quinta-feira, março 10, 2011

Leituras...

Há dias, a necessidade de requisitar um livro levou-me à Biblioteca Municipal de Ourém.
Aí encontrei à venda uns sacos de pano preto com a seguinte frase gravada a branco:

"Chega-se a ser grande por aquilo que se lê e não por aquilo que se escreve" - Jorge Luís Borges

Captei a imagem de um dos sacos mas não foi possível introduzi-la por motivos técnicos que continuo sem compreender.
Fiquei feliz com a frase da autoria deste  grande escritor, uma vez que sou uma leitora razoável mas estou no "nível 0 da escrita", como disse Barthes!
Actualmente estou a terminar um livro que intitulei "À Procura de um Herdeiro para o Rei".
Claro que não é este o verdadeiro título, assim gostaria que descobrissem o nome verdadeiro da obra e quem é o seu autor.
Poderiam também, se não gostarem de enigmas, dizerem o que pensam da frase e que livro estão a ler neste momento.
É mesmo um post de quem não tem imaginação nenhuma!

45 comentários:

folha seca disse...

Cara Rosa dos Ventos
Uma frase que daria para muitos posts. De facto coisas aparentemente tão simples, mas que dizem tanto.
Quanto ao passatempo, tenho cá uma fezada que acertava, mas não digo.
Cumprimentos

Observador disse...

Rosa, caríssima

"Actualmente estou a terminar um livro que intitulei "À Procura de um Herdeiro para o Rei".
Claro que não é este o verdadeiro título, assim gostaria que descobrissem o nome verdadeiro da obra e quem é o seu autor."

Esta sua frase responde a metade do desafio.
Quanto ao resto, já venho.

;)

Rui da Bica disse...

Pois é Rosa ! ... Escusavas de me envergonhar publicamente ! :)))
Actualmente ando a ler Blogs e jornais digitais e de literatura série, nem vê-la ! Já não tenho muito tempo para crescer mais ! :((

... Por isso é que tenho muita dificuldade em desvendar o enigma ! :)))
.

Rogério Pereira disse...

Sou fraco em enigmas. Digo o que a frase me sugere: "Saramago, o Nóbel, só foi grande (enorme) porque leu (bem) Camões, Pessoa e... Jorge Luís Borges"

Ando a ler o meu Caminhos do Meu Navegar

Nina disse...

Humm...
Já me fartei de pensar e não me vem nada à cabeça, o que, como colega não abona a meu favor.
Pode ser que me surja alguma ideia.
Até lá, beijinhos

Tite disse...

Rosa amiga (mas pouco!) será que neste Rei envolves o Rei da Selva e andas a ler algo relacionado com as eleições do nosso clube?

O outro tinha algo relacionado com a Catedral... :-))

Vou pensar um pouco mais no teu caso.

Quanto a leituras neste momento estou como o Rui... sou mais blogs e mesmo esses quando colocam textos curtos /o\

Há.dias.assim disse...

Cada vez escrevo menos. Já tive projectos para escrever livros, fiquei-me por um sem interesse.
Os outros foram-se quando a vida me rasteirou.
Continuo a ler e a gostar muito por isso afrase soa-me bem.
Quem sabe se nesta posição d eleitura não adquiro alguam grandiosidade, mesmo que pequenininha...
bjocas

Rui Pascoal disse...

Está então explicado o meu escasso metro e setenta… :)
Actualmente estou com “As Quatro Estações” de David Mourão Ferreira.
Quanto ao enigma… passo.

Manuela disse...

Querida Rosa, agora não me apetece pensar no teu enigma (faz de conta) ;)
Já sabes o que acabei de ler, pois está lá na Turista. Hoje vou começar uma leitura nova.
Quanto à frase, adorei... também quero um saco desses ;)
Beijinhos.

Justine disse...

Acho que o JLB estava num momento de grande generosidade quando disse essa frase:))

Fico a amadurecer o teu enigma, enquanto me surpreendo com mais algumas páginas do "Comboio nocturno para Lisboa"

flor de jasmim disse...

