sexta-feira, abril 20, 2012

Reviver o passado...

Há dias solicitaram-me que fizesse parte do júri de um concurso no âmbito da Feira do Livro que podem visualizar neste cartaz.
Não imaginam o que senti por me ver diante de 21 meninos e meninas do 2º ciclo, sentados no auditório da Câmara, muito entusiasmados mas bem comportados para prestarem as suas provas!
Foi como que voltar de novo à escola!
Formaram-se grupos de sete por sorteio e começaram com uma prova de compreensão de leitura de dois livros, previamente trabalhados pelos professores de Português nas aulas. Com duas respostas erradas iam sendo eliminados/as.
Depois dos três grupos de sete terem feito essa primeira prova de compreensão, fez-se uma segunda prova "com morte súbita", logo que erravam uma questão saiam.
Seguiu-se uma prova de leitura, o júri fez a sua avaliação e pontuação de acordo com um guião que nos foi fornecido.
Finalmente chegaram à prova escrita apenas sete e foi uma maravilha voltar a ler textos tão engraçados e tão cheios de criatividade.
A avaliação e pontuação também seguiu um guião.
Enquanto fazíamos as somas das cotações toda a criançada foi tomar um "lanchinho" fornecido pela entidade organizadora.
A vencedora foi uma menina, o 2º e 3º lugares pertenceram a rapazes, os restantes ficaram em 4º.
E estou a contar isto apenas por me ter sentido transportada ao passado?
Seguramente que não!
Foi sobretudo porque, embora saiba que os alunos e as alunas foram seleccionados/as, concluí que há crianças a gostar de ler, que compreendem bem o que lêem, que escrevem com uma bela caligrafia , com  a pontuação adequada, com sequência lógica,  praticamente sem erros, graças ao seu  trabalho  mas sobretudo graças ao empenhamento e planeamento adequado por parte dos e das docentes cujo trabalho é muitas vezes ignorado pela comunidade e incorrectamente avaliado pelo ministério da tutela.









20 comentários:

trepadeira disse...

Claro que há muita gente novinha a gostar de ler e escrever,a gostar de teatro,de cultura,senão onde estaria a esperança?

Um abraço,
mário

Graça Sampaio disse...

Apoiado! Basta de dizer mal de tudo o que diz respeito ao que tem sido feito em termos de educação!

Parabéns à membro do Júri!

Flor de Jasmim disse...

É de louvar essas crianças sim e, muito, mas também a Rosa, a que deixo aqui os meus parabéns.
Bom fim de semana tudo de bom para a minha amiga e seu "jardineiro" que espero que esteja recuperado.

Beijinho e uma flor

acácia rubra disse...

Parabéns à Organização, ao júri e à pequenada. É tão bom trabalhar e ver frutos!

Beijo

as-nunes disse...

Uma missão interessantíssima, sem dúvida.

Aliás, mais sessões públicas de leitura por parte das crianças e adolescentes, poderia constituir uma boa forma de os catapultar para vencer os receios de falhar e de ser avaliado.
Falhar sem desfalecimentos, insistir depois de corrigidas as deficiências encontradas, é fundamental. Mas é preciso organização, vontades para dinamizar ações deste tipo!

Muito bem.

AC disse...

Rosa,
Gostei muito deste post, e as razões são várias. Fiquemo-nos pelo "...há crianças a gostar de ler, que compreendem bem o que lêem, que escrevem com uma bela caligrafia , com a pontuação adequada, com sequência lógica, praticamente sem erros, graças ao seu trabalho mas sobretudo graças ao empenhamento e planeamento adequado por parte dos e das docentes cujo trabalho é muitas vezes ignorado pela comunidade e incorrectamente avaliado pelo ministério da tutela."

Beijo :)

redonda disse...

Gostava de ter ido a essa Feira do Livro e gostei muito deste texto, por ser positivo e pela esperança (o meu afilhado com dez anos gosta de ler).
um beijinho

Luis Eme disse...

os livros continuam a ter magia.

eu vejo pelo efeito que têm na minha filhota de sete anos. :)

abraço Rosa

Anónimo disse...

