quarta-feira, junho 05, 2019

Olhares



Viagens na minha terra

Olhares de Almeida Garrett

Da varanda do quarto onde dormiu em Santarém!

16 comentários:

Janita disse...

E, estava ele, Almeida Garrett, mergulhado em meditações profundas, sobre as belezas que via para lá dessa janela, quando um rouxinol começou a mais linda e desgarrada cantiga, que há muito não se lembrava de ouvir…

Também o teu olhar, Rosa dos Ventos, é muito belo e emocionante.
Gostei muito de ter ido recordar o olhar do escritor, sobre o Vale de Santarém.
Obrigada.

Um abraço.

Larissa Santos disse...

Uma imagem que quase dispensa palavras :))

Hoje:-Por vezes existem dias sem cor.

Bjos
Votos de uma óptima Quarta - Feira

Catarina disse...

Uma paisagem plana e linda, um horizonte vasto. Tb gostaria de estar a essa janela.
: )

Clara disse...

Não sei se fico com pena de não ter estado ao lado de Almeida Garrett quando contemplava essa vista ou se fico com pena de não ter estado a teu lado quando desfrutaste dessas vistas fabulosas!!

(brincadeirinha... claro que preferia ter estado contigo... mais a mais em mil oitocentos e troca o passo ainda não havia máquinas fotográficas a cores...)

🤣

Beijinhos brincalhões
(^^)


P.S. agora fora de brincadeiras, adorei a paisagem! Espero que a foto seja tua!

Dalma disse...

RV, espero que a fotografia seja sua pois é sinónimo de que está com vontade de “ver coisas”!
D.

ematejoca disse...

Ainda existe esse quarto?
Agora, vou ler o que o portuênse escreveu sobre Santarém.
Li o livro no meu tempo escolar, que agora já não me lembro.

Andreia Morais disse...

Que bela vista!

Olinda Melo disse...


O Vale de Santarém! Um dos mais belos textos de Garrett, para além de tudo o que ele nos traz em " Viagens na minha Terra".

E o seu olhar sobre o vale faz-lhe jus.

Obrigada, Rosa dos Ventos.

Bj

Olinda

Rogério G.V. Pereira disse...

Não invejo essa janela
Tenho a minha, sobre o mesmo rio
Vejo através dela
As águas que Garrett viu

Dalma disse...

Rogério, engana-se pois “as mesmas águas nunca passam debaixo da mesma ponte”, alguém disse!

Justine disse...

Deve ter tido muito bons sonhos!

A TItica disse...

Inspirador!!

Graça Sampaio disse...

«O rio Tejo [não]´é o rio da minha aldeia...»

O meu pensamento viaja disse...

Isso é que é uma vista deslumbrante!

saudade disse...

Fantástico quando a vista da janela nos faz perder na paisagem.... A minha não tem rio, mas também é linda...
Boa semana

Duarte disse...

Boa toma, que, como bem dizes, inspira. Mas que longe está daquele então.
Tenho uma edição especial que fez a livraria Lello.
Ainda lá não estive e este é um bom convite.
Abraços de vida, querida amiga