sábado, janeiro 26, 2008

Outro enigma...

Com o desejo de um óptimo fim-de-semana para todos, segue mais um enigma.
Que espécie de pedra é esta?
Ou para facilitar, com que actividade concreta estará relacionada?

Nota:
O dono da pedra não deve responder, por favor!

27 comentários:

Justine disse...

Retribuindo os desejos de um excelente fim-de-semana, aí vai para me chamares ignorante destas coisas: é uma mó? Para moer algum cereal? ou para utilizar nos lagares?
"Tiros no escuro", devo confessar...:))

Justine disse...

Ah, esqueci-me de dizer: o que quer que seja, a pedra é lindíssima!

Oris disse...

Gosto destes teus desafios...

Não sei se vou dizer um grande disparate...
Era utilizada na rega? No picote?

Hummmm....
Cá fico à espera do desvendar do enigma..

Bom domingo.
Beijitos

Pitanga disse...

Deixa-me dizer, com o meu "profundo" conhecimento em pedras e mós e agricultura, que esta pedra, aqui no lado debaixo da Linha seria decretada perigosa pela água limpa que detém e ajuda na proliferação do mosquito da dengue. Não é Idinha??? Conta pra ela, vai.

Mas isso aí "não interessa nada"...

beijos e a pedra dava um bom banquinho para se esperar assar umas sardinhas. hehehe

Rosa dos Ventos disse...

Andas muito próxima, Justine...

Rosa dos Ventos disse...

Tem a ver com a agricultura mas não é para regar, nem concretamente para moer...
Agora eu é que estou a moer!

Bisous

Rosa dos Ventos disse...

Mas está envolvida no processo de moer qualquer coisa sem entrar em contacto directo com ela...

TsiWari disse...

Bonita. Fizesse o que fizesse, bonita é-o!

***

Oris disse...

Moída....por aqui fico!!!
:)

Beijitos

Kalinka disse...

Olá
Huuuuummmmmmm, ia responder que é para ajudar a moer a farinha nos moinhos de água...mas

Voltei às letras do Alfabeto...e, não escrevi nem metade do que me veio à cabeça...pois, mesmo assim o post ficou longo, não é que me agrade, mas tinha que escrever sobre Jodie Foster, Jamaica, João Pedro Pais, etc...peço desculpas...
sei que muitas das vezes não há tempo para ler posts longos, mas por isso mesmo é que o coloquei num sábado, quando penso haver mais tempo para alguma leitura mais aprofundada.
E...não me referi aos «Jardins Proibidos» de Paulo Gonzo e Santos & Pecadores - música que gosto imenso!!!

Bom domingo.

Luis Eme disse...

Não tenho dúvida nenhuma que a pedra é pedra...

Pode ser usada na olaria ou na moagem... mas o mistério, mantêm-se...

abraço Rosa

Rosa dos Ventos disse...

Pitanguinha
Por cá há denguice que é o mesmo que dengue mas que ninguém usa, nem mesmo os dengosos ou as dengosas.
Agora o vosso dengue tem que se lhe diga... ;-))

Abraço

Eyes wide open disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eyes wide open disse...

:S

Será de um lagar?!


*


(fez-me lembrar aquela engrenagem da trave)

Bartolomeu disse...

Bom Rosinha, tenho estado caladinho só para manter o suspense, mas, uma vez que ninguem atina com a finalidade da pedra, eu vou explicar próquequeservia, ou serviu.
Esta pedra reporta-se aos tempos em que a terra foi habitada por gigantes. Nesse tempo a indústria farmaceutica, não tinha ainda concebido e fabricado os cotosettes. Então os gigantones, utilizando um tronco de pinheiro nórdico (porque são mais direitinhos) e uma pedrinha destas, enfiada na ponta do tronco, inventaram a forma prática de retirar o cerâme do orelhal. A provar o que acabei de referir, podem ver ainda na pedrinha, uma mancha acastanhada, resíduos da gigantesca oto-cera.
ok?
Estamos esclarecidos?
Pronto!
Então já sabem... se voltarem a necessitar de mais algum esclarecimento esclareciomento do tempo da pedra...

Rosa dos Ventos disse...

Olha que, Bartô, até andaste perto em relação ao buraco.
De facto metia-se lá uma enorme e forte haste de madeira ou de ferro, isso não sei bem...como não sei outras coisas.;-))

Toda a gente que tem falado em lagares tem razão...mas há lagares e lagares e há pedras e pedras.
Esta como já disse não moía...

gb disse...

