quarta-feira, dezembro 12, 2012

Natal encaixotado

( imagem da net )

Este ano foi decidido, por maioria relativa, que o Natal seria em Lisboa!
Assim, e de acordo com o cenário previsto para a época festiva que se aproxima, decidi deixar o Natal "encaixotado" à espera do próximo ano, se não houver "votação" em contrário...
Acontece que gosto e não gosto destes festejos...
Gosto do colorido, das luzes, da música, do riso das crianças ao abrirem os presentes, o sorriso dos adultos a olharem para elas!
Detesto o consumismo, a caridadezinha, a hipocrisia, o frenesim que se apodera das pessoas, a pobreza de quem nem tem para comer e sente uma enorme frustração com o esbanjamento que vê à sua volta.
Apesar de tudo não vou deixar de cumprir a tradição e de comprar prendas para as onze crianças da família, além do neto, dentro dum limite já acordado.
Claro que os familiares mais próximos também serão contemplados com algo de simbólico!
Desculpai lá este espírito tão pouco natalício!

23 comentários:

Ovelha Flor Guerreira disse...

Eu vibro com o Natal desde que tenho as minhas Minis, mais pela alegria delas que me contagia. Quando era pequena também gostava. Depois passei uma fase que me era completamente indiferente, daí que perceba perfeitamente esse sentimento!

aquilária disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Humana disse...

eu celebro o Natal. dou, aos que me são muito próximos - entre eles as crianças da família - presentes simbólicos. coisas feitas por mim, no tempo que roubo ao tempo :). de resto, sempre que posso, vou presenteando adultos e crianças, da família ou amigos, ao longo do ano.

abraço, amiga. e que tudo corra bem com a kikas.

Rui da Bica disse...

Eu compreendo e compartilho essa "apreciação". Por outro lado, mesmo não sendo aí a ceia e o almoço de Natal, esta quadra pede mais qualquer coisa que o aspecto e ambiente habituais.
Pequenas decorações alusivas transmitem-nos qualquer coisa de diferente e fazem-nos bem (creio eu) !
Abraço, minha amiga ! :))
.

redonda disse...

Acho que também compreendi o que está neste texto, quanto ao que tem de bom e de mal o Natal e de como deveria ser.
Comecei a ouvir o CD no meu computador portátil ontem à noite enquanto trabalhava (baixinho para não acordar ninguém) e estou a gostar muito.
Obrigada e um beijinho
Gábi

quem és, que fazes aqui? disse...


Pois eu, este ano, por causa deste ambiente deprimente em que vivemos, arrebiquei nos enfeites, reutilizando e transformando.

Prendas? Fiz tudo o que vou dar e diverti-me muito.

Beijinho

Laura

Isa GT disse...

O teu espírito natalício está bem melhor do que o meu... este vai ser o 4º Natal com a filha longe, e a neta que só vi pela internet... se não fosse o garoto, punha o letreiro de Fechado e só abria a 2 de Janeiro ;)

Bjos

São disse...

Desde que meu Pai faleceu, o Natal deixou de ter graça...

Agora só pelas crianaçs, mas como -infelizmente - os meus netos não compartilham o Natal comigo, nem isso me vale.

beijinhos e alegre quadra.

Tite disse...

Cá em casa o espírito natalício já apareceu.

Os presentes para as crianças estão assegurados. Para os adultos, da minha parte vão haver os que fiz, com amor, para oferecer nesta quadra. Será pouco mas é de coração.

Quando não reunir a família ou parte dela, como de facto vai acontecer, então o espírito da casa desaparecerá de todo e eu NÃO QUERO

Teté disse...

Também costumo ter as minhas decorações de Natal assim fechadas em caixas, não são é tão bonitinhas. Dê por onde der, da caixa saem sempre: gosto de ver a árvore com as luzinhas a brilhar todas as noites de dezembro! E também gosto das iluminações de rua e lojas. E das restantes decorações.

Para lá do consumismo e de todos os outros aspetos negativos que focaste, há outro que me chateia à brava: as músicas de Natal. Não é que as músicas sejam feias, mas um mês em que não se pode ir a lado nenhum que não esteja sempre a tocar a mesma meia dúzia... é dose! :)

Abraço!

Flor de Jasmim disse...

Rosa eu não sou fã do Natal, muito pelo contrário, ando tristonha embora já o seja por natureza, ou porque a vida me tornou triste, mas se podesse adormecer já e acordar após esta quadra eu faria-o! Para mim o Natal deve ser todos os dias com amor e carinho, sem hipocrisias e o consumismo que não suporto, eu nem as compras normais gosto de fazer nesta altura.
Prendas não vai haver, tenho que sustentar uma filha e três netos e não me é fácil estando eu no desemprego, coisa que a minha filha nem isso tem, vopu dar o que posso, mas será roupa e comida, mas passam a noite de Natal comigo e com o meu "folha seca"!
Eu não coloco decorações nenhumas à muitos anos.

beijinho e uma flor

Rui Pascoal disse...

Também detesto o consumismo, especialmente "nesta altura do campeonato".
O Natal para mim, o verdadeiro Natal, já foi... e hoje já ninguém mo pode dar, nem tirar.

Graça Sampaio disse...

Realmente o dito "espírito natalício" anda um bom bocado arredado... Vá-se lá saber porquê!

Catarina disse...

O Natal ... O Natal deixou de ser o que era... Mas para se criar um bom ambiente há que ir numa certa onda, decorar e sentir a diferença que essa decoração nos possa causar, fazer com que o espírito natalício entre de novo para não se confundir com outros tempos, outras épocas...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Partilho o mesmo sentimento sobre o Natal, Rosa.
A febre consumista irrita-me, mas as iluminações, a árvore de Natal, a música nas ruas e outros adereços indispensáveis a esta quadra, continuam a encantar-me.
Tenha um Feliz Natal. Em Lisboa ou seja onde for, o Natal é aquilo que nós quisermos.

vieira calado disse...

Eu não saio de casa, por este Natal!
Beijinho para si!

Luis Eme disse...

na verdade, todos sentimos que é menos natal que nos outros anos, e não é só pelo dinheiro ser menos...

abraço Rosa

Anónimo disse...

Enquanto a troica estiver por perto o nosso Natal está mais ou menos encaixotado...M.A.A.

Dalma disse...

Também eu não tenho nenhum espírito natalício. Aos meus filhos valeu-lhes a avó Alice que sempre lhe proporcionou Natais com magia qb! Hoje eu sou uma avó muito descolorida em comparação com ela!

Rosa dos Ventos disse...

Os outros avós do meu neto passam o Natal longe, embora não tenham outro neto, Dalma!
Acontece que ainda há um "bisavô" vivo que precisa de apoio!

Abraço

Nina disse...

O que sorrirá esse bisavô este ano, com o pequeno rei mais engraçado.:)
Força nos preparativos. Que te tragam alguma paz, minha querida.
Aquele abraço

Rosa dos Ventos disse...

Não percebeste bem, Nina!
Os outros avós não estarão presentes porque terão que ir passar o Natal com o tal "bisavô".
As aspas significam que não é um verdadeiro bisavô!


Abraço

bettips disse...

Também para ti, Rosinha das brisas...
Pouco natalícia, na caladura dos dias, mas vendo-te.
Obg pela companhia.
Um beijinho