sexta-feira, dezembro 16, 2011

Prendas de Natal


A tradição continua a ter muita força, daí que não possa esquecer as crianças da família, nesta quadra natalícia!
Tenho seis sobrinhas-netas e três sobrinhos-netos que já têm os seus presentes convenientemente embrulhados e prontos a serem entregues lá para a tarde do dia 24, fora os que já seguiram para Paris.
As compras dividiram-se entre roupa, a chamada prenda "mole", livros e brinquedos!
As crianças detestam as prendas "moles" pois já sabem que lá dentro vem um pijama, uma camisola, umas calças, uma saia, um vestido mas, em contrapartida, os pais agradecem.
Quanto aos brinquedos, mesmo com todo o cuidado, não consegui deixar de comprar pelo menos dois "Made in China"...uma pena!
Restaram-me os livros para não defraudar nem ficar defraudada e aí, finalmente, pude comprar português e em português!

25 comentários:

Sonhadora disse...

Só hoje vou comprar as prendas dos meus netos! Sim, porque as dos crescidos já acabaram há dois ou três anos. Tenho quatro netos, mas o mais velho agora só quer dinheiro.

Bom fim de semana

Beijinho

Carlota Pires Dacosta disse...

O que eu adoraria recerber livros no Natal, nos anos, mas as minhas prendas quando era criança, passavam um pouco pelo enxoval que uma menina deveria fazer para um dia quando casasse.
De tudo o que recebi, nada usei, mas isso são outras Carnavais, ai Natais. eheheh
Hoje quando posso, vingo-me e só ofereço livros e também gosto de os receber.
Gostei de conhecer este espaço.

Beijinho

Observador disse...

Rosa

Dia 24, ou antes para fugir à regra, passo por aí para trazer a minha prenda.

:):):)

Bom fim de semana.

trepadeira disse...

Todas as alturas são boas para oferecer cultura.
Sei que a tradição é muito forte mas,na medida do possível,tento evitar o contágio eufórico.

Um abraço,
mário

Pitanga Doce disse...

Sinceridade? Não sei o quê comprar e nem pra quem. Aqui ainda está tudo muito incerto.

Não conhecia essa da "prenda mole". Tem tudo a ver. hehe

rouxinol de Bernardim disse...

O que é nacional é bom... mas nem tudo, claro...

Turista disse...

Querida Rosa, gostei dessa das prendas "moles"! :))
Lembro-me de não gostar nadinha, dessas prendas. E olha que no meu tempo, não eram pijamas ou camisolas! Eram panos da loiça, toalhas e sacos do pão para o enxoval, (logo a partir dos cinco, seis ano...) lembras-te?
Este ano para as crianças, apostei também nos livros. :))

Felipa disse...

Eu costumava enganar os meus filhos, embrulhando as prendas "moles" depois de as colocar em caixas de cartão, bem acondicionadas para não "chocalharem" quando eles as abanassem, se necessário fosse preenchia o espaço com jornais.
Eles iam todos os dias ver as prendas e tentar adivinhar, e normalmente conseguiam, menos as moles precisamente por estarem embrulhadas desse modo.

Este ano ando um bocado alheada, ainda não comprei quase nada.

Aproveito para desejar um santo e feliz Natal, para a semana de certeza que não terei tempo de visitar todos os amigos.
Bj

Lilá(s) disse...

Para não ter essa sensação de defraudada, comprei chocolatinhos...
Bjs

carol disse...

O pior é se eles também acham os livros "prendas moles"... Espero que não!

Olha, e para mim, compraste o quê?!.... Ih! Ih! Ih!

Beijinhos natalícios.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Este ano só ofereço livros, excepto ao meu sobrinho bisneto, coitadinho, que ainda não sabe ler.
Bom fds

Catarina disse...

Prendas muito bem embrulhadas! Tenho a certeza de que todos vão ficar contentes com as prendas que lhes compraste. Até o Diniz vai compreender que a vovó lhe deu uma prenda.

redonda disse...

Engraçada a imagem das prendas moles e também me pareceu muito certa (quando era criança não gostava dessas prendas e se as ofereço a filhos de amigas, parece-me que quem mais as aprecia são mesmo os pais)
um beijinho

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Rosinhamiga

... e eu tenho três filhos, três noras, uma cunhada solteira, quatro netos, uma neta, um sobrinho e seis adjacentes. Além da propriamente dita Raquel. Não fora o 13.º mês e estaria f...rito. Brigado Coelho & outros. São uns encantos, como os quatro dos Lusíadas (Cf Cavaco

Qjs

Qjs

Gi disse...

Este ano, as minhas ofertas, são todas de instituições solidárias.

Eu ando arredada dos blogues e do meu blogue ... só lá fui postar aquilo que sabe ;P

Tem lá uma resposta para si (para votar é preciso ter-se conta no Facebook).

Um bom Natal para todos.

São disse...

Também já tenho algumas prendas entregues , rrss

Alegres Festas, Natal de paz e amor e um 2012 melhor que 2011 lhe desejo e aos seus, Rosinha.

Luis Eme disse...

também já tenho praticamente tudo "despachado".

Boas Festas, Rosa.

Flor de Jasmim disse...

Rosa
Prenda mole não é considerada prenda pela criança, o que não seja brinquedo não é prenda.
Eu não recebi prendas em criança não era uso na minha Aldeia, só comecei a receber aos 13 anitos quando fui viver para a cidade e eram uns paninhos de cozinha e umas saquinhas para o pão, mas como nasci a 19 de Dezembro toda a gente me dizia o mesmo "isto é prenda de anos e de Natal", mas durou pouco porque casei aos 16 anos e deixei de receber prendas.

Beijinho e uma flor

Lídia Borges disse...

Livros que não defaudam nem quem recebe nem quem dá, são uma óptima sugestão.

Pena que sejam tão caros!

Achei engraçado a história das prendas moles. Cá em casa passa-se o mesmo. :)

Um beijo e Feliz Natal

Lídia

Rosa dos Ventos disse...

E lá vamos entrar na recta final do Natal...a mais difícil!
Espero que a casa com mais três moradores a partir de 22 ganhe outro ambiente!

Abraço

Maria disse...

Um abraço especial para ti, hoje.
Também sei o que isso é...

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Dada a quadra que atravessamos hoje

é só para lhe enviar os meus votos de

FELIZ NATAL.

As minhas mais cordiais saudações

Anónimo disse...

O horário do fim , ontem chegou para um amigo , ainda novo.Não pensei nas prendas e o Natal está aí.Desejava uma "ponte" e passar directamente para o final do mês.M.A.A.

Jardineiro do Rei disse...

FELIZ NATAL…

“E a cada raminho novo
Que a tenra acácia deitava,
Será loucura!..., mas era
Uma alegria
Na longa e negra apatia
Daquela miséria extrema
Em que vivia,
E vivera,
Como se fizera um poema,
Ou se um filho me nascera.”
(“Toada de Portalegre – José Régio”)

João

R. disse...

E no que toca a livros portugueses, dos clássicos aos contemporâneos, felizmente não faltam boas opções!