Palpita-me que fazia parte dos lagares de azeite..

Justine disse...

E quantos capítulos tem este romance de mistério?? Eu já não tenho mais unhas para roer...
Vá lá, Rosa, já começa a ser sadismo!

Anónimo disse...

Afinal não é a pedra no sapato que os mais de nosoutros trazemos?
Abraço

Rosa dos Ventos disse...

A reunião da segunda-feira foi muito longa. Foi chegar a casa, ir ao frigo à procura de uns restos (não dê restos aos seus animais de estimação, dizia o meu filho), aquecê-los, comer a correr e vir ao email com passagem pelas Ventanias para ver se havia novidades.
Agora tenho que ir para o ensaio do coro, quando voltar, se vier com forças, avanço mais alguma coisa.
Abracinhos e até logo...

Oris disse...

Eu não acredito....

Isto está a dar-me cabo do coração....

Tanto suspense!!!

Sem beijitos....
:(

Esplanando disse...

Não será uma pedra de lagar de azeite?

(Hiii!! Lembrei-me agora do Campeonato!! Vai ser mesmo no último dia)

Bartolomeu disse...

uele, let's look at the traller and pay attention to the details.
;)
1º detalhe: a forma da pedrinha é cilindrica, mas ligeiramente ovalizada, o que nos leva a intuir que, se é cilíndrica, tem a finalidade de rolar, se é ovalizada, é porque rola dentro de uma calha com a qual contrastará, ou, onde se encaixará.
Como não somos parvinhos (apesar de eu não constituir exemplo para ninguem)intuímos ainda que se este "artefacto" é feito em pedra, é porque: é antigo e o efeito a que se destinava exigia que a peça fosse pesada, logo, destinava-se a esmagar algo que depois de esmagado se devia manter dentro da tal calhazinha, que com toda a certeza era feita também em pedra.
Ah... quase que me esquecia, esta cachola... se ampliàrmos a foto, percebemos que a "coisa" deve andar pelos 5o cm de altura e, que provávelmente terá uns 30/35 cm de diâmetro, ora multiplicando o coeficiente da massa, pelo indicador magnético do volume, dividido pelo índice da tabela periódica de marés reportada aos mares do emifério sul, concluímos que o peso desta "menina" deverá rondar os 70/80 kilos. Peso este que corresponde ao de um homem adulto, de estatura média, o que nos leva a inferir a relação natural entre homem e natureza, observável aplicando a regra de phi.
fihhhu, acho que está tudo explicado!!

Rosa dos Ventos disse...

Caros Amigos
Tive uma trabalheira na explicação sobre a pedra e agora verifiquei que não entrou.
Digo-lhes que se chama peso e é uma peça fundamental de um lagar de varas e embora muitos tivessem andado à volta de lagares o melhor é irem à Net, escreverem "peso do lagar de varas" e consultarem o que lá vem.
Aconselho o site" Aprovisionamento...Oliveira, Azeitona e Azeite" que traz um desenho decorrente de um estudo de Leite de Vasconcelos que visualiza perfeitamente a função do peso que não actuava sobre o produto a esmagar.
Estes lagares de varas já não funcionam mas existem como fazendo parte do nosso Passado de agricultores nalguns locais.
Por exemplo o Lagar de Varas do Fojo, concelho de Moura, o da freguesia de Vidual, concelho de Pampilhosa da Serra e alguns em Trás-os-Montes.
Inicialmente pensei que só dizia respeito a lagares de azeite mas também se aplicava à uva.
Obterão informações bem interessantes se fizerem essa consulta.
Isto é que foi "fazer render...a pedra"!
Na 1ª explicação alonguei-me bastante mas agora fico-me por aqui com um pedido de desculpas...
Abraço

Justine disse...

Fizeste render, sim senhora, mas foi divertido...e pedagógico.
Boa noite

Anónimo disse...

lol... Senhor bartolomeu uma coisa lhe garante nao sei que contas fez mas aquele pedra pesa a vontade 200 kilos... de maneira que dedique-se a pesca!

Victor Nogueira disse...

OLá
Ou visitarem talvez o núcleo museológico do Lagar de Oeiras, não?
Ou antes
"Galeria Municipal Lagar de Azeite", sempre com exposições interessantes. E ao lado fica o Jardim do Palácio do Marquês de Pombal, aberto ao público e que merece uma visita.
Bjo
VM