Ó fada das mil e uma magias,como admiro a tua entrega e o entusiasmo com que o fazes.A minha ajudante de campo,ucraniana de nascimento tem uma filha de 13 anos que não anda sem seu livro de Harry Potter a Sophia.É viva,faz atletismo,salto em comprimento e malandrices até dixer basta.Pois,exatamente hoje,vou com ela a um workshop na Arquivo (imagina o meu ranger de dentes por ter de sair de casa)sobre Eça de Queirós,autor de que ela já leu O Crime do Padre Amaro (!!!) e agora tem em mãos a Cidade e as Serras.As actividades destinam-se a crianças dos 8 aos 14 anos.Fico pasmada como é que uma menina estrangeira,que fala a lingua do seu país com os pais se pode apaixonar assim pela leitura.Eça de Queirós surgiu por causa de uma pintura num muro do Largo da Sé,com algum embaraço para mim que empresto os livros.Kinkas

Nina disse...

Momento especial, este que aqui relataste.
Quanto ao que de nós dizem, o que fazer?:(

Xi coração

Tite disse...

Adorei o teu post e o tema do mesmo.

Sabes que, apesar de dizeres que o trabalho dos docentes é ignorado, o mesmo não o será pelos próprios alunos que nunca irão esquecer quem tão bem os preparou para a vida?

Ainda hoje recordo pelos nomes os Professores que me deram as melhores notas devidas ao meu esforço de estudante mas, mais ainda, ao trabalho por eles desenvolvido ao despertar-nos o interesse e o gosto pelo estudo das suas disciplinas.

Abraços e um bom fim de semana

Catarina disse...

Aqui está o motivo porque tens andado muito ocupada nos últimos dias!
Uma iniciativa digna de menção e tantas outras se deviam seguir para motivar os mais jovens a continuar a ler. O exemplo que a Kinkas dá é muito significativo. Continua a haver uma diferença (aqui) entre as crianças de descendência portuguesa e sul americana e as de outros antecedentes. Para os primeiros, talvez motivadas pelo ambiente familiar, (e isto em termos gerais), a cultura, o conhecimento não é tão importante como, por exemplo, para os filipinos, vietnamitas, coreanos e de certos países europeus. A diferença continua a ser visível além fronteiras.
Abraço e um ótimo fim de semana. : )

Pitanga Doce disse...

Que bons momentos, Rosa! Livros e crianças!

Bom fim de semana, de Sol, espero! Ou não?

Catarina disse...

aquele "porque" ali em cima deveria ser, "por que", certo?

Dalma disse...

É verdade RV, hoje há mais crianças a ler do que em tempos passados! A minha neta R que frequenta o 7º ano na Escola Secundária de Bocage ganhou o 1ª prémio de poesia disputado entre todas turmas de 7º, 8º e 9ºano! Além disso é uma leitora compulsiva...

Eva Gonçalves disse...

Iniciativas de louvar que incentivam à leitura. Infelizmente, há muitas actividades promovendo a leitura nas crianças, mas poucas na adolescência em que perdem muitas vezes hábitos que tinham... Bom resto de fim de semana! Bjo

Rosa dos Ventos disse...

A todos os amigos

Limitei-me a fazer parte do júri e a publicitar o evento!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

À Kinkas
Por teres sido tão excessivamente elogiosa só tenho a agradecer isso e o facto de estares a ajudar uma menina, certamente tão bonita e inteligente como a mãe, a conhecer melhor a Língua e Literatura do país que tem por tradição acolher bem quem vem por bem! :-))

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há professores e escolas que não merecem ser metidas no mesmo saco da paranóia da educação. Infelizmente, o trabalho excepcional de mitos profesores não é reconhecido pelo ME, entretido que anda ( e não me refiro apenas a este ministro) a testar experiências e a por na mão de privados aquilo que deveria ser público.
Apesar de tudo, estou confiante nos nossos jovens que vêem o futuro paralém do consumismo, da Internet e das redes sociais.

Teresa disse...

Obrigada Rosa dos Ventos!
Poucas vezes ouvimos dizer bem do nosso trabalho!