sexta-feira, fevereiro 15, 2008

Na minha aldeia...



Na minha "aldeia" só passam rios de gente...de resto é terra seca.
Quando tenho saudades do Tejo rumo um pouquinho a sul e lá está ele como se estivesse à minha espera!
Qualquer dia meto-me num destes barquinhos e aí vou eu...

19 comentários:

Justine disse...

Que serenidade transmitem, o rio e os barcos. Que sejam o reflexo dos teus olhos.
Bom fim de semana

Su disse...

gostem da tua "aldeia"

jocas maradas...sempre

Oris disse...

Um passeio, num desses barquinhos, até era agradável...

Dantes, no "meu" rio, havia umas gaivotas que alugávamos e era divertidíssimo o passeio...

No meu tempo....
(como no anúncio....)
:)

Bom fim-de-semana.

Beijitos

Luis Eme disse...

Remar nem é coisa dificil, Rosa...

abraço

Eyes wide open disse...

:) eu acho que já por ali andei de canoa...

Bom fds!


*

Maria disse...

Não me importava nada de andar aqui, num destes barquinhos....

Bom fim de semana

TsiWari disse...

Qualquer barco, de qualquer lugar, é uma promessa única.

***

Anónimo disse...

Que estranha,nostálgica e purificadora dalma sensação nos transmite a água!Lindas fotos,mas nunca me convides para entrar num desses barquinhos a não ser virtualmente porque sou mesmo bicho de terra.Abração Kincas

Pitanga disse...

Se o que me separa da minha aldeia fosse um rio como este e pudesse meter-me num barquinho assim, era já... Mas o mar é IMENSO! Quase não cabe lá a saudade.

beijos de sábado

Luisa Oliveira disse...

Como disse o Luis, remar até nem deve ser coisa difícil. Tenta amiga, que perdes tu? :)

Jaime disse...

Belas fotos! Tiradas do Norte para o Sul?

Rosa dos Ventos disse...

Exactamente, Jaime!

Um Momento disse...

Posso ir contigo?

Serenidade do rio...

Deixo um beijo... sorrindo

(*)

Belisa disse...

OLá

Uma "aldeia" linda e sossegada!

Beijos estrelados

Maria P. disse...

Eu gosto de andar nesses barquinhos, assim sem rumo...:)

Um abraço*

Bichodeconta disse...

Ao encontro do mar que sempre está de braços abertos á nossa espera.. Um abraço, ell

bettips disse...

Encontramo-nos em lugares de comum, acordo. Como um rio que se procura...
É delicado o sentir.
Abç

Rosa dos Ventos disse...

Como a água pode ser tão tranquila e tão violenta!...

TINTA PERMANENTE disse...

(Era uma vez um barquinho pequenino, tão pequenino, tão pequenino e sempre a navegar...)
Cantilena da infância que agora recordei...

abraços!