Rosa
Adorei a frase!!! Tão simples. Bom estou a ler "Caminhos do Meu Navegar" do nosso amigo Rogério, que me ocupa bastante, porque para perceber um capítulo tenho que ir ler o anterior. Rosa o teu enigma nem pensar...prefiro esperar. Essa das fotos eu entendo porque eu não percebo patavina disto.
Beijinho

Rui da Bica disse...

Será de Rob.Hut.
– the . . . days de H 8 ???
.

JPD disse...

É ou não é um privilégio ter à nossa disposição a obra de Borges; termos sido seu contemporâneos.
Bjs

Catarina disse...

Não li ainda nenhum livro de Jorge Luís Borges.
Não compreendo exactamente o significado do pensamento de JLB. Já tenho lido obras literárias de grande valor e não me sinto grande por isso. A interpretação que se dá a uma obra varia de pessoa para pessoa consoante os seus conhecimentos e poder de análise... será isso? Fico a aguardar, com intersse, a interpretação dos teus amigos blogosféricos e a tua também, evidentemente.
Quanto aos livros que estou a ler, continuam a ser (em série!) os romances policiais – ainda estou nesta fase – de Donna Leon; os tais áudio videos que me têm feito companhia há umas semanas quando me desloco de carro. O que estou a verificar é que com esta estória de blogar todos os dias e durante horas não resta tempo para ler livros no seu formato tradicional! Não me estou a queixar. Adoro blogar! : )
Donna Leon vai estar aqui em Abril para promover o seu novo livro e vou tentar obter bilhetes amanhã para ouvi-la, cumprimentá-la e para me autografar o livro que pretendo adquirir, claro!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Sou péssimo para enigmas, mas quanto à frase do Borges, é mais uma das suas pérolas.
Neste momento não estou a ler nenhum livro, embora tenha vários em lista de espera, amontoados na secretária. Estou com muito trabalho e até para visitar os amigos da bloga me falta o tempo.

Catarina disse...

Áudio videos, não!

Áudio livros!

Duarte disse...

Creio que desta vez não vou coincidir contigo, pois considero, esta, uma excelente iniciativa.
Não me atrevo com o titulo, pois agora leio menos na minha língua materna.
Acabei de ler "El pasteleiro de Madrigal": uma grande obra onde pode que se iam muitas verdades sobre o nosso rei Sebastião. Supostas verdades ou infames mentiras, não sei, mas pelo que documenta mais bem parece estar cerca da verdade. Foi um tema que sempre me apaixonou... essa incerteza! Talvez saque um dia a debate nos amigos de Portugal.
Agora comecei com "A ilustre casa de Ramirez", do grande Eça.

A frase genial, como o Sr. Borges o foi.

Abraços

redonda disse...

O post parece-me muito imaginativo, sim! E com um desafio...para já, não faço ideia, mas vou voltar para ficar a saber.
beijinho
(e neste momento também não tenho nenhum livro perto)

Teté disse...

Olá, Rosa!

Não sei se o problema das imagens é tão simples como o que me aconteceu um dia destes, mas o blogger não a queria carregar. Afinal, depois de seleccionada, bastava clicar nela novamente, ficava com um contorno azul e já dava... :)

Quanto ao livro, vou apostar em "Harry Potter e o Enigma do Príncipe"!

Bom fim de semana!

Anónimo disse...

Veio-me à memória "Em busca do tempo perdido" Será que esse Rei não tinha tempo para perder ou só perdia tempo quando pretendia fabricar um herdeiro, por razões muito pessoais?
Abraço Kinkas

Bartolomeu disse...

Olha Rosinha, quanto à frase do Jorge Luis Borges, interpretu-a como um exercício de modéstia; quer o autor dizer que, não o devem considerar grande pelo que escreve, outros o fazem também e tão bem.
Estou a acabar de lêr O Anjo Branco do José Rodrigues dos Santos. Apesar de ser um livro que me tem dado um prazer imenso ler, como aliás todos os que já li do autor, não retenho nenhuma frase que me mereça especial relevo.
Ando a ler em simultâneo, Agostinho da Silva, que diz; «A filosofia portuguesa, se houver, só poderá ser uma filosofia que abranja, explique e ligue todas as filosofias que até hoje apareceram no mundo e, ainda mais, todas aquelas que poderão aparecer no mundo»
Portugal é Grande!
;)

oops!!! disse...

