quinta-feira, março 13, 2008

A Porta

Assim se chama o livro que eu gostaria de ter começado a ler naquele dia de chuva em que tive de sair, por pura obrigação.
Mas peguei nele na terça à noite e acabei de o terminar.
A sua autora é uma húngara, Magda Szabó, nascida em 1917 e falecida no ano passado, se não estou em erro.
É uma publicação da D. Quixote e deixou-me presa até à última linha.
Segundo o pequeno resumo que normalmente surge no interior da capa é "um romance de uma dimensão humana extraordinária, uma inesquecível homenagem à amizade."
"Um texto brilhante, soberbo e desconcertante."- opinião de um crítico de Le Fígaro.
Aconselho-o vivamente!

9 comentários:

Jaime disse...

Tem bom aspecto. :-) obrigado.

Justine disse...

Obrigada pela dica, Rosa, agora que ando um pouco orfã de informação sobre livros...

Esplanando disse...

Já o acabaste!?!? :-O

Anónimo disse...

Ora aí está mais uma dica que me obriga a abrir "A Porta".Nnão haverá publicidade subliminar ,por aí?(Bem paga,claro).
Abraço Kincas

Rosa dos Ventos disse...

Tenho a comunicar ao querido Esplanando que não sublinhei nada, nem escrevi qualquer comentário à margem.
Assim passará por novo! ;-))

Bisous

Rosa dos Ventos disse...

Penso receber pelo menos uma percentagem significativa nos livros comprados por minha sugestão.
Contigo não ganho nada, Kincas!
A nossa "mestra" é que irá receber esses dividendos... ;-))

Abraço

Oris disse...

Agradeço a sugestão...

Tenho andado um pouco preguiçosa em relação à leitura...

Bom fim-de-semana.
Beijitos

Pitanga Doce disse...

Ainda estou meio ressabiada com a D. Quixote desde que publicou Eu, Carolina. Aquilo se faz?

beijos inconformados

Rosa dos Ventos disse...

Não se faz e consta que vem aí Carolina II!!
Foi pelo menos o que ouvi ontem no Expresso da Meia-Noite.
Não sei se estavam a brincar...
Espero que sim!

Abraço