segunda-feira, fevereiro 08, 2010

En gris...


Le déjeuner sur la rue...

20 comentários:

Tite disse...

Olá Rosa!

Já vi que continuas a passear pelas ruas de Lisboa. Pena que seja en gris. Se houvesse Sol a rodos o cinzento seria mais claro... claramente!

Abraços

Maria P. disse...

Podiam ser as ruas de Sintra:)

Beijinho*

mlu disse...

En gris...é uma fotografia linda!
Cá p'ra mim, alguém "subornou" as pombas para se deixarem fotografar, ou já estão tão habituadas que não ligam importância? Le petit déjeuner é que interessa!

Um abraço!

Anónimo disse...

O gris fica a matar,mas aqui em casa,por volta 9 h é mais sur l´herbe et aussi avec des moineaux amis.
Por falar nisso,são horas do dito déjeuner,pois que eles já me chamam do alto dos fios telefónicos para virem pousar nos paralelos decorados com a erva que o Bom Deus fez nascer.
Abraço Kinkas

H.B. disse...

Cá por mim foi no Largo Camões ...

Justine disse...

En gris, como este inverno interminável, aborrecido, frio!
Mas a tua foto tem calor e movimento. Está muito bela
Bjinhos coxos :))

bettips disse...

Gosto de asas, mesmo "gris"!
E os pombos têm a arte de se afadigar para depois os vermos, descansados e submersos em amores infindáveis. Observo-os da minha janela.
Bjinho

Há.dias.assim disse...

Não gosto de pombos: andam sempre a nicar no chão, podendo voar como uma ave majestosa. São como algumas pessoas...

Bartolomeu disse...

Les colombes de nôtre Rosie
volaient de pierre en pierre
dans sa fuite sans soucie
atterri sur le blog, la Rose des Vents
;)))))

Rosa dos Ventos disse...

Caros amigos
Quando cliquei a cena pareceu-me engraçada...
Só depois é que verifiquei o excessivo cinzento.
Ce n´est pas la vie en rose, c´est la vie en gris...

Abrço

Alberto David disse...

Cara Rosa

A Ternura é universal
Todos nós temos pena dos pombos que vivem neste Portugal pequenino,e por tal motivo, ainda que proibido,damos sempre migalhas para o seu sustento.Eles são afáveis.E é neste pensamento que devemos olhar os seres humanos que não são pombos - crianças e adultos, que caminham diáriamente, a nosso lado, sem que alguém olhe de frente, e lhe estenda a mão.
Quando viajamos,quando entramos numa pastelaria ou outrem,a nossa vaidade, fala mais alto,e ignoramos, quem nos estenda a mão.E por vezes, apenas um doce sorriso,para quem está só,adoça uma boca faminta de dialogar com alguém.Todos são famintos

Um abraço

Madrigal disse...

Espero, Rosa, que o pequeno-almoço não seja "milho roxo", daquele que o António Costa manda dar aos pombos de Lisboa.

Um abraço

Jorge

NOBITA disse...

Passei para deixar um beijinho e bom fim de semana.
Até já

fj disse...

deve ser onde estaciono o meu veiculo...no Verão!
Quando me sento...tenho sempre uns presentes no banco :(

Rosa dos Ventos disse...

Milho roxo, Madrigal?
Não será rosa? :-))

Abraço

JPD disse...

Uma piada editada pelo «Inimigo Público»:

"Corrida ás reformas antecipadas provoca aumento de obesidade nos pombos da cidade"

Saudações

Rosa dos Ventos disse...

Verdade?! :-))
Não tenho lido jornais...
Mas tem a sua razão de ser.
Fazer o quê?
Ir dar milho aos pombos! :-))


Abraço

legivel disse...

... aquele que está mais à esquerda já terminou a refeição e aguarda que lhe tirem outra fotografia. A cores.

abraço.

Rosa dos Ventos disse...

Com este décor, no sentido mais abrangente, nem Manet seria capaz de ir além do "gris"... :-))

Abraço

Duarte disse...

Pombas que decoram as cidades, e também as pintam...

Por aqui desapareceram bastantes, agora predominam as rolas...

Beijinhos