Frase absolutamente legítima.

Se hoje os livros fossem tão bons como eram há cem anos, nem sequer necessitavam de capa.

Nesse tempo, os homens também eram livros...

;)

Anónimo disse...

Boletas,lá que o enigma é duro de roer,é!Não se vai lá nem por longas travessias na selva ou no deserto,seja ele polar ou equiatorial...
Assim não vale,Rosinha.
Kinkas

Rosa dos Ventos disse...

Caros amigos
Desta vez não vos deixei apenas um enigma.
Deixei uma frase para analisarem e a hipótese de referirem o livro que andam a ler... ou não.
Já agora adiantem o autor!
Obrigada!

Rosa dos Ventos disse...

Quanto ao enigma, além de informar que a minha amiga Kinkas já deu algumas pistas, acrescento:

Era uma vez um rei que não tinha filho que lhe herdasse o reino, dizia-se à boca cheia que até era impotente...
Assim ele teve que tomar uma decisão bastante arrojada!

E é tudo! :-))

Abraço

carol disse...

Olha que se o Barthes te conhecesse de certeza não te punha no grau 0 da escrita... A frase, como todas as frases simples é riquíssima para o leitor comum mas é de uma enorme modéstia para quem a escreveu...
Estou nas últimas páginas dos "Sinais de Fogo" que adorei e vou começar, já de seguida, "Uma Viagem à India" do G. M. Tavares.

Quanto ao enigma, lá, lá, lá, lá, etc. e tal....

Beijinhos e boas férias.

Tite disse...

Amiga,

Voltei mas apenas me parece que o livro tem algo a ver com a Sucessão "difícil" dum Rei de Castela que no IV era mal sucedido mas o nome do autor do livro... népias!

Rosa dos Ventos disse...

Pois era mal sucedido no IV e noutros sítios onde experimentou... :-))
Faltam-me meia dúzia de páginas e ainda não sei se o "remédio" chegou a tempo!
Vou concluir e depois digo!

Rosa dos Ventos disse...

Acabei de o ler mesmo à pressa para vos poder dizer que o "remédio milagroso" não chegou a tempo.
O rei já tinha morrido mas o epílogo não deixou de ser surpreendente!
A Tite também deixou uma pista...

Abraço

Não se preocupem com a minha ausência! :-))

Bartolomeu disse...

Por acaso sei de que livro estás a falar, já o li ha bués. Passa-se em Jerusalém e o cavaleiro que anda em busca do remédio para a lepra, que vitima o rei, passa por mil peripécias, com um ajudante, um turco traficante, ou coisa do género, passa pelo reino das amazonas, escondido no meio do deserto... ´não me consigo recordar com clareza da história, mas olha Rosinha, aguçaste-me o apetite e este fim de semana vou correr as minhas estantes e vou reler o livro!
;)

Lilá(s) disse...

Hum,parece-me um pouco dificil! mas adorava ter um saco desses...
Bjs

Rosa dos Ventos disse...

Não é, não, Bartô! :-((

mlu disse...

A frase é...de um espírito como o de J.L.B.!
Do enigma, não faço a mais pequena ideia mas venho aqui de vez em quando bisbilhotar...
Leio, normalmente, dois livros ao mesmo tempo, de temas mto. diferentes para não os baralhar. Tem a ver com o cansaço ou a disposição. Neste momento estou a ler Cemitério de Pianos, de José Luis Peixoto e os Contos dos Irmãos Grimm em inglês para ver se não perco o vocabulariozito que resta!
Até breve!

Rui da Bica disse...

O Enrique, o quarto, a "filha" Joana que não era dele e que ele queria que lhe sucedesse, mas não . Nesta estória entra também um tio, rei africano V e depois, a religião acabou por ter um papel importante para a posteridade.
O Gregorio maravilhas ainda fez uns ensaios para tentar descobrir algumas coisas do funcionamento do corpinho do IV.

