quarta-feira, julho 30, 2008

Sono

Porque tenho cada vez mais dificuldade em dormir este poema deixou-me a pensar:

Sono

Dormir
mas o sono
repassa
duma insistente dor
a lembrança
da vida

água outra vez bebida
na pobreza da noite:
e assim perdido
o sono
o olvido
bates, coração, repetes
sem querer
o dia.


Carlos de Oliveira, in Trabalho Poético

14 comentários:

Fevereiro disse...

E o sono, que se quer reparador, deixa de o ser, que à noite tudo nos parece pior. Em quem acreditar, na noite ou no dia? Talvez no que nos fizer melhor!
Beijinho.

Vanda disse...

Encher de musica a noite?


Beijinhos :)

dona tela disse...

Assim é que eu gosto. Bons programas.

As minhas cordiais saudações.

pin gente disse...

nunca te deites cedo!


abraço

Justine disse...

Já me sinto mais acompanhada, nas minhas noites mal dormidas...

Rosa dos Ventos disse...

Nunca me deito cedo, Luisa...
Vou começar a pensar em todos os que também não dormem, para ver se ganho sono, Justine! :-))

Abraço

Belisa disse...

Olá

Desejo para ti
Um bom sono e sonhos lindos
E
Beijitos estrelados

e se contasses estrelas até o sono chegar....depois diz-me se resulta.

Rosa dos Ventos disse...

Vou experimentar, Belisa!
Obrigada pelo conselho.

Abraço

Escutador de Almas disse...

Sono?
Boa ideia...vou dormir, para sonhar com palavras!

Oris disse...

Sei como é difícil "ouvir" as horas a passarem...
Optei por começar a deitar-me tarde. Assim, já não estou tanto tempo à espera do João Pestana...
:)

Beijitos

Maria P. disse...

Não há sono, há sonhos!...:)

Beijinho*

Maria P. disse...

Não há sono, há sonhos!...:)

Beijinho*

Su disse...

sono............onde andas??'

jocas maradas

Vieira Calado disse...

Carlos de Oliveira, que tive o prazer de conhecer, pessoalmente.
Grande!