domingo, abril 15, 2012

As Mãos



Ontem houve um Café-Concerto na AMBO, associação à qual pertence o coro onde canto, promovido precisamente pelo coro.
Este foi o poema de Manuel Alegre que fui dizer num dos intervalos.
É um poema de Abril, daí a escolha!
Não podemos esquecer que nas nossas mãos começa a liberdade! 

26 comentários:

folha seca disse...

Cara Rosa dos Ventos.
Uma excelente escolha. Um dos poemas de Alegre que mais me marcou e que foi brilhantemente cantado pelo Adriano.
Um beijo
Rodrigo

Rui Pascoal disse...

Passados já tantos anos continuo fiel ao poeta e ao cantor. Porque será?

Catarina disse...

Não conhecia. Muito apropriado.
Abraço

Graça Sampaio disse...

E que boa escolha, Rosinha!

Beijos.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A escolha é muito boa, mas eu gostava mesmo era de a ter ouvido a si a dizer este poema.
Beijinho

Rogério Pereira disse...

Te-lo-ás dito bem
seguramente
Como quem reza
Como quem sente
que nas nossas mãos começa a liberdade.
Por ser verdade

Anónimo disse...

Belíssima escolha.Tenho esperanças de ouvir o Poema dito por ti.Kinkas

Luis Eme disse...

começa tudo, o "amor" e a "guerra".

abraço Rosa

Alberto David disse...

Parabéns cara amiga pela escolha acertada,tenho pena não a ter ouvido declamar.

Um abraço amigo

mlu disse...

Para mim, é um dos mais belos poemas de M Alegre! Gostava de o ter ouvido declamado por si mas a minha cabeça, agora, "perde" programas, horários e... Não me posso fiar nela, vou ter de arranjar um esquema qualquer!...

Um abraço

Isa GT disse...

Estou como o Carlos... gostava mais de ter ouvido a Rosinha :)

Bjos

trepadeira disse...

E eu que estava na esperança de ouvir a declamação.

O Adriano a cantar à capela é entusiasmante.

Um abraço,
mário

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Muito bom o poema. Parabéns ao autor e a você por postar. beijos.

R. disse...

E precisamos muito de evocar os valores de Abril. Precisamos muito que Abril floresça.

Muito boa escolha!

Boa semana.

Turista disse...

Querida Rosa, um poema bem adequado nestes tempos, neste mês!

Tite disse...

Se o país cheirasse tanto a liberdade como cheira a blogosfera por onde navego, outro galo cantaria e outra esperança haveria para alegrar os nossos dias.

Beijossssss apesar de tudo esperançosos

Sam Seaborn disse...

Já nem Abril é o que era… provavelmente em breve deixará de fazer sentido… ou quanto muito vão permanecer reminiscências de um passado esquecido,
Boa escolha, abraço e tem um bom início de semana

redonda disse...

Gostei muito.
um beijinho
Gábi

Isa GT disse...

Tentei responder o melhor que sei à tua pergunta lá no meu canto... este vai ser mais um "sapo" que me vai custar a engolir.

Bjos

Justine disse...

O poema é magnífico, e a voz do Adriano arrepia-me...
Um abracinho, amiga:-))))

Justine disse...

O poema é magnífico, e a voz do Adriano arrepia-me...
Um abracinho, amiga:-))))

Lilá(s) disse...

Belíssima escolha, pena não podermos ouvir o poema dito por ti...
Bjs

Duarte disse...

Lindo, e emotivo...
Gostei muito.
Abraços

Nina disse...

Começa a liberdade e encerra o amor.:)
(hoje estou assim, lamechas:))
Um xi enorme

goiaba disse...

Boa escolha e êxito para esse Coro que tenho de um dia ir ouvir.
Abraço

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa Tarde Amiga!
Hoje em especial
Parei um pouquinho
Para trazer o meu carinho.
E apenas lhe dizer muito simplistamente,
Muito Obrigado!
Obrigado por tudo, que Deus esteja sempre com você hoje e sempre e sempre...
Com todo o meu carinho o meu grande Abraço.
Maria Alice