Luis Eme disse...

depende sempre do que fica, do uso que se dá ao que se lê.

e claro ao que se escreve.

não ligo muito a estas frases aparentemente sábias. acho-as sempre dúbias, Rosa.

abraço

Vieira Calado disse...

Mas essa ideia dos sacos com frases importantes de poetas ou pensadores,
é muito valiosa.

Saudações poéticas

Anónimo disse...

Claro que a Kinkas,por tal sinal,sabia que livro a amiga Rosa andava a ler! De onde lhe podia vir tanta intuição para pistas?
Até porque o livro não é recente e crê que esgotadíssimo.
Acabei de ler A PÉROLA de Steinbeck que me agradou tanto pela história como pelo discurso e...pelo tamanho pois que ando com uma preguiça...Kinkas

Tite disse...

Rui,

Agora só te resta dizer o nome do autor e da obra.

Chuta!!!!

A frase do JLB revela a modéstia dos sábios. Claro que só deixa frases destas para a posteridade quem tem o dom da palavra ou da escrita.

Rosa,
Sabes que não consigo dizer qual o livro que mais me impressionou até à data?
Uma coisa sei e ainda lembro. O 1º livro que li foi-me emprestado por uma das Reitoras actuais da Universidade do Minho - Profª. Dra. Irene Montenegro - e chamava-se Sibila. Sabes,naturalmente, quem é a autora, verdade?
Criou-me o gosto pela leitura e devorei montes de bibliotecas privadas que algumas amigas me facultaram.
Hoje tenho a minha própria biblioteca à espera que os netos se queiram servir dela mas... duvido.

Ah! esquecia-me de dizer... não gosto de voltar a ler livros que já li.

O último livro que li e gostei foi, "Luz ao Entardecer" da minha, talvez também vossa, amiga virtual - Maria Caiano Azevedo autora do blog A Casa da Mariquinhas.

Um bom Dia da Geração à... flita!

Rui da Bica disse...

Não é preciso acrescentar mais nada, Tite. A Rosa entende ! :)))
Está tudo dito no meu comentário acima. Talvez a Beltraneja pudesse explicar melhor | :)))
Por falar nisso, onde anda a "patroa" ?
Se ela pedir eu digo certinho, com biologias e maranhotices !
rsrsrs
.

Tite disse...

Pois Rui.
A história já eu li... na net.
O nome do livro e o seu autor é que não me aparece.

A patroa deve ter ido à manif.
Não te esqueças que a nossa geração também anda à rasca.

Levaste algum aumento na tua reforma?

goiaba disse...

Por muita consideração que tenha por JLB acho que não "se é grande " pelo que se lê mas talvez por aquilo que se faça daquilo que se lê - é a tal SABEDORIA, difícil de se conseguir.
Comecei a ler "O Sonho do Celta" de Mario Vargas Llosa e terminei "Jerusalém ida e volta" de Saul Below.
Quanto ao livro que está a ler ...só me fez lembrar "A crónica do Rei Pasmado" de Gonçalo Torrente Ballester. ( sabe que ele tem um livro chamado "A rosa-dos-ventos"?)
Abraço e aguardo resposta ao enigma sempre muito interessada.

Teresa disse...

Não sei qual o livro, mas sei quem será o "herdeiro" para o "rei"...
Abraço. Teresa

Idun, a felina disse...

eu interpreto a frase do borges do seguinte modo:
"há livros cuja leitura engrandece quem os lê e isso irá reflectir-se na escrita dessa pessoa (se vocação para ela houver)".

quanto ao enigma, e depois de ler os comentários, só julgo que não será o livro do ballester mas fico curiosa.

um grande abraço da Humana e marradinhas da bicharada

Catarina disse...

Rosa dos Ventos,
Já chegaste... finalmente!!!!!
Vi o teu comentário no crónicas.
Espero que esta semana de ausência te tivesse feito muito bem... Que tivesses chegado com toda essa criatividade, que te é peculiar, renovada e com o entusiasmo para nos contares por onde andaste... Isto não curiosidade, curiosidade... é apenas interesse de amiga blogosférica! Grande abraço de boas vindas! : )

Maria P. disse...

Enigma é onde andas tu?!
Sinto a falta:)

Beijinho*