sábado, janeiro 21, 2012

O meu "fiel jardineiro"...

(imagem da net)

Depois de mais de três semanas no hospital, o meu "fiel jardineiro" regressou ao lar!
Vem combalido e sem poder assumir os "pelouros" que detinha na gestão do quotidiano da casa, a saber - alimentação e higiene de gatas e canários,compra do jornal, manutenção do pequeno espaço envolvente ao qual chamo, pomposamente, jardim/quintal mas pouco vai além de três canteiros encostados aos muros e ainda, nesta época, a "implementação" do fogo na lareira...
Agora sou eu que tenho de acumular todos os "pelouros" com a esporádica ajuda da minha AAD!
Mas a espera faz-se a dois e no aconchego da casa, uma vez que nem todo o diagnóstico está definido...
Agradeço as simpáticas e solidárias palavras que me foram dirigidas e peço desculpa por, num momento de solidão, ter colocado uma imagem que tanto vos preocupou!
Bem hajam!

31 comentários:

redonda disse...

Ainda bem que já voltou para casa.
um beijinho grande
Gábi

Justine disse...

Que o teu fiel jardineiro assuma rapidamente as tarefas que lhe foram distribuídas na gestão da casa!
Abarço forte

ematejoca disse...

MUITAS FELICIDADES para ti e para o teu "fiel jardineiro", minha cara Rosa dos Ventos.

Não importa que as tarefas habituais fiquem por fazer, importante é, o seu regresso ao lar.

Abraço para ambos da amiga de longe.

Observador disse...

Um passo de cada vez, Rosa.

Porque a vida também exige ser vivida um dia de cada vez.

Um beijinho

Flor de Jasmim disse...

Rosa
Que bom saber que o teu " fiel jardineiro" já voltou, fico feliz por ti e principalmente por ele.

As tarefas com calma se farão o mais importante será a saúde.

Desejo o melhor do mundo para vós.

Beijinho e umaflor

Olinda Melo disse...

Olá, Rosa dos Ventos

Desejo boa recuperação e que tudo continue a correr pelo melhor.

Bj

Olinda

Catarina disse...

“Finalmente sós”!
Agora são só papariquices!
Boa sorte e olhemos o futuro com otimismo. Abraço.

Rogério Pereira disse...

Terminava meu comentário ao teu post anterior, sem saber a razão da espera, com esta frase: ...que chegue, entretanto, quem assim se quer tanto.

Que seja leve o diagnóstico e passageiro o medo. Um abraço ao teu "fiel jardineiro" e o desejo que regresse, em breve, ao seus "pelouros"

Rui Pascoal disse...

Desejo que tudo volte à normalidade, tão breve quanto possível.

Nina disse...

Que bom ter aqui vindo!
Nem imaginas, Rosinha, o quão feliz me sinto por "vos" saber em casa.
A semana que passou foi de agonia na casa dos meus pais, arrastando-se, naturalmente, para a dos filhos. Graças a Deus, a última biópsia com direito a 24 amostrazinhas voltou negativa. Valores altos e resultados negativos neste exame (foi 0 3º ou 4º). Que alívio que eu senti!
Contrariamente a vós, os meus pais não foram um casal exemplo, pelas aventuras do "galo da casa". Mas agora ambos têm idade para ter juízo e é tão bom entrar naquela casa, onde me acolhia um exemplo de casal-os meus avós-e sentir da parte dos meus pais a mesma alegria.
Comovi-me.
Comovo-me sempre que se trata de assuntos assim.
Que o teu compagnon de route ou fiel jardineiro descanse bem e que sorriam muito...abraçados.
Um abraço aos 2

trepadeira disse...

Com tanto amor e carinho tudo se resolverá da melhor forma.

Um forte abraço aos dois,

mário

Lilá(s) disse...

É bom saber que o "fiel jardineiro" está de volta, agora com calma tudo voltará ao lugar...um grande beijinho

goiaba disse...

Há que ter esperança e acreditar que o pior já lá vai. Abraço

Rui da Bica disse...

Quanto feliz fico por vós, Rosa ! :))
Calculo que agora, não farás questão em desempenhar as funções de ambos durante a recuperação, mesmo que não tão bem. Uma "espera acompanhada", como dizes, é muito mais estimulante ! :))
Tudo de bom para os dois, Rosa e uma recuperação rápida !

Bjs
.

Anónimo disse...

Que a saúde encha a vossa casa e o jardim fique cheio de flores.
M.A.A.

Dalma disse...

