domingo, abril 08, 2007

Vasco Pulido Valente

Gosto de crónicas e sou leitora habitual de alguns dos cronistas "da nossa praça".
Entre eles encontra-se Vasco Pulido Valente que hoje, no Público, a propósito da Páscoa de 2007, aproveitou para tecer algumas considerações sobre a forma como os portugueses festejam as datas marcantes do seu (nosso) calendário.
Dizia ele no final da sua crónica que:
" Os portugueses não festejam verdadeiramente nada, porque nada, no fundo, os liga no todo ou em parcelas. nem a política, nem a religião, nem a cultura, nem o patriotismo.
Admito que assim seja melhor."

Com o seu estilo cortante acaba por colocar o dedo na ferida!
Talvez daqui a uns tempos tenhamos um concurso cuja pergunta chave será:
O que une os portugueses?

14 comentários:

Maria disse...

Outro "passatempo" como o do mês passado?
Ai Rosa, poupa-me...

Beijos

Rosa dos Ventos disse...

Estava apenas a ser irónica, Maria!
Deus nos livre, mesmo.
Mas neste abençoado país tudo é possível!
Um abraço

TsiWari disse...

ainda respondem mal...

***

alfabeta disse...

o futebol quando joga Portugal, acho que aí unem- se todos.

Entre linhas... disse...

O V.P.Valente perante o discurso carregado de irnia,não deixa de ser em parte verdadeiro,o povo português apenas se une quando pode tirar dividendos.

Bom ínicio de semana

Bjs Zita

Maria P. disse...

Hoje devo estar pessimista demais, pois para mim nada une este povo a beira-mar plantado!

Beijinho*

LB disse...

Ora,a selecção, não?

Beijinho

Rosa dos Ventos disse...

Mas para isso é preciso que ganhe porque quando perde lá começa o desatino!
A culpa é do seleccionador, a culpa é do guarda-redes, a culpa é do ataque, a culpa é do árbitro, enfim, cada um tem a sua versão para a derrota! :-))

sonhadora disse...

O sonho comanda a vida. Tem um dia de sonho.
Beijinhos embrulhados em abraços

Luis Eme disse...

Não vejo que sejamos muito diferentes dos outros, de outros mundos.

Talvez nos falte amor próprio e auto-estima, além de continuarmos muito ignorantes, apesar de nos acharmos espertinhos...

Somos um povo demasiado inculto, se soubéssemos um pouco mais da nossa história, talvez percebéssemos que não somos o pior dos povos.

Em relação ao VPV, em dez crónicas que escreve acerta uma (na minha opinião claro). Como historiador então, não passa de um "intruja"...

Rosa, desculpa lá... comecei a divagar e...

Rosa dos Ventos disse...

Estás à vontade, Luis Eme!
O facto de ler as crónicas do VPV e de gostar de algumas não me impede de ver que ele é um venenoso!
De facto o que nos caracteriza mesmo é a nossa baixa auto-estima, tens razão!
E a crónica do VPV é uma demonstração disso!
Estamos sempre no "bota abaixo"!
Com portugueses não vamos lá! (diz O Gato Fedorento) :-))

KA disse...

Olá,

Realmente nada une os Portugueses... Ou melhor talvez existam sentimentos ou formas de estar comuns, tais como o facto de sermos demissionários a pedir responsabilidades, e de andarmos quase todos a olhar para o nosso umbigo.

Não existe uma consciencia colectiva, as atitudes nunca são tomadas a pensar num bem comum.

Luisa Oliveira disse...

Bom tema para pensar...

Jaime disse...

Eu acho que há uma "maneira de ser portuguesa". E até não é má. Somos um povo essencialmente simpático, gentil, pacífico, de costumes brandos e que em geral aprecia as coisas boas e simples da vida, incluindo o bacalhau. E sim, estamos ligados. Pessoalmente não tenho muito "orgulho" em ser português, mas gosto bastante de o ser.