segunda-feira, março 31, 2008

História Árabe

De vez em quando volto à Tertúlia dos Mentirosos, um livro de contos filosóficos de todo o mundo, da autoria de Jean-Claude Carrière e encontro sempre alguma história digna de registo, na minha limitada opinião.
"Esta curta história foi-nos legada pela tradição árabe:
Um homem muito pobre e o seu filhinho encontraram um corpo que uns homens levavam pelo chão.
- Para onde levam o morto? - perguntou a criança.
- Para algum sítio onde não haja que comer, nem que beber. Para algum sítio onde não haja casa, nem fogo, nem tapete, nem esteira.
- Deve ser a nossa casa - diz a criança."


15 comentários:

Maria P. disse...

Faz pensar sim...
Devias contar mais algumas para nós aqui.Digo eu que gosto...


Beijinho*

Anónimo disse...

Pois,as crianças são muito mais argutas, rápidas e práticas nas conclusões,digo eu. O adulto dá a volta ,que lhe convém ,à situação de modo a ignorar o seu real.
Beijinhos.Kincas

Bartolomeu disse...

História macabraaaa!
Os artistas iam a arrastar o corpo morto, pkê?
Não podiam com ele?
Iam leva-lo para aquele local específico, pkê?
Prós famintos que lá viviam se alimentarem, para o enterrarem, ou como sádico aviso "se não te alimentares, vais ficar assim"?
A criança e o pai não se alimentavam, mas mantinham-se vivos...
ok

Luis Eme disse...

História real para tantas crianças, espalhadas por este mundo fora...

abraço Rosa

Rosa dos Ventos disse...

Caro Bartô
Como qualquer conto e ainda por cima filosófico, podemos tirar dele várias conclusões...


Abraço

Um Momento disse...

Minha Querida...
Engoli em seco...

Deixo um beijo

(*)

Justine disse...

Rosa, esta história árabe é bastante enigmática. E muito triste.
Dá-nos uma história árabe promaveril :))

inominável disse...

concordo com a Justine... dá-nos algo com flores e balões coloridos...

FELIZ DIA DAS MENTIRAS!!!!

Anónimo disse...

escândalo na bíblia visite e comente

http://olhodotigre.blogspot.com/

NOBITA disse...

A pobreza é muito triste, as crianças são tão sensíveis aos problemas que nada lhes escapa.
Pena é que ainda neste Mundo e em pleno Sec. XXI ainda assistamos a pobreza extrema, onde não há nada mesmo.
Beijos

Luisa Oliveira disse...

É de ficar a pensar, é.

Rosa dos Ventos disse...

De facto é muito triste quando uma sepultura é igual à casa de alguém...ou o contrário.
E ainda é mais triste ouvir-se isso da boca de uma criança!
Para a próxima talvez saia algo mais primaveril...a pedido de várias famílias! ;-))

Abraço

Oris disse...

As crianças vêem aquilo que os adultos não conseguem...

Beijitos

Rui disse...

Há quem, depois de morto, não note grandes diferenças.

Putas dum Cabrão disse...

Vão se fuder seus paneleiros























































































































































































































































































































Ta bue fixe