Cá em casa, aquilo que a Rosa chama de "fiel jardineiro" eu chamo de " o meu mordomo" que começa as suas actividades com o pequeno almoço e acaba com o cházinho da noite! De jardim não percebe nada felizmente, senão teríamos que dividir as "sete quintas" ao meio!

Que esta primavera antecipada traga também o regresso do "seu fiel jardineiro" às lides caseiras e aos canteiros do seu/vosso jardim/quintal!

Duarte disse...

Verás que a curto prazo tudo voltará à normalidade, estou convencido de que vai ser assim.
De todas formas, entretanto, estarás algo mais entretida.
Abraços de vida

Graça Sampaio disse...

Importante mesmo é estar já em casa. Agora é preciso calma e muita paciência.

Boas melhoras.

Beijinho para ambos.

bettips disse...

Vinha aqui com alguma preocupação: a gente não se conhece mas reconhece-se.
Já há muito que chamo ao meu companheiro, sem ter quintal nem jardim mas cuidando da sua flor-maior como acha, esse nome de jardineiro. Quase 40 anos atestam "o fiel".
Para te dizer de tanta coragem e mandar um abraço: mimem-se muito, sempre.
Continuação de mais força, para ambos.

Pitanga Doce disse...

E não há melhor remédio do que aconchego do lar. Os cheiros, a poltrona predileta, o livro que sempre fica à espera. E a companhia da Rosa, que faz do jardineiro um homem mais completo. Até na espera é preciso dividir.

Beijos, Rosa. Tudo vai dar certo.

Anónimo disse...

Ora pois!Vivam as boas notícias,que não se restringem ao regresso ao lar do enferminho,mas também à presença de tantos Amigos neste comentário.Creio que o post ímpressionou mais público do que a abertura de Guimarães capital da cultura,pelo menos no afecto.
kinkas

maria mar disse...

Uau!!! Que bom saber que o teu "compagnon de route" está em casa, embora ainda combalido. Tudo se vai compôr, verás, basta o cheirinho e aconchego do lar, que já é uma grande ajuda. Beijinho gande e um xi, miga

Luis Eme disse...

não tens de pedir desculpa, Rosa.

há momentos que necessitamos da solidão, do recolhimento.

que o Sol brilhe para os dois.

abraços

tulipa disse...

Rosa
quem pede desculpas sou eu!
Não sabia de nada, apenas hoje me apercebo do que aconteceu.
Fico feliz por saber do seu regresso ao lar.
E não há melhor remédio do que aconchego do lar.
Todos os dias agradeço a Deus deitar-me na minha caminha e não numa cama de hospital...

Tudo vai dar certo.

HOJE descobri um poema,
que começa assim:
É urgente
que uma alegria qualquer
me aconteça.

E...ACONTECEU...
a alegria do regresso a casa!

Na minha vida felizmente também vai acontecendo...
este fim de semana fui participar no 1º passeio fotográfico deste novo ano.
Se quiser espreitar,
venha ao blog dos meus
"Momentos Perfeitos" e verá!

Uma boa semana com muitos sorrisos, flores e poesia :)
Beijinhos

Idun, a felina disse...

amiga rosa do ventos, ainda bem que essa espera está a ser feita a dois, no aconchego do lar.
e que as notícias aguardadas sejam tranquilizadoras. e, se não o forem, força haverá, acredito, para vencer as partidas que a vida, às vezes, prega.

marradinhas da bicharada e um abraço grande da Humana.

maria disse...

Que bom :)))

( )jinho

Tite disse...

Depois de 2 dias e meio de ausência por falta de Net (o cobre continua a valer para quem dele necessita) cá estou a cuscar as boas novas.

Fico feliz pelo regresso do Fiel Jardineiro que certamente se recuperará mais facilmente no seu habitat natural.

Beijos para ambos

Turista disse...

Querida Rosa e a pouco e pouco, irá recuperando os pelouros correspondentes! Um grande beijinho para ti e continuação de boa recuperação, para o maridão.

mlu disse...

Fiquei muito contente com as notícias! Em casa, de companhia, é mais fácil a espera! Tudo a correr bem, Rosa dos Ventos!

Um grande abraço!

estrela disse...

Bom dia Rosa dos Ventos, obrigada pela visita, fiquei muito contente por receber uma seguidora da nossa querida Turista é sempre um honra!
:)
Parece que o jardineiro esteve doentinho mas que agora já está melhor e isso é que importa! por acaso não é um jardineiro como há na série "donas de casa desesperadas" ?!!! ehehehe isso também eu queria!!!
bjs e um bom dia!e que o jardineiro seja bem vindo ao lar!

Maria P. disse...

Que esteja tudo bem e assim possa continuar!

:)Beijinhos*