar!

Anónimo disse...

Realmente entrei na Colheita como anónima, assinando Madalena Cabral, pela simples razão que achei que iria suscitar mais curiosidade… depois arranjei uma data de polémicas e um dia por descuido apareceu o meu nome. Deixei de ser anónima para eles, mas continua a dar-me um certo gozo assinar com ex-Madalena Cabral, é apenas uma pequena provocação para o HB.
Quem está longe as vezes precisa destas pequenas diversões. Lá a espero na Terra do(s) Plátano(s).

Dalma (é este o meu verdadeiro nome)

Rosa dos Ventos disse...

Caríssima Dalma
Já lá fui, gostei, escrevi um longo texto e depois não consegui que seguisse uma vez que tem um sistema de acesso não compatível com os procedimentos que sigo actualmente.
Terei que esperar pelo meu rapaz no fim de semana para me ajudar!

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Boa escolha do tema e do poeta.Pena o calendário ser exíguo para tantos "Dias de..."