quarta-feira, março 30, 2011

Indiferente a tudo...


Indiferente a tudo, a terra, acariciada pelas mãos dos que a amam, iniciou o seu processo de germinação! 

30 comentários:

Rui Pascoal disse...

Quem também não ficou indiferente foi a artista que captou esta bela imagem. Linda!

Maria disse...

E a Natureza a cumprir o seu dever...

Um abraço e parabéns pela foto!

Manuela disse...

Querida Rosa e que boa é, esta época de renascimento :)

Lilá(s) disse...

Colirio para os olhos!
Bjs

JOÃO SENA disse...

Lindo!
Abraço
js

mlu disse...

E que linda que está esta terra, "desenhada" a régua e esquadro! E que mal tantas vezes lhe agradecemos os dons!

Obrigada pela fotografia!

Pitanga Doce disse...

A Natureza soberana.

Lídia Borges disse...

"Indiferente a tudo"... Cumprindo os seus desígnios de renovação e dádiva.

Um beijo

goiaba disse...

E parece uma linda tapeçaria!

Rogério Pereira disse...

Com o meu pequeno Diogo (19 meses)vamos fazer a aventurinha do costume. No meio do betão erguido, entre o parque de estacionamento e a rua, percorremos o pequeno terreno. A imaginação faz o resto pois a natureza a tal ajuda. Erva fresca, cheiro a terra, veredas de flores campestres, azedas e alguns cardos "Essas picam" digo eu e o Diogo repete "Essas picam". Á frente agacho-me e viro uma pedra. É um tesouro de vida, entre a pedra e o húmos da terra: formigas, bichos-de-conta, minhocas e até um pequenina centopeia, movimentam-se alvoraçadas pela intrusão. Os dois acocorados passamos assim bons bocados, admirando a Primavera renascida. Assim lhe ensino as coisas belas da vida e ele...ele gosta. Que bom seria percorrer esse vale verde que na foto me mostra!

AC disse...

Rosa,
Perante imagens destas - o apelo da terra - os meus olhitos brilham sempre...

Beijo :)

Campista selvagem disse...

Pois é, é uma excelente imagem, no entanto quantos se desegnam a pagar o preço justo de quem trabalhas estes lameiros, quem pensa no suor e lagrimas de quem sobrevive a grangear esta maravilha, as pessoas vão aos mercados compram, desperdiçam e nem lhes passa pela cabeça o quanto alguns sofreram para que esses bens lá chegassem.
(É no entanto uma boa imagem.)

as-nunes disse...

Fiquei siderado!
Que maravilha de fotografia. Que quadro mágico!

Viva a Terra, viva Portugal, que os políticos arrepiem caminho rapidamente e encontrem o rumo que perderam! Esperemos que o consigam fazer, porque Portugal é lindo para se viver!

Temos que fazer cada um a sua parte para que Portugal continue a ser Portugal, para sempre!

Abraço

carol disse...

Que bela manta de retalhos!

(A oficina de fotografia está a dar os seus - bons - frutos!Parabéns!)

Anónimo disse...

Rosa dos Ventos, esta é a NOSSA Primavera? Que saudades, quem me dera aí estar!

Patti disse...

Ainda hoje vinha a guiar e a olhar os campos e a pensar, que adoro esta época em que tudo brota!

Catarina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Catarina disse...

A natureza renova-se e ajuda-nos a sair desta pasmaceira invernosa que, por vezes, nos sufoca. Uma fota a condizer, sim senhor! Parabéns!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Belíssima foto de uma Natureza fotogénica

carol disse...

mesmo percebendo que não ligas muito, tenho lá um selinho para ti...
Beijinho.

Anónimo disse...

Realmente é preciso que mãos amem muito a terra para que ela nos recompense com paisagens belíssimas como esta e que fotógrafos atentos a acompanhem magnificamente com olho de quem ama a Natureza.Lindo!!!
Kinkas

Nina disse...

Que fotografia fantástica...de par com a tua frase poética.:)
bji gde

Rui da Bica disse...

É esse o "milagre da Primavera" ! :))
Quanta beleza !...

Duarte disse...

A terra cobriu-se de cores.... tão lindas!

Abraços

Isa GT disse...

Aqui teria muito a dizer, já fiz muita coisa na vida... professora, vendedora, gestora, empresária, pintura e até tive uma horta biológica como o melhor passatempo que alguma vez tive, adoro a terra, adoro semear, plantar... mexer na terra dá uma sensação de paz que faz esquecer todos os problemas e, claro, a melhor parte... colher. Portanto esta foto diz-me muito... mais do que aos olhos... é pura nostalgia :)

Bjos

Justine disse...

Só na terra podemos confiar, e nos ciclos imutáveis da natureza!
Que beleza de foto, Rosa!É no vale de Minde?

Rosa dos Ventos disse...

Cara Justine
É à entrada de Mira de Aire quando vimos de Porto de Mós e a serra é o "afloramento" do planalto de Santo António que se estende quase até Rio Maior, fazendo parte da Serra de Candeeiros...Do lado de cá fica a "nossa" Serra de Aire.
Não sou de Geografia, por isso não sei se cometi graves erros científicos.
Mas reconheceste bem a serra à qual os mindericos chamam "indevidamente" a serra de Minde! :-)
São bairristas a dizer "chega"!

Abraço

R. disse...

É uma fotografia absolutamente arrebatadora, Rosa. Muitos, muitos parabéns! Que bom que teve a generosidade de a partilhar, para que os que por aqui passam possam 'mais tarde recordar'! (a rima não foi propositada :)).

Abraço e bom fim-de-semana!

Rosa dos Ventos disse...

Não sei como perdi o rasto a esta simpática bicicleta,com a "bagageira" carregadinha de livros
Valha-nos a Justine para nos unir!:-)

Abraço

Justine disse...

Andei lá perto, pois! É que essa região fascinava-me (e ainda me fascina) quando, quase todos os fins de semana, aí passava a caminho das Caldas: de verão a terra lavrada, de inverno as árvores dentro de água, de que apenas se viam as copas!